sábado, 20 de dezembro de 2008

Mudamos !!

Querido amigos leitores do blog, estamos nos mudando de endereço.

O endereço www.ofuturodopresente.com.br continuará funcionando mas nos direcionará para
um local de hospedagem diferente, totalmente novo, com mais recursos.

Esperamos todos vocês lá!

Clique aqui: www.ofuturodopresente.com.br

fonte da foto: Museu do Inhotim, Brumadinho-MG - Maior museu de arte contemporânea ao ar livre do mundo

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Doação de Cachorro


Muitas vezes, a gente vê por aí pessoas doando seus cães de estimação. E agora me ocorreu que nunca vi gente doar seus gatos... bom, isso eu ainda teria que pesquisar para ver se é verdade, foi só um pensamento. Mas voltando aos cachorros, isso é muito comum. São vários os motivos que levam uma pessoa a se desfazer de seu amigo canino: trabalho excessivo, gastos idem, alergias, gravidez, temperamento agressivo ou destrutivo do cachorro (às vezes do dono...tb), etc.

Muitos desses motivos poderiam ser prevenidos se antes de adquirir o cachorro a pessoa se informasse a respeito das características da raça, por exemplo. Afinal, se você tem nojo de baba, não deve escolher uma raça que babe. Ou, se você não tem muito dinheiro para gastar, deve investir em raças menos propensas a problemas de pele, olhos ou ouvidos, por exemplo. Ou se você mora em apartamento, deve escolher uma raça que não fique latindo por qualquer motivo. Como podemos ver, a escolha errada, pode nos trazer problemas que nos levará a não mais querer conviver com o cachorro. E muita gente o trata como um ser inanimado e sem sentimentos. O que já sabemos que não é verdade.

Mas tem muita gente que ainda pensa assim: se não der certo eu dou. E não pensa que será um sofrimento enorme para a seu cachorro sair do seu convívio pois seu cachorro já os tem como família. Sem exageros, será uma criança abandonada numa família desconhecida. Por causa do livro que escrevi (http://www.felizpracachorro.com.br/), sou sempre consultada a respeito e sempre falo as mesmas coisas.
E a primeira pergunta é: você sabe quanto tempo vive um cachorro?
E a despesa com alimentação e remédios? Sabe que é por peso? Ou seja, quanto maior mais ele come e mais ele consome em termos de dose de remédio, caso precise? Ou ainda você sabe o tamanho do xixi e do seu cocô, está disposto a limpar? Ou vai soltar na rua para ele fazer cocô na porta dos outros, para que os outros limpem?
A maioria não se faz pergunta nenhuma: acha todos os filhotes fofos e lindos e compra sem pensar que filhote de elefante também é fofo e lindo. O problema é depois que cresce.

Se realmente não tiver jeito, procure doar para pessoas conhecidas porque eu vi um caso muito triste numa família. Por ter sido doado a um desconhecido, o cachorro foi encontrado abandonado na rua, cheio de doenças (sarnas, bicheiras, pulgas e carrapatos), magro e faminto.
Você imagina o que foi encontrar um cachorro que foi criado em casa com todo amor e carinho nestas condições? Os antigos donos quase morreram de tristeza quando vieram a cadela na rua, chamaram pelo nome e ela atendeu. Nunca mais foi a mesma coisa: nem a cadela, nem a família.
Hoje ela já faleceu, mas com certeza, um dos motivos foi de tristeza. Neste caso, o cachorro foi doado porque foi comprado para ser micro-toy e ele era um poodle normal, de tamanho médio e virou um cachorrão, totalmente fora dos padrões esperado pela família. Além disso, o cachorro foi comprado para ser de uma das filhas. }como ela se comprometeu a cuidar e não cumpriu, acabou sobrando para os pais que não gostaram nada do novo serviço. E isso é muito comum: a criança diz que vai cuidar e não cuida. daí, eu digo: o cachorro é do adulto, se for comprar para a criança cuidar, esqueça.

Doar, tem que ser para alguém que realmente queira, que sabe do trabalho que dá, da despesa e da atenção que demanda. Desculpe mas isso me tocou muito e às vezes a gente não tem dimensão do que as pessoas que a gente não conhece são capazes de fazer. Muitas vezes, nem as que conhecemos.
E se você acha que é exagero, olhe à sua volta, veja a população de cachorros de rua que existe. Com certeza, começaram a partir de cachorros abandonados por seus donos à própria sorte e foram cruzando e gerando mais cachorros. Visite um centro de zoonoses ou associação de proteção animal e verá a quantidade de cachorros abandonados. É triste ver o que somos capazes de fazer.
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

Flagras

Essa foto é do álbum digital da Rosana Hermman do blog Querido Leitor e mostra a Ana Maria Braga fazendo a sua parte ao recolher o cocô da sua cadelinha!
Belíssimo exemplo!


quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Natal Sustentável e Consumo Consciente : tudo a ver!

Este mês a Sam Shiraishi do blog A Vida como a Vida Quer nos convidou a duas blogagens coletivas de extrema importância: Natal sustentável e consumo consciente. Além disso, a Denise Rangel do blog Faça a Sua Parte me contou por e-mail que o blog está convidando a todos a escrever um post sobre sugestões ecológicas de presentes para concorrer a um livro "Seis Graus" sobre aquecimento global e a importânica de fazermos a nossa parte. Então, já que os três assuntos são "unha e carne", como se diz, vou fazer a três postagens numa só.

Este Natal resolvemos algumas coisas com relação ao comércio ligado à data:
•Eu e o marido não nos daremos presentes
•As crianças não serão incentivadas a escrever cartas ao Papai Noel
•Os presentes das crianças serão educativos de madeira certificada
•Quando for imprescindível presente, daremos um vaso de planta

Por que tomamos essas decisões?

Porque o Natal não é (mas foi transformada em) uma data comercial e estamos nos educando a consumir menos e com mais responsabilidade. Preferimos então, nos presentear em datas mais comerciais como o Dia dos Namorados (e até lá tudo pode mudar...risos). Conseguiremos sobreviver com tranquilidade a um Natal sem presentes comprados por convencionamento comercial.

Quanto ás crianças, eles ainda não estão atentos a este negócio de carta, logo, não sentirão falta de que não conehcem e qualquer presente será benvindo! E aí, uma excelente oportunidade de dar presentes educativos ao invés dos presentes de marketing de péssima qualidade chinesa. Não precisamos nem dizer o motivo de nossa preferência por madeira certificada...

Quanto aos presentes a terceiros, achamos interessante incetivar a ecologia com um presente que com certeza agrada sempre, por isso a escolha de uma vaso com uma planta.

Essas decisões para um Natal Sustentável vem muito de encontro ao consumo consciente. Por isso escolhemos madeira certificada, por isso escolhemos as plantas, por isso escolhemos consumir menos, com mais moderação e responsabilidade, evitar os supérfluos. Comprar melhor ao invés de comprar mais.

O legal disso tudo é que sempre podemos inspirar pessoas através de nossas atitudes. Quando damos uma plantinha, quando mencionamos que os casal não trocou presentes, quando contamos que demos produtos educativos aos invés de ceder aos marketing dos produtos chineses. que nada de bom trazem ao nosso país.

Não é fácil mudar velhor hábitos, mas é possível. Só precisamos começar, mesmo que dando pequenos passos. Toda uma caminhada começa por ele.
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

"Da qualidade de se chamar pelo nome"


Outro dia, recebi a indicação de um blog de um psicanalista que eu já vi aparecer na TV. O texto dele, curtinho e até interessante falava da dificuldade de ser comunicar realmente o que se deseja pela internet. De fato, uma realidade diante dos constantes desentendimentos que já vi acontecer dentro dos vários grupos e agora mídias sociais que participei e participo. Mas o que me fez perder totalmente o interesse em continuar explorando o tal blog foi o fato do médico entitular o blog como blog do DR. fulano.

