quinta-feira, 9 de agosto de 2007

QUAL É A DA COCA-COLA?

Esta informação me foi passada pelo meu filho mais velho: As latas de coca (e fanta e sprite) não são mais de alumínio!
Quando ele me disse isso eu não acreditei. Achei que era alguma espécie de "pegadinha" ou que era algum boato destes, sem fundamento, que circulam pela internet. Porém, Sendo ele Engenheiro de Alimentos, por força da profissão, tem o hábito de ler embalagens, observando essas coisas todas que nós leigos não costumamos ver.

Peguei a primeira lata de coca que me chegou às mãos e, para minha surpresa, estava escrito lá embaixo "AÇO"!!!!

Fiquei perplexo. Primeiro porque não vi nem ouvi nenhuma comunicação da empresa de que esta troca havia sido feita. Segundo porque não consigo entender as razões desta troca num momento em que o país bate todos os recordes mundiais de reciclagem de ALUMÍNIO.

E sabem por que chegamos a estes números? Não é por causa de conscientização, nem de campanhas nem nada. É pura e simplesmente por razões econômicas. Devemos isso ao binômio miséria-mercado. Sim, o Brasil é um dos países que mais tem CATADORES, e isso se deve à falta de empregos! e porque as latinhas? Simplesmente por causa do alto preço do alumínio.

Vale a pena, para quem não tem outra fonte de renda, revirar os lixos pelo país a fora catando latinhas de alumínio. Mas não vale a pena catar latinhas de aço! Não que este não seja reciclável, mas é que simplesmente com o mesmo peso se consegue ganhar três a quatro vezes mais com o alumínio. Conclusão dessa história incrível: Os catadores estão desprezando as latinhas da coca, fanta e sprite, que estão começando a entupir os lixões. Pode reparar!

O que levou a coca a esta troca? Certamente razões econômicas. O que, até que me provem o contrário, só demonstra que a tal de "responsabilidade social" e "preocupações ambientais", tão apregoada pelas grandes empresas, não passa de balela (ao menos para a coca cola).
Se eu estiver errado, por favor, me digam. Eu quero entender este raio desta troca!


_______________________________________________
Texto de Ivo Fontan

24 comentários:

Paulinha disse...

Que retrocesso!

Samantha Shiraishi disse...

Ivo, que notícia triste e que retrocesso mesmo. Vou repercutir sua notícia, ok?

Adriana Fischer disse...

Ivo.é realmente um retrocesso, e sabe que ontem vi que começou a passar um programa sobre os mistérios da coca-cola, vou ver se contam algo mais lá..

Ana Cláudia Bessa disse...

Acho muito importante que essa informação seja o mais divulada possível. As empresas só vão encarar o social como RESPONSABILIDADE o dia que ver a sociedade consumindo conscientemente.

Proponho inclusive um boicote!
Eu boicoto algumas empresas quando consigo (pois alguns produtos são realmente diferenciados). Se posso ficar sem o produto, então, boicoto numa boa.

A Nestlé é uma delas: boicot porque ela estimula veementemente o DESALEITAMENTO materno e por causa das denúncias de destruição das fontes minerais de São Lourenço. Temos até um link:
http://www.circuitodasaguas.org/index.php

Ivo Fontan disse...

Samantha e demais colegas, espalhem mesmo!
Quanto ao boicote, eu já não compro mais nenhum dos refrigerantes da coca em lata.

Rafael Fontan disse...

Oi Pai!
Acreditou né! Acho que esta é uma situação delicada, em que todas as possibilidades devem ser analisadas.
A coca-cola não está errada em envasar seus produtos em uma embalagem mais barata, mas está errada ao fazê-lo na surdina e não medir o impacto economico-social-ambiental que isso causaria.
Acho que ela deveria ter criado, no mínimo, condições para que suas embalagens atingissem os mesmos niveis de reciclagem que o aluminio tem.
Pelo menos as "latas" não são de plastico ainda!!!!

Mercedes disse...

