segunda-feira, 19 de maio de 2008

Indenizações ou Investimentos?

Como já é de costume, gosto de falar de assuntos que já foram falados na mídia e que deixaram de ser "matéria de capa", justamente prá gente poder lembrar.

Há até bem pouco tempo, só se falava nisso: as indenizações dadas aos jornalistas pelo período de perseguição sofrida durante a ditadura.
Quem sou eu para dizer quem merece ou não receber indenização e quanto valem as seções de tortura sofridas ou as perdas que muitas vidas tiveram depois de viverem estes episódios, sejam pessoais, profissionais, emocionais ou psicológicas.
Mas hoje, as indenizações estão totalmente fora da realidade.
Vejam as indenizações do Ziraldo e do Jaguar.
Eles precisam? Suas vidas sofreram tantos revezes que mereçam reparações de tamanha monta? (Estamos falando de indenizações de mais de Hum milhão de reais e pensões mensais vitalícias de 20 mil reais!!!). Se merecem, só eles merecem ou tem gente que merece também ou muito mais?
Falo isso porque saiu recentemente no jornal que muitos presos políticos (uns que até morreram) não recebem nem um tostão, tendo suas vidas e suas famílias sinais claros de que as coisas não caminharam tão prosperamente como nas vidas desses jornalistas, tão “generosamente” indenizados e com pensão vitalícia.
As vítimas do Césio em Goiás, por exemplo, que atuaram no socorro das vítimas e descontaminação do local, recebem, ou melhor, ainda receberão, R$480,00 (é isso mesmo: quatrocentos e oitenta reais). São 20 anos de espera, mais de 800 pessoas e somente 199 conseguiram agora este parco benefício. Vergonha, vergonha, vergonha!

Eu gostaria de saber em que país vivem estes senhores jornalistas e onde se perderam seu ideais de luta que fazem com que aceitem essa quantia indecente num país com tanta injustiça social como o nosso!
Porque se for no Brasil onde eles vivem, tem muita gente que precisa (e muito) de uma pequena fração da fortuna que eles receberão e que eu teria vergonha de receber se tivesse uma vida tão próspera e com tantas benesses provavelmente colhidas também da notoriedade que essa mesma perseguição política lhes rendera durante sua trajetória de trabalho. E que não tenham dúvidas de que essas indenizações (que chegam a ser 800 vezes maior que as concedidas a muitos outros que sofreram o mesmo e até mais (pois perderam a vida), foram estabelecidas às custas do prestígio e poder econômico de pressão que profissionais de sucesso como eles têm e podem exercer. Ou seja, quanto mais se tem, mais se pode, mais se ganha e mais se quer. E danem-se a injustiças!

Aliás, é uma constante ver muitos militantes de outrora metidos nas maracutaias políticas, vivendo uma vida abastada e agora, alguns, também vivendo das custas do caixa do governo.
Eu não sou dessa época e estou escandalizada, eu imagino quem viveu nessa época e viu esses jornalistas lutando por liberdade, igualdade e fraternidade. Balela: são provavelmente iguais àqueles que eles diziam que combatiam. E como disse Millor Fernandes: “Então eles não estavam fazendo uma rebelião, mas um investimento." E como as pensões são vitalícias, faço minhas as palavras de Diogo Mainardi: " nesse caso só resta esperar que eles não vivam muito…"

Leia mais: http://www.diarioaponte.com/o-menino-maluquinho-nao-era-bobo-ziraldo-e-outros-indenizados-celebres-da-ditadura/

Petição de Repúdio às indenizações: http://www.petitiononline.com/zj171/petition.html

________________________________________________________________________________
Ana Cláudia Bessa

2 comentários:

Rosinha disse...

Você me desculpe, mas inverteu o viés da questão: o problema não é a indenização milionária merecida ou não, até porque, quem de nós aqui é capaz de mensurar de fato o sofrimento de alguém que foi torturado na época da ditadura? Eu me julgo incapaz de tal feito, simplesmente porque só quem passou por aquilo sabe a dor que sentiu. E às vezes nem todo o dinheiro do mundo é capaz de curar as sequelas físicas e psicologicas.
A questão que eu vejo é mais em relação à indenização mixuruca dos demais, que você citou. Isso sim é revoltante. O que faltou para eles foram bons advogados, por motivos que não preciso nem citar aqui, já que, nessa parte, você discorreu muito bem.

Ana Cláudia Bessa disse...

Pois é , Rosinha, mas eu uis dizer exatamente o mesmo que você. Contudo, não posso negar que acho (e aí trata-se de uma opinião meramente pessoal)que mesmo eles tendo direito, diante dos acontecimentos motivadores da indenização e da injustiça de que nem todos recebem o mesmo valor, ou pelo menos, nem a maioria esmagadora nem é indenizada, esse senhores deveriam tem uma postura mais igualitária com relação a seus pares.

Vem cá? Eu mereço e vou receber isso tudo mas o restante também tem que receber! Só porque sou famoso, tenho bom nível soxial e posso pagar bom advogado? Não, não, não...

Ontem mesmo saiu no jornal que saiu a indenização para algumas vítimas do Beateau Mouche...lembra do acidente em 88? Pois é...20 anos depois nenhuma idenização foi paga, embora algumas sentenças já tenham saído...

São indenizaçoes por causas diferentes, eu sei...mas que mais de 20 anos de esperá é um assombro, é.