Eu não gosto quando alguém se apresenta como doutor. Já vi movimentos que falam que doutor é quem faz doutorado. Por outro lado, a definição de doutor diz que doutor é todo aquele que detém um conhecimento específico. Ou seja, muitas pessoas poderiam ser doutores, mesmo sem ter estudado. Porque não só a universidade ensina, a vida também.

Não sei, mas filha de doutor que sou, me acostumei muito a essa nomeclatura contudo, hoje, ela me soa estranha. Vejo muito arrogância e prepotência nas pessoas que assim se apresentam ou fazem questão de auto-entitular-se. Já tive um chefe, dono de uma fábrica de refrescos, que era médico e fazia questão de mesmo não estando exercendo o ofício da medicina, ser chamado de Doutor. Virou quase uma extensão de seu próprio nome. Eu inclusive o chamava assim.

Em consultórios médicos, vemos profissionais que deveriam cuidar da saúde de seus pacientes, receitando tratamentos que as pessoas não precisam, simplesmente porque se colocavam na posição de quase deuses, decidindo o destino daquele que o busca num momento de aflição e necessidade. Um exemplo típico são as cesáreas diagnosticadas apenas por conveniência da agenda apertada do médico que não quer perder horas acompanhando um parto normal. E uma cirurgia que deveria ser feita apenas em caso de emergência é feita quase como uma extração de dente. Sendo que nem essa é feita sem necessidade.

Que diremos dos advogados cuja classe forma os grandes magistrados do judiciários e estes sim, se acham acima até do próprio Deus, definindo os destinos de nossas vidas, muitas vezes de acordo com suas vaidades. Eu mesma por ter enfrentado e me oposto a posição de uma juíza numa audiência, tive a mesma cancelada e nada pude fazer. A justiça não só não foi feita com imparcialidade como ainda foi determinada pelas vaidades da própria juíza. E daí prá baixo, vemos milhares de profissionais como promotores, defensores e oficiais que tratam a lei como sua propriedade e doutores que se acham, apropriam-se dela fazendo de si mesmo seres superiores e sem a menor obrigação de atender o povo com dedicação e respeito. Ao invés de estarem ali para servir, servem-se da justiça.

Tudo isso me foi inspirado por um texto que li no blog do Alessandro Martins que leva o mesmo título que usei para este texto (que de tão interessante não poude deixar de colocar da mesma forma) e diz o seguinte:


(…) não me considere desrespeitoso se me dirijo ao senhor chamando-o por seu nome próprio, sem referir-me às vestes que enverga. (…) sempre me impressionou o modo como os franceses, quando entrevistam um escritor, um artista, uma personalidade política, evitam usar apelativos redutivos, como professor, eminência, ou ministro. Há pessoas cujo capital intelectual é dado pelo nome com que assinam as próprias idéias. Assim, os franceses se dirigem a qualquer pessoa cujo maior título é o próprio nome, com “diga-me, Jacques Maritain”, diga-me, Claude Lévi-Straus”. É o reconhecimento de uma autoridade que se manteria mesmo se o sujeito não tivesse se tornado embaixador ou acadêmico da França. Se eu tivesse que me dirigir a Santo Agostinho (e também por essa vez, não me julgue excessivamente irreverente), não o chamaria de “Senhor Bispo de Hipona” (pois muitos outros depois dele também foram bispos daquela cidade), mas de “Agostinho de Tagasta”. (Umberto Eco, autor de O Nome da Rosa, no livro Em que creem os que não creem)


Falou e disse.


________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Meme da Solidariedade

Sempre rola na blogosfera, os chamados memes. Que são perguntas que você responde ou alguma opinião ou ideia e repassa para outras pessoas/blogs responderem. Sendo assim, os blogueiros Alexandre Inagaki e Guilherme Valadares tiveram a idéia de criar "um meme para ir além da simples trocas de idéias e indicações mas que fosse uma forma de viralizar a solidariedade na rede. "

Para fazer a sua parte, faça uma doação em nome da Defesa Civil de Santa Catarina, na conta oficial que foi aberta no Banco do Brasil: agência 3582-3, c/c 80.000-7. Scaneie seu comprovante e faça um post em seu blog um texto difundindo o meme e o linkando para o site Alles Blau que é um site criado no meio de toda a tragédia e que serve como referência para notícias e informações sobre
Santa Catarina.

Segue meu comprovante. O valor sugerido pelos idealizadores é de R$ 100,00, apenas como referência e sugestão. Mas cada um é livre para doar o quando puder. E eu , para mostrar que realmente me sinto a vontade quanto à isso, doei R$ 40,00, no meu caso, porque estamos ajudando de outras formas, portanto nossa disponibilidade foi dividida em outras doações que fizemos.

Vou convidar algumas pessoas a participar do meme mas deixo-os à vontade de participar conforme sua possibilidade e caso já tenham feito doação e queiram participar do meme, basta seguir as regras que são: publicar o comprovante e linkar o Ales Blau.
A vida como a vida quer
***
O que é meme???
Um meme, termo cunhado em 1976 por Richard Dawkins no seu bestseller controverso O Gene Egoísta, é para a memória o análogo do gene na genética, a sua unidade mínima. É considerado como uma unidade de informação que se multiplica de cérebro em cérebro, ou entre locais onde a informação é armazenada (como livros) e outros locais de armazenamento ou cérebros. No que diz respeito à sua funcionalidade, o meme é considerado uma unidade de evolução cultural que pode de alguma forma autopropagar-se. Os memes podem ser idéias ou partes de idéias, línguas, sons, desenhos, capacidades, valores estéticos e morais, ou qualquer outra coisa que possa ser aprendida facilmente e transmitida enquanto unidade autónoma. O estudo dos modelos evolutivos da transferência de informação é conhecido como memética.
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas..... de novo

Como falamos num post de 6 de dezembro, copiando um post do blog da Gloria Perez é essa a frase que repetimos quando mais uma criança, vítima da violência que impera em nosso país tem sua morte marcada pela impunidade de seu algoz. Neste caso, um policial.

Revoltada é uma palavra que já até fica com sentido repetitivo se eu disser que é isso que sinto.

Não consigo entender, um juiz, um jurado, um ser humano, absolver um profissional da polícia que mata uma criança, porque diz cometeu um engano. Um engano?
É...
Engano é colocar mais um lobo nas ruas. Logo matará outra pessoa, infelizmente. Matar está se tornando banal. POR ISSO EU SAI DO RIO. Corro riscos estando em qualquer lugar, corro risco quando vou para lá mas ficando lá me sentia num lugar sem lei. Mas continuo sofrendo porque nossa família e amigos continuam no meio deste cidade sem estado de direito.

Não consigo imaginar o que se passa no sentimento dessa família, da mãe que viveu todo este terror.

Sinto revolta.

Se você deixa de pagar uma conta é punido, se deixa de pagar um financiamento, é punido, achincalhado, humilhado, perturbardo dia e noite. Mas se você mata uma criança e tem todo um corporativismo para te defender, você está livre para matar novamente.

Como bem disse nosso amigo João Carlos do blog Chi vó, non pó! , que sempre participa dos comentários do blog, essa impunidade e libertação de assassinos só vai parar o dia que os juízes começarem a ser presos por seus atos, por seus "enganos". E aí, o juiz que libertou o assassino da menina Raquel, estaria preso, afinal, foi ele que mandou um assassino condenado icapacitado do convívio com a sociedade de volta ás ruas. Homicídio doloso! Inclusive do advogado que o defendeu, como cúmplice! Vamos parar com esse negócio que todo mundo tem direitos iguais! como um assassino tem direitos iguais oas meus e aos seus que nunca matamos, roubamos, violentamos ninguém?

Sinceramente! Eu sou um ser humano muito melhor que uma pessoa que mata, esquarteja, taca fogo em crianças! A maioria da população é! E ser tratado de igual para igual em relação a estes psicopatas, é demais! Que justiça tacanha a nossa! Que justiça medíocre! Que justiça inoperante quando coloca estes assassinos numa prisão sem nenhuma ocupação e com celulares à vontade para ficar comandando o crime de dentro da cadeia!

