domingo, 22 de julho de 2007

ALGUÉM TINHA DÚVIDA?

Sopa caseira supera a industrial

A PRO TESTE avaliou 12 produtos em pacote, mas todas apresentaram excesso de sal e glutamatos. O ideal é não abandonar a receita caseira.

Foram avaliadas doze sopas em pacote para seis porções (as chamadas de “sopão” ou “canjão”). O sabor era de carne bovina ou galinha, com adição de legumes, arroz ou macarrão. No final, os resultados foram decepcionantes.

Todas as sopas têm excesso de sal e glutamato.
Uma marca ainda apresentou 22 fragmentos de insetos.

Quando a PRO TESTE comparou os resultados com sopas feitas em casa, chegou a seguinte conclusão: se você tiver tempo disponível para cozinhar, prepare a sua própria sopa.

Assim, você aproveita melhor os nutrientes dos alimentos, evita o consumo de aditivos, não fica sujeito a microrganismos e ainda pode moderar o sal.
Levará mais tempo, mas sua saúde agradece.

[FONTE: http://www.proteste.org.br/map/src/449311.htm ]

9 comentários:

Ivo Fontan disse...

Muito oportuno.
É importante as pessoas terem consciência de que esses alimentos prontos, como as sopas, somente devem ser usados em situações de emergência, por exemplo, na necessidade de se preparar uma refeição em curtíssimo espaço de tempo, ou ainda no caso de uma aguda crise de preguiça (que ninguém é de ferro!)
O que não se pode é fazer deste tipo de produto a sua alimentação cotidiana. Aí você estará "se enchendo" de glutamato, gordura trans, sal, aditivos químicos e outras porcarias que irão te fazer mal a longo prazo.
Quanto aos fragmentos de inseto, por si só não constituem problema desde que dentro dos limites estipulados pela legislação. Produtos com cereais na sua composição SEMPRE terão estes fragmentos.

Cristiane A. Fetter disse...

O pediatra do meu filho, pediu que passássemos a alimentá-lo com produtos orgânicos na maioria das vezes. Aqui nos Estados Unidos eles são bem acessíveis. Disse assim que sua imunidade aumentaria. Eu que já sou praticante da culinária doméstica só reforcei o pedido dele.
Imagine então o que alimentos assim fazem? Como o Ivo disse de vez em quando não faz mal a ninguém.
Ana, traga mais assuntos assim para o blog, quanto mais informação melhor.
Abraços

Ana Cláudia Bessa disse...

Eu particulamente não gosto destes produtos, não uso nem arroz parboilizado. O que achei interessante foi a questão da quantidade de sal pois o excesso de sal causa diversos males ä saúde. Em muitos casos, esses produtos contém a quantidade de ingestão diária de uma pessoa, o que émuita coisa para apenas uma refeição. O restante é bastante óbvio e sabido de todos.

Anônimo disse...

Será que alguém dá isso para as crianças?
Não entendi os níveis de fragmentos de insetos aceitáveis. Tem um nível aceitável de perna de barata,por exemplo?

Ivo Fontan disse...

Caro anônimo, a aceitabilidade de fragmentos de insetos em grãos (cereais) e produtos feitos a partir deles, é universal, e se deve ao fato de que é indissociável e impossível de evitar a existência de insetos em todas as etapas do ciclo dos grãos, desde a colheita.
Na verdade cada tipo de cereal possui a sua "fauna" própria. Baratas e outros insetos de ocorrência doméstica não fazem parte. São indicativos de falta de higiene.

álvaro disse...

Apesar de todas as explicações dadas aqui vai ser difícil não lembrar dos fragmentos de insetos na hora de comer a sopa.
Pior que eu adoro esses sopões no inverno.

Ivo Fontan disse...

Álvaro, quando eu era criança comia muita goiaba no pé. Quem já fez isso sabe que a coisa mais difícil é você encontrar goiaba madura sem bicho.
Então nós tínhamos um ditado: "Bicho de goiaba goiaba é"!
E assim a gente comia com bicho e tudo.
Pense da mesma forma com relação aos insetos dos cereais. Que tal: "caruncho de trigo trigo é"!!!
Além do mais, tem muitas coisas por trás da fabricação de "certos alimentos" que é melhor para o leigo não tomar conhecimento.
Na Alemanha se diz:
AS LEIS E AS SALSICHAS, MELHOR NÃO SABER COMO SÃO FEITAS"!!!!!!!!!

Ana Cláudia Bessa disse...

É como cozinha de restaurante e padaria. Já vi tanta barbaridade nessa minha profissão que eu prefiro nem ver...rs...

E fico feliz de ver que muita coisa stá melhorando neste sentido.

Mas que eu não me iludo, não mesmo!

Carina disse...

Eu adorei os comentários a respeito do texto. Vocês foram super esclarecedores!