sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Cinema e bebês também dá certo.

Achei esta iniciativa sensacional, realizar seções de cinema onde os filhotes podem estar presentes. Vida social com o bebe. Ela bem poderia ter surgido quando o meu filho nasceu, mas está sendo boa para as novas mamães. Esta novidade já está chegando ao interior de São Paulo e ao Rio de Janeiro também.

Estou colocando aqui a reportagem da revista crescer sobre o assunto.

"É quarta-feira e um grupo diferente aguarda na porta do cinema no shopping Bristol, em São Paulo. Não são os adolescentes que aproveitam a meia-entrada para colocar a visita ao cinema em dia. Na roda, o destaque são carrinhos e mamadeiras. Um grupo de mães e bebês espera, ansiosamente, o início de mais uma sessão. A cena se repete toda a semana e o longa escolhido da vez é Ensinando a Viver, com John Cusack. “Decidimos qual será o filme por e-mail; cada uma manda sua opinião. Os únicos vetados são os muito barulhentos, para não assustar as crianças”, conta Irene Nagashima, 37 anos, mãe de Max, 8 meses.

Cinéfila, foi Irene quem despertou a idéia nas outras mães, há 3 meses, em um grupo de discussão sobre maternidade na internet. “Em um dos fóruns, comentei minha ida ao cinema sozinha, até que uma delas sugeriu: por que não levamos nossos filhos da próxima vez?”, conta. A idéia empolgou a todas e os encontros de quarta-feira entraram na rotina, mostrando que o pós-parto pode, sim, ser uma fase divertida, e não um período de reclusão. “Não precisamos ficar em casa o tempo todo e levar o bebê apenas para tomar vacina. Hoje, além do cinema, vou ao Parque da Água Branca carregando a papinha dela”, conta Tatiana Tardioli, 31 anos, que sai para passear com Nina – hoje com 3 meses - desde que ela tinha 13 dias de vida.

A estreante do grupo é Nádia Lemos, 29, mãe de Catarina, 2 meses e meio. Ela estava adorando sua participação no grupo, mas se sentiu observadas pelos outros freqüentadores do shopping. “Tem gente que fica admirada quando eu conto que saio com a Catarina”, diz. Mas a reação ao grupo de mães é positiva. “Todos no cinema são muito solícitos e nunca ouvi ninguém reclamar pela nossa presença”, diz Andréia Gebrael, 31. Mãe de três filhos, foi apenas com a caçula Maura, de 3 meses, que ela aderiu aos passeios. “Quando tive a minha primeira, não saía de casa com ela para nada. Hoje, a Maura vai comigo até ao cabeleireiro”, conta. Já Sara, de 2 meses e meio, vai com a mãe Kátia Barga, 32, até mesmo na terapia. “Minha psicóloga fica com a Sara no colo durante a sessão”, diz.

Dentro do cinema, cada bebê aproveita o escurinho à sua maneira: enquanto os menores dormem ou mamam, outros não querem ficar parados. No meio do filme, Irene vai para a primeira fileira e deixa Max engatinhar livremente pelo chão. “Geralmente, ele dorme no meu colo. Mas hoje ele estava um pouco mais agitado”, diz. Já Felipe, 9 meses, queria ficar de pé na cadeira e Alexandra Swerts, 37, precisou sair alguns minutos com o filho. Na volta, o sono chegou e ele dormiu tranqüilamente no colo da mãe. “Venho ao cinema com ele desde que ele tinha 4 meses de idade; essa foi a primeira vez que precisei sair da sala. Nas outras sessões, era só apagar as luzes e ele já adormecia”, diz.

A mais nova da turma, Helena, de apenas 1 mês, filha de Lígia de Sica, 27 anos, mal percebeu o filme passar. E nem o ar-condicionado a incomodou; ao acender as luzes, a bebê mamava, tranqüilamente. O final do filme não significa que o programa acabou. Ainda tem a parada para um cafezinho. E semana que vem, elas estão de volta.'"

Para maiores informações consulte o site da CINEMATERNA.
____________________________________________________________________
Cristiane A. Fetter

2 comentários:

Ana Cláudia Bessa disse...

Na minha época não tinha disso não e realmente senti falta de fazer alguns programas "adultos".

Achei legal a proposta de filmes tranquilos porque fui ao cinema no final da gravidez e não foi legal, imagina fora da barriga.

Por isso, dependendo muito do cinema acho que crianças muito novinhas acabam sentindo mesmo em filmes tranquilos.

Me senti bem com a "reclusão" inicial e acho que só levaria após o quarto mês.

Mas a iniciativa é legal, ainda mais partindo de um grupo de internet.

Prova de que quando querem as pessoas se mobilizam e fazem qualquer coisa.

;0)
Eu ia alfinetar mas acho que já entenderam, né? rs

Paola Oliveira disse...

Eu não gosto de cimena com criança mas achei a iniciativa legal para quem curte.

Não entendi sua quase alfinetada...rs..rs..rs...