E o Cansei? Lembram do movimento da classe artística e empresarial? Cadê o Cansei? Cansaram? Seriam tão importante que a disposição deles não acabasse tão rápido....

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

11/12/2008 - 00h35
PM acusado pela morte do menino João Roberto é inocentado
Juliana CastroDo UOL NotíciasNo Rio de Janeiro (RJ)
Depois de mais de três horas reunidos na sala secreta do 2º Tribunal do Júri da capital fluminense, quatro dos sete jurados votaram pela absolvição do cabo da Polícia Militar do Rio de Janeiro, William de Paula, acusado de homicídio duplamente qualificado pela morte de João Roberto Amorim Soares, de 3 anos.O menino teve morte cerebral após levar um tiro na cabeça durante uma perseguição policial na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, em julho deste ano. Ao receber a sentença de absolvição do juiz Paulo de Oliveira Lanzellotti Baldez, o PM começou a chorar. Apesar de ter sido inocentado do crime de homicídio, Paula recebeu uma pena de sete meses por lesão corporal leve contra a mãe de João Roberto, Alessandra Amorim Soares e o irmão Vinicius Amorim, na época com 9 meses.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Xarope feito em casa

Eu sofro com tosse aqui em casa, ainda mais quando o tempo esfria.
A Pat Feldman do blog Crianças na Cozinha deu uma dica excelente: uma receita caseira de xarope. Natural e eficaz, experimente e comprove ! Ainda não testei pois estou sem agrião em casa, mas vou comprar amanhã mesmo.

http://pat.feldman.com.br/?p=3396

sábado, 13 de dezembro de 2008

Blogagem Coletiva do Consumo Consciente




Há dias eu tenho convidado amigos blogueiros para participar de uma blogagem coletiva para levantarmos idéias de boas práticas de consumo e repensarmos nossa inserção na sociedade buscando a sustentabilidade. Dia 9 de dezembro, enquanto eu estava no Projac (no Café.com Gloria) escapei no universo virtual e participei do videochat com Helio Mattar, Diretor Presidente do Instituto Akatu Pelo Consumo Consciente, promovido pela área de Sustentabilidade do Banco Real. Outros amigos estiveram lá também, numa reunião virtual que teve @deniserangel, @nubibella, @carloshotta, @cybelemeyer, @maricarol, @paulasignorini e @guiesam aos quais agradeço a participação e, acima de tudo, regozijo-me por ser testemunha de seu trabalho incessante de conscientização.

Hoje deixo em definitivo o convite para a blogagem coletiva, para pensarmos no quanto o consumo consciente poderia fazer diferença na realidade que vivemos.
Há anos ouvimos falar que o aquecimento global pode afetar de modo radical o clima e, mesmo nos preocupando momentaneamente, continuamos com nossos velhos hábitos de consumo de energia, de desperdício de comida, comprando objetos sem pensar nos impactos disso, saindo com nossos carros mesmo podendo optar por andar a pé ou usar transporte público.
Além celebrar o Natal, durante as festas de final de ano todo mundo gosta de trocar presentes. Que tal começar a levar em consideração não só o preço e a aparência do produto, mas também os aspectos sociais (se a empresa é conhecida por utilizar mão de obra infantil ou por ser injusta com seus funcionários e fornecedores, por exemplo) e ambientais (se a matéria-prima é de origem legal, se o produto é certificado…). Sabemos que ainda há poucas opções de produtos com essas características e que é difícil avaliar um produto com tanta profundidade, mas será que valorizar mais os produtos locais, por exemplo, evitando aqueles trazidos por meio de grandes deslocamentos, já não poderia ser um começo? Será que evitar produtos pirateados já não seria outra idéia para ser colocada em prática? E trocar o carro pelo transporte coletivo? Quando for viável, esse é até um jeito de evitar o stress do estacionamento e do trânsito no Natal.Vamos nos propor a fechar 2008 e começar 2009 mais conscientes dos impactos de nossas escolhas, cientes de que cada pequena ação nossa terá reflexo no todo e que podemos fazer diferença. Quanto mais consumidores agirem assim, mais as empresas terão boas razões para criarem processos e produtos mais sustentáveis.

Participe da blogagem coletiva sobre Consumo Consciente para discutirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável. Você pode usar qualquer um dos selos abaixo para divulgar a blogagem e para contar que é um consumidor consciente. E na semana de 15 a 21 de dezembro compartilhe suas experiências e dicas para começarmos 2009 com novas posturas de consumo em busca de uma vida mais sustentável. (E se você não tem blog, não tem problema, faça seu registro no Aldeia Sutentável ou nos envie seu texto e fotos e postaremos no Radar Verde).
________________________________________________________________________________ Samantha Shiraishi

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

O segundo Sol


"Quando o segundo sol chegar, para realinhar as órbitas dos planetas"

Esta semana, meu caçula completa 3 aninhos! Eu não poderia deixar de comemorar aqui no blog. Embora este não seja um blog pessoal, são eles (os filhos) a razão, o motivo, a motivação para tudo o que faço. Nunca poderia imaginar que ter filhos transformaria tão intensamente (e profundamente) minha vida.

Quando fui mãe pela primeira vez, ainda tinha que me beliscar para acreditar que eu era mãe. Não por ter desejado muito, mas justamente porque nunca me imaginei desempenhando este papel...sempre foi uma coisa meio distante, surreal. Esperei sem pressa para ser mãe. Meu primeiro filho (aos 32 anos) me lembrou minhas "filhas" bonecas que eu deixava em casa dormindo enquanto ia para a escola. Como eu desejei que elas chorassem , rissem, sujassem suas fraldas (pobre menina inocente era eu...rs). E de repente, estava ali aquele bebezão lindo fazendo tudo o que sempre sonhei. O primeiro filho foi a materialização das minha feliz época de mãe de bonecas.

Aí, de surpresa, sem planejar, aos 8 meses (isso mesmo, gente, eu disse 8 meses) do nascimento do primeiro, eu engravidei novamente. Descobri dois meses depois, lamentando "a barriga que parecia de grávida", chateada com o volume abdominal que não diminuía e insitia em aparecer nas fotos. Eu já estava grávida e não sabia. Até que um dia, enjoei escovando os dentes. E eu só enjoei escovando os dentes quando fiquei grávida pela primeira vez. Nem fui ao obstetra, pedi à pediatra que fizesse um pedido de exame de sangue (beta-HCG) para eu tirar a dúvida. Quando liguei para o laboratório para saber a resposta, a atendente informa que qualquer valor acima de 5 (cinco), significava gravidez. E ela disse: positivo, você está grávida. De curiosidade, perguntei quanto foi o meu resultado e ela prontamente respondeu 90.455 (noventa mil 455). Ou seja, eu estava muito grávida...rs...

E ele veio assim, virando nossas vidas de cabeça para baixo, de surpresa, sem pedir licença, sem aviso ou preparação. Ficamos todos tão supresos que não quisemos saber o sexo, o que viesse, estaria bem vindo. Mas eu sentia lá no fundo que era um menino. Amo ser mãe de meninos! E ele veio, debaixo de muitas lágrimas de alegria e supresa até na hora de nascer. E aos 33, lá estava eu, mãe de novo!

E quando ele nasceu, tudo ficou diferente. Até eu fiquei diferente. Estava ali uma mãe de verdade, confiante, que sabia o que fazer, como e quando. Ele foi meu MBA maternal. Com sua chegada, saí das brincadeiras de boneca para me sentir mãe de verdade. Agora sim, sou mãe! Tenho dois filhos, uma prole, uma família!

