quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A instituição da magreza

Outro dia, não sei aonde, li ou ouvi alguém dizer que a Charlotte Church estava crescida e estava gorda. Aí, fui ver o vídeo a que se referia o comentário e encontrei uma menina linda, talvez um pouco acima do peso que a sociedade define como sendo o ideal. (Charlote Church é essa no vídeo ao lado da esquálida, problemática e viciada (porém maravilhosa...eu gosto dela com sua voz de diva dos anos 50...rs), Amy Winnhouse).

Quando vejo isso eu fico muito triste porque em nenhum momento se fala do talento da Charlotte, só de uma gordura que , ela até tem, mas nem é nada assim exagerado. E se fosse? Problema dela, né? (o importante é a nossa consciência. Ela é problema nosso. A opinião dos outros, é problema deles... - disse alguém algum dia...)

Acho tão engraçado quando as pessoas são julgadas por sua aparência...

E mais ainda quando são os homens que julgam as mulheres. Porque chega a ser injusto com muitas delas que esse julgamento seja frio e assim, conclusivo. Mulher engorda por causa de hormônios demais e hormônios de menos, porque engravida, porque pari depois TEM que recuperar o corpo de antes. E que não recupera, porque mulher muda depois da maternidade-muda mesmo-, inclusive, fisicamente. Uma ou outra volta, mas sabe lá Deus , a custa de quanta fome, de quanta ginástica, de quantos tratamentos, de quanto tempo de dedicação e de quanto dinheiro. Nem todas tem tudo isso para dar para ficar magrinha como a sociedade quer. Outro dia vi uma declaração da Ana Hickman falando que já engordou 10 quilos depois que saiu das passarelas. Gente, 10 quilos a mais e ela continua magrela! Imaginem como era antes!

E os homens que me perdoem, mas aqueles que somente gostam das magrelas esquálidas e que qualquer barriguinha já é obesidade mórbida, não são homens que mereçam suas mulheres (quando tem uma...rs). Homem que é homem de verdade, gosta de mulher e da sua mulher com as transformações que o corpo dela sofre com o passar dos anos - e que homens sofrem também! -. E não estou falando daqueles casos extremos, tá? Estou falando de envelhecer, ganhar alguns quilos, rugas, celulites. Isso faz parte da natureza humana. Silicone, botox, academia 7 dias por semana e almoçar alface com frango grelhado todo dia, é que não faz...

Estou falando de felicidade sem neuras, se é que me entendem.

Leia +
________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

7 comentários:

Ana Paula disse...

"Acredito que as pessoas sempre terão suas opiniões, não importa qual seja a sua aparência. Aprendi a não dar atenção a isso e penso mais sobre o que estarei deixando de curtir se der espaço as opiniões alheias."



Já tinha lido uma entrevista com essa modelo, e percebi que ela é mesmo inteligente, articulada e muito feliz com seu corpo! Aliás, achei ela muito bonita mesmo...

Infelizmente, isso ainda é exceção no Brasil...

Cyn Cardoso disse...

Ana, concordo plenamente com seu texto. Até bem pouco tempo atras, eu estava mais magra, e depois de voltar para o Brasil só fiz engordar. Por sorte tenho alguém que me ama e que não se importa com isso, fica dizendo que é neura minha (e realmente fiquei meio neurótica com isso mesmo).

Triste viver com esta neura, principalmente quando sabemos que o que importa mesmo não é o nosso exterior, como nos vestimos ou que acessórios usamos.
Pena que a sociedade pense diferente de nos.

Excelente post! Um grande beijo!

thais disse...

Outro dia, estava aí no brasil, ainda, e estava no mercado. Vi 5 meninas magérrimas fazendo compras. Gente, muito magrinhas!!!! Morri de dó! Deviam ter 13 anos, se tudo isso. Sozinhas, magrinhas.

Detesto essa ditadura da magreza, viu? Acho O fim quando me falam que eu TENHO que levar a Mel pra uma agência de modelo. Eu lá quero que minha filha seja modelo? SE ela quiser, algum dia, quando estiver maior, ela decide.

EU adoro a voz da Amy, adoro as músicas, mas ela é o fim, né.
Aliás, vi em algum lugar uma foto de quando ela começou. Já era magra e estava escrito na legenda que ela começou com alguns quilos a mais. Eu quis foi morrer. Ela está é doente, agora. Não está magra, bonita. QUe absurdo!

lucia fontes disse...

Acho tão engraçado quando as pessoas são julgadas por sua aparência...

Faço minhas as suas palavras, Ana! Na verdade, aqueles que julgam e escolhem suas companhias pela aparência são magérrimos: magros de conteúdo, de alma, de sensibilidade e de gostosura. Talvez seja esse o pior IMC que se possa ter.

By the way, a Charlotte está maravilhosa (na minha modesta opinião)!

Beijos, Lucia!

Cristiane A. Fetter disse...

Eu concordo com tudo que você escreveu, só acho que temos que ter o cuidado de enxergar o limite dos quilinhos a mais e quando estes quilinhos estão prejudicando a nossa saúde.
Sou bem o exemplo disso, depois que vim para os EUA engordei muito, mais de 20 quilos. Solidão, depressão, tristeza entre outras coisas e o fato de estar em casa o tempo todo (que para mim é o fato mais importante) fizeram com que o meu esporte virasse comer, como a Thais escreveu, me sinto uma rata, risos.
Mas eu não desisto!.
Mesmo qunado eu tinha um peso normal já tinha celulite, um quadril enorme e nem por isso deixei de econtrar o homem da minha vida, que já não era magro e hoje já tem os quilos da idade e celulite também.
O amor vai além do que os olhos vem, mas sim do que a alma vê.
Beijocas

denise rangel disse...

Concordo plenamente, no entanto, uma barriguinha saliente incomoda. Não colocamos um biquini, mas um maiô inteiro, por exemplo. Não deixo de comer doces que adoro, por medo de engordar, mas estou consciente de que um corpo em forma é mais valorizado.
Deixei de fazer dietas e regimes há três anos. Engordei um pouco, mas estou feliz. Felicidade sem neuras.
beijo, menina

Renata disse...

Oi Ana. Sempre fui muito exigente comigo mesma nesse quesito e hoje, que estou acima do peso, me sinto muito mal, embora o meu acima do peso seja pra muita gente ok. COm certeza é uma questão de se sentir mal ou bem, mas tb tem a influência do padrão de beleza surreal que impera.
Mas o que queria comentar mesmo é que acho que as mulhres se importam mais com isso que os homens. Falo de pessoas normais, não dos artistas de tv, por exemplo, que são super exigidos nessa questão. A mulherada cai de pau em cima de amigas ou mesmo celebridades que engordam, pode reparar. É, mal comparando, que nem a reação de muitas mulheres de condenar a Luana Piovani naquele barraco com o Dado Dolabela. Ouvi coisas como ela é uma vadia, mereceu? Surreal, não? Mas com a ditadura da magreza tb é meio assim...a mulherada é mais cruel do que os homens...
beijo!
Re