Ivo,
é estarrecedor esse retrocesso justamente num momento da humanidade em que o impacto ambiental tem que ser considerado acima de qualquer coisa, pois trata-se em última instância da sobrevivência da humanidade a médio prazo.
Vou colocar seu texto na íntegra no meu blog e divulgar o máximo possível.
Parabéns.
Abraço.
Mercedes.

Cristiane A. Fetter disse...

Será que os administradores da empresa não pensaram que isto iria ser de conhecimento público? Será que não tinham medo? Não, com certeza avaliaram os riscos e viram que ainda sairia mais barato fazer esta mudança, mesmo com o risco da imagem negativa, do que continuar com o alumínio.
Eles sempre contam com a pouco memória que nós temos.
Não podemos mesmo deixar este assunto esquecido.
Temos que acompanhar de perto o desenrolar desta atitude tão comercial e não nos calar.
É isso aí Ivo, temos que mostrar o que a maioria não vê.
Eu mesmo não compro refrigerantes em lata a muito tempo.
Abraços

Mercedes disse...

Olá pessoal, voltei pra trazer uns dados do CEMPRE só pra verem a diferença de valores de reciclados: no site tem para várias cidades do Brasil os preços de mercado de diversos materiais(http://www.cempre.org.br/serv_mercado.php):

Por exemplo, no Rio de Janeiro, os catadores receberiam:

- R$ 170,00 por uma tonelada de latas de aço.
- R$ 2.800,00 por uma tonelada de latas de alumínio.
Ou seja: 16 vezes mais !!!

* O S.A.C. da Coca Cola é:
https://secure.cocacolabrasil.com.br/sac_seguro.asp

Ciro disse...

Vamos ser realistas: uma empresa existe para dar lucro e não para resolver os problemas do Brasil, que é uma obrigação dos nossos incompetentes governantes. Tanto o alumínio quanto o aço são recicláveis e a decisão mais lógica é optar pelo mais barato. Pouquíssimas pessoas pagarão mais caro por um produto só porque a empresa é “ambientalmente mais responsável”. Quantos de vocês já colocaram a mão no bolso para, por exemplo, substituir o aquecedor a gás ou chuveiro elétrico por um coletor solar? Eu não gosto de Coca-Cola, mas acho que esse caso eles não estão errados.

Mercedes disse...

Amigos, atualizando o post: recebi e-mail agora de manhã do amigo Eduardo Machado Quadrado:

De: Eduardo Machado Quadrado
Para: Mercedes

Data: 11/08/2007 09:37
Assunto: Re: QUAL É A DA COCA-COLA?

"Amiga Mercedes

Recebi um telefonema da Coca-Cola dizendo que as fábricas do Nordeste fabricam latas de aço e só no Nordeste.
Em São Paulo e Rio não usam pois fabricam de aluminio.
Portanto está confirmado o uso, pelo menos parcial.
Pedi para responderem por escrito e a moça disse não poder faze-lo.
Voce recebeu alguma resposta?
beijos 1000"
********************************

É realmente uma pena, porque justamente o nordeste é onde a realidade social tem sido mais dura, embora o consumo maior seja no sudeste.
Se desejarem ver os comentários lá na minha página, o time de O Futuro do Presente é sempre bem vindo :-))
Abraço a todos.

http://mercedeslorenzo.multiply.com/journal/item/442

Ivo Fontan disse...

Respondendo ao Ciro
A Coca Cola não está cometendo nenhum crime nem ilegalidade, mas está praticando uma grande sacanagem ao fazer esta troca SEM NENHUM AVISO À POPULAÇÃO.
O caso se agrava por se tratar da líder de mercado.
É claro que isso vai se refletir no índice de reciclagem de latinhas que o país já havia atingido.
Tem outra coisa: A lata é de aço, mas a tampa e o dispositivo de abrir, me parece (aguardo confirmação) ainda são de alumínio.
Se assim o for temos um grande problema operacional para reciclar essas latas.
Quanto aos coletores solares, não substituem gás nem energia elétrica. Eles apenas aumentam em alguns poucos graus a temperatura da água, o que significa economia na hora de aquecer (com gás ou eletricidade). Sua instalação, em muitos casos, não representa economia significativa que justifique o investimento.