O segundo filho é o segundo sol em nossa vida como diz a música da Cássia Eller: o segundo sol ao chegar, realinha as órbitas dos planetas. Ele chega e nos mostra o quanto exageramos com o promeiro filho, nos mostra que podemos cuidar de dois filhos e de nós mesmas melhor, aprendemos a errar mais sem nos crucificar tanto, aprendemos a pedir e aceitar ajuda, aprendemos a nos dividir e aceitar que nem sempre daremos conta de tudo. Pelo menos, para mim, foi assim, um realinhamento em minha órbita.

Agradeço a Deus todos os dias por sua saúde. Por ser tão amoroso, companheiro, divertido, amigo. Agradeço à Deus toda a surpresa que ele representou. Eu te amo.


________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Café com blog - nosso blog e muitos outros com Glória Perez no Projac


A Revista Bites promoveu um encontro de blogueiros com a novelista Glória Perez que estréia em Janeiro sua nova novela Caminho das Índias. O encontro foi motivado pela presença de um blogueiro na nova trama das 21 horas da Rede Globo. Sendo assim, a Bites convidou 38 blogueiros para participar de um bate-papo com a autora afim de ajudá-la a entender este universo.

O encontro aconteceu no Projac ou Central Globo de Produções em jacarepáguá no Rio de Janeiro e foi não só um café, mas um almoço e toda uma tarde entre conversas com a autora, com o diretor Marcos Schectman,

vídeos da produção da novela na Índia e sobre o Projac, almoço lá mesmo,

e visita às instalações do Projac (figurinos e alfaiataria), cidade cenográfica que retrata o bairro da Lapa em Caminho das Índias


e aos estúdios onde estava acontecendo o primeiro dia de gravações da novela em estúdio.



Minhas impressões sobre tudo o que vimos e ouvimos não pode ser menos que mega. Tudo é grande quando se fala de Projac. O Projac é imenso com mais de 1 milhão de metros quadrados, as cenas da novela na Índia são deslumbrantes, a pesquisa feita pela autora e o mergulho na cultura indiana foi profunda, os cuidados com os detalhes foram constantes: até na decoração da sala onde nos encontramos estavam saris e cadeiras indianas. A cidade cenográfica é muito mais impressionante do que já imaginamos ao ver pela TV. Construíram uma escadaria á margem do Rio Ganges lá dentro que de tão perfeita será difícil saber se é real ou cenográfico quando aparecer na novela. Cada detalhe do cenário é impressionantemente real. Os jardins do Projac são bem cuidados, os funcionários atenciosos, a instalações são de excelente qualidade. A logística para fazer uma máquina daquele tamanho funcionar é impressionante. Um bom exemplo são os cenários que são montados e desmontados todos os dias de acordo com o planejamento de gravações e através de fotografias, eles sempre montam cada objetos do cenário sempre no mesmo lugar. São mais 80.000 peças de figurino, capacidade de produção de 1500 peças diferentes/dia que começam a ser produzidos de 9 meses a 1 ano antes de começar as filmagens. E podem anotar: as músicas da novela serão um sucesso, estão lindas.

Isso tudo foi importante porque em nossa conversa com a Glória ( que foi uma pessoa educada, simpática, muito clara e sincera durante toda a conversa) ficou claro sobre a importância que teremos na composição do personagem, já que ele terá um blog de verdade, fora da novela que poderá ser acessado por qualquer pessoa que tenha acesso à internet.

E quem é o INDRA? O Indra será adolescente um indiano que mora no Brasil e que usará o blog para falar de como ele percebe as diferenças culturais entre os dois países, sua relação com a escola, com os amigos e mais aquilo que ele carrega consigo proveniente de uma educação baseada numa cultura de mais de 6 mil anos e que é extremamente presente em sua vida, mesmo vivendo no Brasil. Ele será, como herança dessa cultura, um adolescente muito ligado à ciências, história e assuntos afins.
Nosso papel, daqui para frente é ajudar a nortear os caminhos do blog, sugerir assuntos, situações e abordagens condizentes com este universo. Ficou claro contudo, que não será uma particpação técnica de nossa parte porque a novela precisa ter atrativos audios visuais, caso contrário, o telespectador muda de canal. Precisaremos ter a sensibilidade de inserir aquilo que queremos passar (e cada blog tem seus próprios assuntos e visões de interesses) de modo a passar a nossa mensagem, a mensagem do Indra e a linguagem da novela. Não será fácil mas será um desafio sensacional e uma oportunidade ímpar de mostrar ao Brasil e ao mundo (não esqueçamos que as novelas são vendidas para outros países) essa ferramenta maravilhosa que são os blogs (quando seriamente feitos) e em como ele tem o poder de mobilizar pessoas comuns em torno de uma mesmo objetivo, como é o nosso caso aqui no Futuro do Presente.


De minha parte estou empolgadíssima com esta oportunidade porque como sugeri e a Glória ficou muito interessada, o Indra tem todas as características para ser um jovem antenado com sua responsabilidade com a transformação do futuro de todos e no qual ele mesmo viverá. E, podem ter certeza, que estarei sempre em contato para colocarmos nossos assuntos na pauta do blog do Indra que será comandado pela Giovana Manfredi que trabalha diretamente com a Glória.
Por fim, eu só tenho a agradecer: à você que sempre participa do blog porque sem isso, nosso blog não teria sido convidado a participar do evento (a Juliana Paes que é protagonista e estava gravando, perguntou qual foi o critério de escolha dos blogs participantes e o Manoel Fernandes, editor da Revista Bites, respondeu que eram os blogs de maior importância na rede) e isso a gente deve sempre aos nossos leitores. Apesar de que, eu nunca -nunca mesmo- poderia imaginar que eu estaria num grupo tão seleto pois quando comecei, não tinha a menor idéia de que exisitia algo além de escrever para o blog. Existe todo um mercado, uma comunidade, uma atividade profissional e de mídia fundamentada nos blogs e rede sociais como orkut, facebook, twitter, etc. Meus agradecimentos também à Revista Bites que nos proporcionou um evento primoroso, à Globo que nos recepcionou de forma impecável e aos blogueiros que estavam lá junto comigo porque foi ótimo conhecer tanta gente importante neste circuito, com blogs de tanta relevância e sucesso. E à Sam Shiraishi que foi quem indicou nosso blog para o evento e conhecê-la pessoalmente, foi, para mim, também um ponto alto deste evento!
Sei que muitos que nos lêem torcem o nariz para a Globo mas procurei ter em tudo um olhar neutro -não é fácil mas é possível- porque apesar de qualquer coisa, é inegável tudo o que vi e ouvi em seu tamanho, dimensão e relevância com que fomos tratados. A novela será uma vitrine sem precedentes para os blogs (podem contar com um estouro de novos blogs a partir de Janeiro) e o mais importante: será uma vitrine também, sem precedentes para tudo o que falamos e aqui no Futuro do Presente será uma oportunidade maravilhosa porque quando e onde poderemos semear para tantos ao mesmo tempo nossos ideais de mudanças individuais que motivam as mudanças do mundo coletivamente? Quando e onde poderemos semear nossos ideais para tantas pessoas se motivarem a mudar o mundo que vamos deixar para nossos filhos?
Agora vou dormir que são mais de 3 da matina e ainda não coloquei em dia todas as coisas: mãe blogueira trabalha... puxa vida...
Créditos das fotos: Todas são do álbuns que indico abaixo (Veridiana, Tiffany e Bites). As minhas ainda não tive tempo de baixar...hunf!
____________________________________________________________________
Ana Cláudia Bessa


Cobertura oficial no blog Poltrona
Diário da viagem por Rosana Hermman
Encontro de blogueiros na Globo Por Wagner fontoura
Diário de Bordo por Sam Shiraishi
Visita de blogueiros ao Projac por Cyn Cardoso
Blogueiros no Projac por Helton Kuhnen
Café com Glória por Luíza Gomes

Sobre a novela Caminho das Índias:
http://caminhodasindias.globo.com/

Saiba com detalhes como foi nossa ida ao Projac (post completíssimo)
http://30ealguns.com.br/?p=1207

Acompanhe o blog da Glória Perez

Acompanhe o blog da produção da novela que será comandado pela Giovana Manfredi:

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A instituição da magreza

Outro dia, não sei aonde, li ou ouvi alguém dizer que a Charlotte Church estava crescida e estava gorda. Aí, fui ver o vídeo a que se referia o comentário e encontrei uma menina linda, talvez um pouco acima do peso que a sociedade define como sendo o ideal. (Charlote Church é essa no vídeo ao lado da esquálida, problemática e viciada (porém maravilhosa...eu gosto dela com sua voz de diva dos anos 50...rs), Amy Winnhouse).

