quarta-feira, 27 de junho de 2007

Bom senso e caldo de galinha não faz mal a ninguém.

Outro dia passeando na internet me deparei com um blog que falava mal da vida americana. O blog detonava o jeito de comer, de se vestir, do tamanho dos carros, das cidades, entre outras coisas do povo daqui.

Um excesso de ódio sem igual, ele (o escritor do blog) destilava raiva por todas as letras. Aí eu me perguntei: quanto tempo esta criatura viveu aqui para falar tão mal do american way? 1 mês.

Eu não acreditei quando lí. O cara só viveu aqui um mês e se achou no direito de criticar com uma tal ferocidade que até assustava. É como se um americano fosse ao Brasil, ficasse pouco tempo, e saísse de lá reclamando do excesso de jogos praticados nas praias cariocas, do carnaval, do excesso de montanhas, etc, ou seja não tem a mínima idéia do que está falando.

Que fique claro que não estou aqui levantando a bandeira da defesa do americano, até porque como todo o povo ele tem defeitos..

Cheguei a conclusão que ele estava passando da medida. Era um excesso de comentários desnecessários. Mas quem não comete excessos? Quem nunca o fez que atire a primeira pedra. Ou seria primeira letra?

Comemos demais, bebemos demais, brigamos demais, dormimos demais, trabalhamos muito, vemos muita televisão, , usamos muito o computador, ou o telefone, gastamos muita água, muito dinheiro, lemos pouco, usamos muito papel higiênico, muita pilha alcalina, quase não falamos com os amigos, com os pais, criticamos a vida do vizinho, não vamos a academia, deixamos nossos filhos de castigo, etc, etc, ou tudo ao inverso.
Sempre em excesso.

Chegamos mesmo até nos viciar em alguns hábitos. Como eu já disse no começo do texto eu também os cometo. Mas agora estou tentando encontrar o bom senso.

Êta palavra boa e conforme o dicionário Michaelis s.m. (lat sensu) é a faculdade de julgar, de raciocinar; entendimento. Portanto bom senso é encontrar o equilíbrio.

Está difícil, mas é um ótimo exercício de controle, vamos dizer que é uma Yoga mental.

No meu dia a dia estou buscando este objetivo. Depois de sair do meu país e viver em outra cultura tão diferente da nossa é que pude aprender a respeitar determinadas atitudes, ou seja já diminuí meu excesso de brasilianismo (isto existe?). 1 ponto para mim! Uhuuuuuuu!

Mas a luta continua.

Descobri também outra conquista. Consegui diminuir o tamanho do texto que escrevi. Mais uma estrelinha dourada no meu caderninho da vida.

Quem quer se juntar a mim?


Texto de Cristiane A. Fetter

7 comentários:

Mercedes disse...

Eu quero me juntar a você, Cristiane! Também tenho que deixar vários excessos pra trás... êta luta! Adorei seu texto e veio muito a calhar pra mim.
Parabéns, o blog continua maravilhoso!
Beijos.

Ana Cláudia Bessa disse...

É Cris.
Há que se fazer a coisa de forma justa, mesmo.
Acho que criticar por criticar é uma bobagem que não acrescenta nada a ninguém.

A gente tem que ter em mente que tem muita coisa ruim e muita coisa boa em todos os lugares. Inclusive no Brasil. Que em muitíssimos aspectos, apesar de tudo de ruim (e ultimamente nosso noticiário está cheio), é maravilhoso.

Temos que usar nosso discernimento para aproveitar o bom e aprender com o ruim.

Afinal, como alguém disse algum dia: temos que aprender com os erros dos outros pois não teremos tempo de cometer todos os erros sozinhos.

bjs!

Anônimo disse...

Realmente, a padronização sobre o que pensamos dos outros leva a excessos. Bom senso e equilibrio nos ajudam a corrigir os nosso rumos.
Milton

Cristiane A. Fetter disse...

Obrigada Mercedes, exagerados unidos jamais serão vencidos, risos.
Temos que criticar sim, mas sempre procurando base nas informações e equilíbrio na hora de expressá-las.
Mas o mundo bom é esse, uns exageram, outros pisam nos freios, e a gente vai levando a vida.
Estou aprendendo muito isto aqui no "exílio" .
Abraços

Anônimo disse...

Gostei muito do texto. Exprime bem um momento que estou passando. Fico louca de tantas coisas em que não para de pensar que tenho que fazer e acabo fazendo o que não tem prioridade.
Gostei da yoga mental.

Parabéns Cristiane, estou na sua luta!

Karina Fuontes

Anônimo disse...

Realmente muitas pessoas tem esta mania de falar de coisas que não conecem direito.
Os brasileiros também ficam chateados quando veem alguém falar mal de costumes que não conhecem.
Gostaria de visitar este site que foi comentado.
Também estou engajado na luta da Cristiane.
Marlon

Cristiane A. Fetter disse...

Oi Marlon, o site é www.passeando.blogspot.com.
Abraços