Ciro disse...

Se a Coca-Cola emitisse um aviso, é provável que a polêmica fosse muito maior assim como a pressão que eles iriam sofrer. Também não acredito que isso afete o índice de reciclagem uma vez que a produção de latas recicladas não é suficiente para abastecer o mercado, tanto que existe um enorme mercado para latas novas de alumínio. Com relação ao aquecedor solar, eu sei que eles não substituem totalmente as fontes convencionais de energia, mas segundo a Patrícia Paixão que acabou recentemente uma pós-graduação em fontes alternativas de energia, com raras exceções, a economia de energia é significativa embora o tempo de retorno seja longo.

Ana Cláudia Bessa disse...

Penso que o que o Ciro colocou é uma realidade e não podemos fingir que é diferente. Mas a quem cabe mudar isso? Nós?
Sim...também.
Podemos escolher se queremos latas sendo recicladas ou não.

Podemos exigir dos governentes ( e ninguém ainda falou neles) para que qualquer reciclável seja de fato reciclado, não importanndo o valor da matéria-prima.

Se cada empresa fosse obrigada a ter um serviço de atendimento para dar destino sustentável ás suas embalagens, as coisas seriam bem diferentes...
Lembram do nosso pot que falava das sugestões aos políticos?

http://ofuturodopresente.blogspot.com/2007/07/sugesto-para-polticos.html

Rogério Resende disse...

Rogerio fala,

O que falta na realidade é mais informação a respeito deste assunto uma vez que na Europa 50% da latas de bebidas são de aço, na Alemanha pais da Cerveja 95% são de aço no Japão 60% são de aço porque?
Simplismente porque são tão boas quanto as de alumínio o que muda é a possibilidade de se utilizar uma materia prima que usa menos recursos naturais que o alumínio.
Fui pesquisar o assunto no Brasil e descobri que a reciclagem destas latas é de 85% o maior índice do Mundo da mesma forma que as latas de alumínio, ou seja tanto em alumínio quanto em aço somos campeões mundiais por sermos um pais pobre e não ecologicamente consciente.
As empresas tem o direito e o dever de produzir produtos, com qualidade, que suas embalagens sejam reciclaveis e acima de tudo com preço acessível a toda a população.

Jliana Cardoso disse...

Todos,

Enviei um e-mail para meu primo que mora na Alemanha perguntando se lá as latas de bebidas eram em aço ele respondeu que todas as latas de bebidas na Alemanha eram de aço, porque elas tinham a mesma qualidade que as de alumínio e tambem devido a lei do selo verde ter um imposto menor para a lata de aço por esta ser reciclavel e degradavel uma vez que elas ficam no ambiente apenas 5 anos contra 100 anos das latas de alumínio. Eles tambem levam em conta que para produzir uma lata de aço usasse muito menos energia que as latas de alumínio. Sendo assim acredito que a Coca Cola esta sendo ambientalmente correta ao fornecer ao mercado uma embalagem com estas caracteristicas.

Ivo Fontan disse...

Estes dois últimos comentários trouxeram informações e fatos novos muito interessantes. Mas eu pergunto: Por que a Coca Cola não fez isso?
Porque deixaram que um número enorme de pessoas que costumam separar latinhas para reciclagem (como eu) continuassem misturando latinhas de aço com alumínio?
E ainda gostaria de ver esclarecida a questão da tampa e do dispositivo de abertura: São também de aço? Ou continuam sendo, como aparentam, de alumínio? Se assim for, insisto, é um problema operacional muito complicado para a reciclagem.
Só mais uma coisinha: É verdade que a produção de alumínio (mesmo a reciclagem) consome muita energia, já que o processo é eletrolítico, mas também é verdade que atingimos um índice recorde de reciclagem deste metal POR CAUSA DO PREÇO. Na Europa os índices são bem menores e se devem a iniciativas de governos, ONGs e produtores, uma vez que não existe a enorme "rede de catadores" que existe aqui (e lá a energia é muito mais cara).
Portanto há que se ter muita cautela ao se comparar soluções convenientes para a Europa (ou América do Norte) com soluções convenientes para Brasil!