Quando vejo isso eu fico muito triste porque em nenhum momento se fala do talento da Charlotte, só de uma gordura que , ela até tem, mas nem é nada assim exagerado. E se fosse? Problema dela, né? (o importante é a nossa consciência. Ela é problema nosso. A opinião dos outros, é problema deles... - disse alguém algum dia...)

Acho tão engraçado quando as pessoas são julgadas por sua aparência...

E mais ainda quando são os homens que julgam as mulheres. Porque chega a ser injusto com muitas delas que esse julgamento seja frio e assim, conclusivo. Mulher engorda por causa de hormônios demais e hormônios de menos, porque engravida, porque pari depois TEM que recuperar o corpo de antes. E que não recupera, porque mulher muda depois da maternidade-muda mesmo-, inclusive, fisicamente. Uma ou outra volta, mas sabe lá Deus , a custa de quanta fome, de quanta ginástica, de quantos tratamentos, de quanto tempo de dedicação e de quanto dinheiro. Nem todas tem tudo isso para dar para ficar magrinha como a sociedade quer. Outro dia vi uma declaração da Ana Hickman falando que já engordou 10 quilos depois que saiu das passarelas. Gente, 10 quilos a mais e ela continua magrela! Imaginem como era antes!

E os homens que me perdoem, mas aqueles que somente gostam das magrelas esquálidas e que qualquer barriguinha já é obesidade mórbida, não são homens que mereçam suas mulheres (quando tem uma...rs). Homem que é homem de verdade, gosta de mulher e da sua mulher com as transformações que o corpo dela sofre com o passar dos anos - e que homens sofrem também! -. E não estou falando daqueles casos extremos, tá? Estou falando de envelhecer, ganhar alguns quilos, rugas, celulites. Isso faz parte da natureza humana. Silicone, botox, academia 7 dias por semana e almoçar alface com frango grelhado todo dia, é que não faz...

Estou falando de felicidade sem neuras, se é que me entendem.

Leia +
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Blogagem coletiva Natal Sustentável


Dezembro é uma época do ano alegre, generosa, feliz e que nos inspira a agir com nobreza de alma. Que tal pensar num Natal Sustentável no lugar do Natal S.A. do comércio?

Vamos dar juntos um presente para o planeta?


Este Natal será especial no nosso país. Não é a crise que afeta economia do mundo todo que o faz singular, mas sim uma tragédia de proporções cinematográficas que nós assistimos ao vivo: as enchentes de novembro em Santa Catarina. Além de acompanhar pela mídia tradicional, vimos uma reação na blogosfera que evidencia uma das qualidades mais raras do brasileiro: a solidariedade. É ela que leva caminhões de doações para o sul, que une famílias para hospedar desabrigados, que faz uma taxista lesada pela falta de combustível lembrar que não pode reclamar por perder lucro quando tem gente que perdeu tudo e leva crianças a abrirem mão de economias para ajudar amigos que nem conhecem.


Faço um convite para pensarmos no quanto o consumo consciente poderia fazer diferença na realidade que vivemos. Há anos ouvimos falar que o aquecimento global pode afetar de modo radical o clima e, mesmo nos preocupando momentaneamente, continuamos com nossos velhos hábitos de consumo de energia, de desperdício de comida, comprando desprecupadamente objetos pessoais, saindo com nossos carros mesmo podendo optar por andar a pé ou usar transporte público.


Acredito que, como eu, vocês vão viver um Natal centrados na convivência (que é o ponto alto das celebrações religiosas, do cristianismo, judaísmo, islamismo ou paganismo) nas celebrações de final de ano, sem de fato focar os presentes, mas eles costumam acompanhar as festas. Vamos nos propor a fechar 2008 e começar um 2009 com um "foco sustentável", cientes de que cada pequena ação nossa terá reflexo no todo e que podemos fazer diferença. Que tal começar nas compras de presentes e de produtos para a festa, sendo um consumidor consciente que leva em consideração não só o preço e a aparência do produto, mas também os aspectos sociais (se a empresa é conhecida por utilizar mão de obra infantil ou por ser injusta com seus funcionários e fornecedores, por exemplo) e ambientais (se a matéria-prima é de origem legal, se o produto é certificado...). Além de presentes comprados em lojas de comércio justo, a ceia pode valorizar ingredientes locais, evitando ingredientes trazidos por meio de grandes deslocamentos.


Quanto mais consumidores agirem assim, mais as empresas terão boas razões para criarem processos e produtos mais sustentáveis. Ainda há poucos brasileiros colocando o consumo consciente em prática. Segundo pesquisa "Responsabilidade Social Empresarial – Percepção do Consumidor Brasileiro", realizada entre 2006 e 2007, "o número de brasileiros que sabem que têm o poder de influenciar o comportamento das empresas (75%) se manteve relativamente estável desde 2002 até 2007, porém o consumidor não é ativo na mesma proporção em termos de buscar informações sobre o comportamento das empresas. Atualmente, apenas um em cada três consumidores consultados afirma procurar saber mais sobre o comportamento das empresas. Vamos mudar esta realidade em 2009?


Participe da blogagem coletiva Natal Sustentável para discurtirmos e divulgarmos ações que levem a um cotidiano de consumo sustentável.

Para saber mais:
No site do Instituto Akatu há vários relatos de casos em que os consumidores se uniram para cobrar esse tipo de responsabilidade das empresas (ver "Diálogos do Akatu nº 1" em http://www.akatu.org.br/akatu_acao/publicacoes/reflexoes-sobre-o-consumo-consciente ).


Se tudo isso está acontecendo sem dúvida é porque o consumidor está mudando seu comportamento de compra. Não é pouco, mas está distante do número de pessoas que declara acreditar no poder do consumidor de influenciar as empresas" (leia a notícia completa e faça o download da última pesquisa aqui:
http://www.akatu.org.br/central/noticias_akatu/2008/akatu-e-ethos-divulgam-nova-pesquisa-a-respeito-da-relacao-do-consumidor-com-a-rse ).



Hoje é grande o debate em torno do consumo. A sociedade tem buscado sua felicidade nas compras, gerando um consumo desenfreado, o que não é nada saudável nem para as pessoas nem para o planeta. É surpreendente constatar essa afirmação por meio do teste de pegada ecológica, que calcula quantos planetas seriam necessários se todas as pessoas do planeta consumissem como você: http://www.pegadaecologica.org.br/
Um videochat com Helio Mattar, Diretor Presidente do Instituto AkatuPelo Consumo Consciente, vai acontecer entre 8 e 10 de dezembro (dataa confirmar) para debater o consumo consciente.http://www.akatu.org.br/central/noticias_akatu/2008/akatu-e-ethos-divulgam-nova-pesquisa-a-respeito-da-relacao-do-consumidor-com-a-rse ).

________________________________________________________________________________ Samantha Shiraishi

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Projeto proíbe demissão de marido de grávida


ANA LUÍSA WESTPHALEN - Agencia Estado

SÃO PAULO - A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou hoje projeto de lei que proíbe a demissão sem justa causa do trabalhador cuja esposa ou companheira esteja grávida. O período vale a partir da concepção presumida, comprovada por laudo médico. Se aprovada, a lei não se aplicará ao profissional contratado por período determinado.De acordo com o Projeto de Lei 3829/97, de autoria do deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), o empregador que desrespeitar a norma deve pagar multa corresponde a 18 meses de remuneração ao empregado. A proposta segue para votação no Senado.De acordo com informações da Agência Câmara, originalmente o projeto concedia "estabilidade de emprego" ao trabalhador cuja mulher estivesse grávida. O termo foi retirado do texto, que passou a proibir a dispensa arbitrária ou sem justa causa.

****

Semana passada fui surpreendida com essa notícia. Claro que existem funcionários que simplesmente não merecem tal benefício. Claro que existem funcionários que vão se aproveitar dessa situação. Claro.

Mas temos que pensar no macro e no quanto esta decisão coloca o pai como co-responsável pela criança desde a concepção. Isso parece óbvio, mas não é. Muitos homens não se sentem responsáveis pelo simples fato de que, teóricamente (e praticamente também), nada muda na vida do homem antes da criança nascer.

E temos uma maioria absoluta de cidadãos de baixa renda que abandonam suas mulheres por medo da responsabilidade. Se essa medida será um paliativo ao abandono dos lares pelos pais, eu não sei. Espero que seja, sim, um incentivo para que os homens sejam mais parceiros e mais antenados com suas responsabilidades diante da chegada de um filho. Planejados ou não.
Eles agora serão cada dia mais que provedores mas mantenedores em tudo aquilo que desde sempre deveria ser entendido como também parte dos afazeres masculinos, mas que para muitos homens, ainda não é. Mesmo em pleno século XXI !!

Medidas como essa, como a licença paternidade, a lei que permite a presença do pai na sala de parto e outras que ainda podemos sugerir são grandes avanços para o universo masculino. Nós, mulheres, nos transformamos demais enquanto homens muitos homens ficaram perdidos em seus papéis na sociedade diante de mulheres que trabalham e que não ficam mais em casa cuidando dos filhos, sendo elas também, provedoras do lar. Acho até interessante (e triste) ver como os homens estão, no geral, demorando a se colocarem nesta nova realidade. E não tenho pena, eles que se descubram porque se acostumaram bem fácil a ter mulher provendo dentro de casa. Só não se acostumam a também dividir a responsabilidade da manutenção do lar com todas as tarefas domésticas que isso implica. Afinal, nós mulheres não tivemos que nos adaptar às várias mudanças ocorridas na história? Tivemos e ninguém teve pena de nós. E isso não é feminismo, não. Isso é um "acorda, mané, que agora você tem mulher e filho, se acostume que isso implica em muito mais que trazer arroz e feijão prá casa. Pode começar trocando aquela fralda suja, ali!"
Por outro lado, é uma medida extremamente paternalista e que pode prejudicar muitas empresas e até muitos trabalhadores. Há que se debater muito para o caso do Senado vir a aprovar o projeto de lei. Já estou vendo maridos de mulheres grávidas não arrumarem empregos. Em outros países como os Estados Unidos, que eu saiba, não tem nada disso. Nossa lei trabalhista ainda é muito assistencialista em muitos aspectos. Bom pro trabalhador, a princípio, é. Mas se formos olhar as entranhas da realidade veremos as mulheres sendo discriminadas pela licença maternidade, por exemplo. Eu não sei. Ainda não tenho opinião formada se essa estabilidade é bom ou ruim para a sociedade como um todo.
Até porque acho estabilidade um "câncer" em todos os aspectos. Quem têm méritos não precisa dela. Quem só está empregado por causa dela, dificilmente tem méritos para que a mereça.


________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

PARTICIPE!

Última semana !!!
Já participou do nosso concurso? E nos outros blogs, também está concorrendo? Conte sua história, você pode ganhar mais de um prêmio!
clique aqui

sábado, 6 de dezembro de 2008

"Quem poupa o lobo sacrifica as ovelhas!"

A polícia identificou o assassino da menina Raquel: Jorge Luiz Pedroso Cunha, pedófilo militante, devia estar preso, condenado que foi por crimes de homicídio e estupro.Mas nossa justiça, sempre tão condescendente com o crime, aprovou por unanimidade um pedido de comutação de pena, e devolveu o predador às ruas!A "graça" custou a vida da menina Raquel!




***
Como puderam ver, peguei este post no blog da Glória Perez e confesso que não escrevi na época da descoberta do assassino porque não consegui colocar em palavras o tamanho da minha revolta.
Glória, com a voz de quem sabe a dor que uma violência dessa causa na vida de uma família, conseguiu exprimir em poucas palavras o que sinto, pela violência sofrida pela Raquel, pela revolta pelo nosso judiciário permissivo com o crime e implacável com o trabalhador honesto, pelo medo que sinto de que ao nos calar estejamos sendo coniventes com essas barbáries e trazendo todos os nossos filhos para que sejam vítimas de uma violência desta natureza.
Não podemos pedir proteção a Deus, devemos pedir proteção a nós mesmos que nos acovardamos diante da (in)justiça, que nos calamos diante do desrespeito à cidadania.
E essa omissão só nos leva a um caminho: a linha de fogo.
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Compostagem, o que é isso?

Este mês, fui convidada a participar de dois grupos referentes a ecologia e sustentabilidade: o http://www.aldeiasustentavel.com.br/ e o http://www.radarverde.com.br/ .
Dia 22 de Abril é o Dia da Terra e como ano passado, este ano, fiz minha eco-metas conforme ação promovida pelo blog Faça a sua Parte. Então, como ambos nos convidam a falar de nossas ações ecológicas pessoais, vou misturar tudo isso e fazer uma saladinha verde.

Uma de minhas metas para o ano é fazer a compostagem do lixo que nada mais que transformar lixo orgânico em adubo - simplóriamente falando. Ou seja, reciclagem de lixo orgânico. Vim lendo sobre o assunto (pouco, confesso) mas um produto que eu descobri no meio do ano, me animou muito e ele foi o tema de uma matéria do Programa Cidades e Soluções do André Trigueiro (que gosto muito!). Sendo assim, tive a idéia de fazer um diário dos meus passos para fazer a compostagem do lixo e vou considerar o primeiro passo, essa matéria. Assim vocês poderão, assim como eu, entender um pouco mais do assunto e compreender minhas tentativas daqui para frente, já que vamos tentar começar pelo mais difícil que é fazer um pequeno minhocário em casa.

No próximo post vou falar do segundo passo:
*definição de local e
*como conseguir material, como as matrizes de minhocas.

Será que conseguimos? rs

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa


quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Condução Escolar, é bom?


Eu recebi a sugestão para falar sobre esse assunto há muito tempo da Suzana Elvas - óhhhhhhhhhhhhhhhhh (eu demoro mas cumpro...rs) e como eu uso de vez em quando este serviço, me inspirei para escrever sobre o assunto. Aliás, tenho só a agradecer à Suzana pelo interesse e ajuda ns proposições de temas para falarmos!

Para começar e ninguém poderia imaginar, eu já fiz condução escolar. Há mais de 10 anos atrás, quando a regulamentação estava começando e as vans eram a sensação do momento, eu tive 5 vans de condução escolar! Eu fazia um trajeto longo para duas instituições gratuitas de ensino de qualidade de quais os pais, faziam questão que os filhos estudassem nelas de qualquer maneira. Não pagavam escola mas gastavam com transporte. Não que o transporte fosse tão caro, mas não era barato.

E eu trabalhava, gente...
Condução escolar é uma coisa muito séria. Além do óbvio que é ter os filhos de outras pessoas sob sua responsabilidade, ainda temos um horário justíssimo a cumprir. Por isso, amigos, não atrasem um minuto a condução escolar do seu filho. Eles não podem aguardar 5 minutos em cada criança. Num carro de 18 passageiros, isso significaria um atraso de 90 minutos, ou seja, 1 hora e meia. E aí, eles perdem o horário de entrada e sequer entram em algumas escolas. E voltar prá casa é impensável, não é? E não adianta, não tem choro nem vela porque ninguém quer que a condução tenha folga de horário e deixe nossos filhos mais de 1 hora desnecessáriamente dentro de uma van.