Juliana Cardoso disse...

Respondo ao Ivo,

Pesquisei na internet e verifiquei que as latas de aço usam tampas de alumínio e que não há nenhum problema na reciclagem pois o alumínio é fundido juntamente com o aço fazendo parte da liga do mesmo.
Quanto a compração do Brasil e da Europa eu não concordo com sua posição pois estamos discutindo neste blog o tipo de lixo que estamos deixando para os mais necessitados, quando na verdade deveriamos estar discutido formas e ações para darmos educação, saude e trabalho digno a todos os brasileiros de forma que tenhamos as mesmas condições dos paises do primeiro mundo.

Ivo Fontan disse...

Beleza a informação da Juliana sobre a questão da mistura alumínio-aço. Considero-me satisfeito.
Quanto ao restante não me considero convencido nem satisfeito.
É claro que "educação, saúde e trabalho digno para todos" é a nossa meta (ou nossa utopia, sei lá), mas a nossa realidade está muito muito longe disso. Há um longo caminho a ser percorrido, e neste caminho há sim catadores de lixo (como há também bóias-frias, camelôs, malabaristas de ruas etc etc etc)
Entre nós e a Europa (a "civilizada", bem entendido) há um "desnível civilizatório" de uns cinquenta anos, pelo menos)
No caminho para esse nivelamento existem ainda muitas e muitas latinhas para serem catadas!

Cristiane A. Fetter disse...

É concordo com o Ivo, dos males o menor.

Eurico Marcondes disse...

O Brasil só é recordista em reciclagem de latas de alumínio, aço, PET e papelão porque somos um pais pobre.
É como tal somos usados pela indústria do alumínio que extrai nossa bauxita e transforma em alumínio usando nossa energia elétrica barata, pois todas são multi nacionais que utilizam energia barata para ter lucros bilionários, quanto a reciclagem das latas de alumínio outra sacanagem pois as empresas pagam R$ 2,50 para um metal cotado no mercado a R$ 5,00 mais uma vez o Brasil é roubado por multi nacionais e o povo ainda acha bom.

Silvia D. Schiros disse...

Ivo, só mais um dado pra essa confusão toda: até onde sei (você pode pesquisar um pouco mais), o alumínio é um metal altamente tóxico para o corpo humano (embora eu não ache que, no caso de um refrigerante, faça muita diferença, afinal o refri também faz um mal danado pra saúde, né?). Não sei se o aço é menos tóxico, mas é algo a se pesquisar.

De qualquer maneira, achar mesmo eu acho é que essas porcarias (refrigerantes, cigarros e mesmo alimentos industrializados) deveriam ser é proibidas por lei, mas aí teria um monte de gente sem emprego, né?

A gente custaria um pouco a se acostumar à falta de conforto que todos os industrializados nos trazem, mas certamente ganharia muito em termos de saúde.

Sueli Marrieta disse...

Todos,

A uma controvesia muito grande em relação ao alumínio sobre ser prejudicial a saúde, há varios estudos afirmando que sim, quanto ao aço o maximo que pode ocorrer é a migração de ferro que é utilizado como complemento alimentar ( No passado nossas avôs colocavam um prego no feijão para migrar ferro e diminuir a anemia das crianças).
Existe um estudo na Africa do Sul onde a lata de alumínio diminui a fertilidade masculina. Os homens da Africa do Sul só bebem cerveja em latas de aço.

Ivo Fontan disse...

O alumínio é prejudicial à saúde somente na forma iônica e não na forma metálica.
Quanto ao comentário do Eurico, o que eu penso a respeito já está previamente respondido (dois comentários acima do seu).