É um trabalho árduo que eu não recomendo à ninguém. Por isso, respeito quem faz. Mas sou exigente. Só que vejo tantas vans fazendo condução de forma tão precária que fico impressionanda como os pais deixam seus filhos na mão de pessoas que mal cuidam de seus carros que são seu ganha-pão.

Carro mal cuidado é sinal de muuita coisa ruim além do desleixo do dono. Carro mal cuidado é sinal de que a mecânica nao deve estar em dia e isso inclui freios e pneus carecas, por exemplo. Carro sujo, amassado, motorista mal vestido, fumante ... pode significar falta de cinto de segurança nas crianças, direção negligente, excesso de velocidade.

Condução Escolar responsável tem contrato e tem regras. Condução escolar responsável tem muita coisa que ninguém imagina mas eu nem vou colocar tudo, porque estou há muito afastada disso e não sei se a legislação mudou. Por exemplo: eu tive que tirar carteira D para dirigir a van. Fiz auto-escola em ônibus! Hoje, quando sou parada numa blitz, os policiais até olham para mim, tipo: cara-crachá...rs... Outra é que condução escolar só podia ser feita com carro que tivesse porta para os dois lados. As vans que eu tinha eram assim, o único modelo e acho que ainda é, que tem duas portas é L300 da Mitsubisch (é assim que se escreve?). Por que porta dos dois lados? Para a criança sempre descer do lado da calçada e não da rua !

E porque eu saí desse negócio? Porque eu acordava as 4 da matina, pegava minha primeira criança as 5:30h (ô dó!!!), depois levava as crianças da tarde, enquanto as outras vans subiam com as crianças da manhã. Dalí, eu ia trabalhar numa multinacional e chegava em casa às 21 horas acabada de cansaço, estressada do trânsito, dos pais que não estavam com seus filhos prontos no horário, pena das crianças que ficavam mais de 1 hora comigo no trânsito... Fora a preocupação constante com motoristas, ajudantes, revisões das vans... Eu era muito certinha e isso esgotava toda a minha saúde. Claro que eu não cuidava sozinha de tudo e claro que tinha coisas boas como os passeios com as próprias crianças que a gente organizava. Mas chegou um momento que o segundo ou terceiro ano letivo terminou - não lembro exatamente - e eu repensei o que eu queria para o novo ano. E neste momento, finalizou este ciclo da minha vida. Não foi fácil me despedir das crianças, dos pais... a gente se apega, cria amizade, é uma relação muito intensa. Bem...eu me apego... Lembro que as crianças adoravam me sacanear falando que a besta da tia Ana tinha acabado de chegar(Besta é uma das marcas de van, não era a minha mas sabe como é criança...rs...) Outro dia, lembrei de algumas crianças que, hoje, já devem ter mais mais de 20 anos... MEODEOS!

Hoje, uso eventualmente os serviços de uma van para quando eu não tenho como levar para a escola por algum motivo. Fui criteriosa, escolhi a melhor que encontrei mas ela não é certinha como deve. E não achei nenhuma que fosse. Encontrei duas boas opções sendo que uma delas, não pôde aceitar a condução da forma como eu precisava, ou seja, eventual. E condução boa também recusa cliente em função de manter a qualidade do atendimento que já presta. E a condução que uso, pode me recusar a qualquer momento. Só fazemos desta forma porque há disponibilidade. Quando não houver, pagarei o preço de não usar nenhuma outra porque não dá para ficar adaptando os filhos a tudo que é van. Ainda mais quando as outras opções não são lá essas coisas...
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Crianças e consumo

Há muito tempo eu queria escrever sobre isso e no post sobre o Natal, a Suzana Elvas que é colaboradora constante com sugestões para temas aqui pro blog, deixou o endereço deste (excelente) documentário e a Renata Matteoni já o havia me enviado por e-mail, que se chama "Criança, A Alma do Negócio" de Estela Renner e Marcos Nisti.

Aqui em casa somos muito preocupados com a quantidade e a qualidade do que as crianças possuem ou têm acesso. Claro que nosso controle, por mais que tentemos não é 100% eficaz. Ainda temos que levar em consideração as diferenças entre o pai e a mãe. Por exemplo, essa semana, eu e o pai tivemos opiniões completamente diferentes sobre um determinado desenho. Claro que eu achando que era muito mais violento do que ele achou. Não dá para impor a vontade ou opinião de um de outro todas as vezes, e no geral, chegamos a um consenso ou aguardamos para ver os efeitos que as decisões ou permissões causam.

Eu sou contra propagandas para crianças. Acho que a propaganda, quando existe, deve ser voltada para os pais que podem discernir sobre consumo. Criança não pode discernir e ainda é facilmente manipulada pelas técnicas de mídia. E um grande exemplo do mal que o consumo excessivo e descontrolado pode causar é ouvir a excelente entrevista com André Trigueiro que fala que o consumismo faz com que jovens cometam mais crimes. E claro que isso vem de antes da adolescência. (Essa entrevista fica disponível em carater constante e por prazo indeterminado no menu lateral aqui do blog mas você pode ouví-la clicando aqui.)

Aqui em casa, como em muitas famílias, o grande desafio é conciliar as tarefas e responsabilidades dos adultos com crianças ávidas por atividades durante todo um dia de chuva, por exemplo. Difícil não ligar a TV por menos de 4 horas por dia para os pequenos. Acha 4 horas muito? Pois são 2 horas de manhã e duas horas de tarde... duas horas são 4 desenhos ou um pouco mais que um filme.

Claro que o assunto é polêmico porque publicitários não querem saber da saúde emocional ou educacional dos nosso filhos, eles querem saber da saúde financeira de suas contas bancárias. E é essa motivação que os faz reclamar com toda a força, chamando de censura (HA-HA-HA), a possível proibição de anúncios para crianças ou anúncios de bebidas alcóolicas (conheça a campanha Propaganda sem Bebida) , assim como, -bendito seja-, aconteceu com os cigarros. E nenhum publicitário morreu de fome, a Souza Cruz não faliu, e eles apenas, como tudo que nos afeta, só precisaram se readequar à nova realidade. Com a grande vantagem de que nossos filhos não precisam, há muito tempo, ver propagandas de cigarros ligadas ao esporte ou à vida saudável, que era a grande MENTIRA PUBLICITÁRIA e INESCRUPULOSA que eles sempre veiculavam.

E aos pais e publicitários que pensem que propaganda não afeta as crianças, vejam o excelente documentário abaixo e ouçam com atenção a última frase que diz:


"...deixar de pensar ou refletir sobre a infância é desconsiderar nosso próprio futuro!"


Falar mais o quê???


Leia +

Televisão demais faz mal à saúde e pode viciar

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

Endurecimento de pena para quem cometeu crimes hediondos

Aos moradores do Rio que puderem divulgar e comparecer. Acredito piamente que somente a mobilização da sociedade civil poderá mudar este quadro de violência e impunidade do qual a cidade do Rio de Janeiro é grande vítima. E se as coisas não começarem a mudar logo, estarão todos os cidadãos vivendo numa cidade onde o poder paralelo do crime se tornará, de fato, o único poder. (ana cláudia bessa)


Audiência pública debate o PL 7053/2006 que prevê endurecimento de pena para quem cometeu crimes hediondos

A Comissão de Legislação Participativa aprovou, a Sugestão 80/2007, da Associação Gabriela Sou da Paz, que "sugere audiência pública para debater o Projeto de Lei n° 7.053, de 2006, que "altera dispositivos do Código Penal e Processual Penal - Retira o benefício relativo a fixação de pena para crime continuado quando se tratar de crime hediondo, tortura, genocídio; proíbe a apelação em liberdade para o condenado por esses crimes e por tráfico de drogas e o indulto para o crime de tortura; revoga o protesto por novo júri.

O referido projeto foi uma tentativa de se fazê-lo por iniciativa popular, contudo não conseguindo número de assinaturas suficientes este foi entregue ao Deputado Antônio Carlos Biscaia, as assinaturas colhidas pelo "Movimento Gabriela Sou da Paz" com o objetivo de tramitar como projeto de Lei formal. A audiência será uma oportunidade do debate com diferentes setores da sociedade civil, bem como a utilidade da participação de profissionais da área jurídica, para trazerem sua experiência como aplicadores do direito, como é o caso do desembargador Muiños Piñeiro, do RJ. Além disso, participará como palestrantes representando a sociedade civil o atual Presidente da Associação Gabriela Sou da Paz, o senhor Carlos Santiago, entidade autora da já mencionada sugestão e de representante da Pastoral Carcerária. Estarão ainda na mesa os Deputados Antonio Carlos Biscaia autor do projeto e Chico Alencar relator da sugestão de audiência pública que deu entrada via Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados – CLP.

A audiência acontecerá dia 4 de dezembro de 2008 às 10h da manhã no plenário 4 do Anexo 2 da Câmara dos Deputados

Carlos Santiago - pai de Gabriela

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Presentes Ecológicos

Jornal do Comércio - 01 de dezembro de 2008



Produtos com proposta educativa ganham espaço

O que começou com uma proposta de discussão sobre assuntos que vão influenciar no futuro das crianças - como violência, consumo consciente, educação, saúde - tomou uma dimensão bem maior. Ana Cláudia Bessa passou a compartilhar sua angústia com essas questões em um blog que foi criado logo que o Brasil ficou chocado com a morte do menino João Hélio, arrastado por quilômetros ao ter ficado preso ao cinto de segurança do carro que foi levado por assaltantes. "Fiquei mexida e pensando: e se fosse comigo?"

Do blog que tem paticipação de internautas de todos os cantos do País, veio a idéia de dar mais um passo: criar produtos educativos que possibilitassem renda a cooperativas e comunidades carentes. Assim nasceu a marca Futuro do Presente, com produtos 100% ecológicos. Camisetas com estampas educativas e ecológicas que têm o objetivo de levar as pessoas à reflexão sobre o mundo que elas estão deixando para seus fihos.

Por isso, a preocupação com os produttos se dá em toda a linha de produção. A malha, feita com garrafas PET recicladas, foi escolhida como matéria-prima para as camisetas. Para as bolsas ecológicas, a juta ganhou destaque. O material, de fácil cultivo, é responsável pelo sustento de mais de 50 mil famílias. O único ponto negativo, segundo Ana Cláudia, é o preço final, que ainda fica acima da média dos produtos tradicionais.

fonte: Jornal do Comércio, 01 de dezembro de 2008
Matéria de Cristine Pires, a quem agradecemos o carinho e a atenção que nos dedicou.

***************************************************************************************************************************************

E por falar em preços, temos modelos em promoção! Não percam! Só até dia 08 de Dezembro! Clique nos links para vê-las!

Futuro do Presente

Plantando que se Recebe

Minha Camisa é de PET

Qual Brasil você vai deixar para mim?



segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

...e a gente se sente um ser (muito) melhor !

Durane a semana, separei roupas e tudo o que pudesse e servisse para ser doado para Santa Catarina. Separamos roupas e sapatos das crianças, um colchão de berço, 2 colchonetes, 3 almofadões, 1 mosquiteiro de berço, roupas minhas e do marido, sapato nossos, casacos (que não usamos seguramente há mais de 8 anos!), utensílios de cozinha (incluindo escorredor de louça, potes, mamadeira e bicos de silicone, escova de lavar mamadeiras e um triturador de legumes, estilo polishop, que é ótimo para preparar papinhas de bebê sem usar eletricidade) e uns poucos brinquedos que consegui convencer os meninos a doar (apesar de que a maioria dos brinquedos que eles têm, eles ainda brincam mesmo... portanto quis fazer de forma que eles realmente se desapegassem e doassem). Amarramos os sapatos que foram possíveis de ser amarrados (nosso barbante acabou...hunf!), colocamos as meias também dentro de seus pares para que não se perdessem e identificamos o que tinha dentro de cada saco.

Gente, nós não somos de guardar tralhas, até porque nos mudamos bastante nos últimos anos, e cada mudança era uma oportunidade de nos livrar do que não usávamos mais. Além disso, doamos muita coisa o tempo todo. Eu não tenho, por exemplo, muita coisa de bebê para doar, porque a maioria esmagadora, eu vou dando sempre que tem bebê/criança pequena por perto e também conhecemos uma fundação seríssima que atende várias famílias no Rio. Mas mesmo assim, enchemos o carro.
Foram 6 sacos enormes de coisas. Como a gente tem coisa que pode servir para outras pessoas!

Enchemos o carro e fomos todos entregar na sede do Corpo de Bombeiros aqui perto de casa. Fiquei um pouco apreensiva por ser domingo, ainda tentei falar com a Defesa Civil (que só deu sinal de ocupado) mas fomos mesmo assim. Chegando lá, fomos muito bem recebidos e eles nos ajudaram a esvaziar o carro e juntaram nossas doações a outras que já estavam lá.

Achei pouco o que encontramos lá diante da quantidade de pessoas que moram na nossa região. Se cada pessoa levar 1 saco, lá devia ter uns 30. Trinta doações num universo de milhares de pessoas é muito pouco. Por isso, escrevi este post e coloquei aqui algumas fotos. Não para fazer propaganda de nossas ações, ou promover a caridade como forma de marketing (tem muita gente que faz isso mesmo), mas para incentivar todo mundo que ainda não separou nada que tenha em casa. Ás vezes a gente acha realmente que não tem, mas procure com carinho, tenho certeza que irá se surpreender, como nós nos surpreendemos.

Nosso próximo passo é fazer uma doação em dinheiro no valor de uma cesta básica já que a necessidade não se restringe ao alimento mas também ao preparo dele. Havendo dinheiro, facilita o preparo ou o fornecimento de alimentos preparados e água (eles estão com muita necessidade de água potável). A escola das crianças está recolhendo mantimentos para doação e vamos mandar alguns alimentos para que as crianças levem (quero incentivar neles esta atitude importante).

E por fim, um companheiro de trabalho do marido é morador de Blumenau e está alojando mais 3 famílias além da sua, na casa dele e de sua mãe. Sua casa teve todo o primeiro andar inundado, o prédio da mãe teve inundação até o segundo andar (ela mora no quarto). Vocês podem imaginar, dois andares de um prédio completamente inundados, a quantidade de água, lama, sujeira e estrago? Essas famílias que eles acolheram perderam tudo e não temos como enviar nada para eles diretamente. Dinheiro não temos suficiente para ajudar. Estamos agora pensando em como angariar fundos para ajudá-los. Sua maior necessidade é por água potável que está saindo a mais de 20 reais por galão. Ele chorou ao telefone quando ligamos, não conseguiu prosseguir conversando. É desolador e devemos agradecer todos os dias, estarmos a salvo, em segurança, podendo comer e beber. Sem esquecer que, assim como aconteceu com eles, tudo pode mudar de um momento para outro e sermos nós os necessitados de ajuda. Qualquer ajuda.

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

Camisetas de Malha PET em Promoção

************************************************************************************************************************

Camisetas em promoção! Não percam! Só até dia 08 de Dezembro! Clique nos links para vê-las!

Futuro do Presente

Plantando que se Recebe

Minha Camisa é de PET

Qual Brasil você vai deixar para mim?


***************************************************************************************************************************************

sábado, 29 de novembro de 2008

AJUDE SANTA CATARINA


Esse cartaz foi criado por Rodrigo Muller, ajude a divulgar!
http://www.flickr.com/photos/rodrigomuller/3063287023/

Mais informações sobre doações de roupas, alimentos, calçados e etc: