sexta-feira, 9 de maio de 2008

Mercenário ou justiceiro?

Dia desses recebi um e-mail desses que circula na internet contando de caso de uma consumidora que encontrou uma barata numa conhecida marca de geléia de mocotó. No e-mail ela relatava que tentou conseguir uma indenização pelo ocorrido diante do risco a que expôs seu filho ao oferecê-lo um alimento que deveria estar em condições de ser consumido.
Em tese, as empresas apenas trocam o produto “danificado” por outro de mesma quantidade e tamanho. Não há nenhum tipo de bonificação para o cliente.
MAS SERÁ QUE ISSO É JUSTO?
É sabido que pouquíssimos clientes tem o hábito de reclamar. E muitas empresas se valem disso para oferecer produtos de qualidade ruim ou duvidosa. E quando o cliente reclama, ele vai lá, e troca. Pronto: rápido, fácil, simples e barato.
Mas o cliente que reclama, para as empresas sérias é o melhor cliente.
Como?

Sim...o melhor cliente!
O cliente que reclama está dando um retorno gratuito sobre o produto no mercado.
O cliente que reclama está profundamente interessado em que haja melhoria no produto.

O cliente que reclama não fala mal da empresa (se ele for bem recebido e atendido em sua reclamação). Ele fala mal para a empresa e não da empresa.

Mas no Brasil, o cliente que reclama é um chato e aquele que acha que merece ser ressarcido ou bonifcado, é um mercenário, aproveitador.
E acho que todo cliente que reclama, merece ser bonificado ou ressarcido ou indenizado pelos danos causados pelo problemas causados pelos produtos.

Nem que seja por simples agradecimento pela ajuda e oportunidade sem preço que este cliente dá ás empresas!

3 comentários:

Lola disse...

Olá,
Não sei quem fez a postagem, pois não acheio o nome aqui...
Faz um tempão que não passava "na casa de vocês", falta de tempo!!!
Concordo plenamente com vocês! Fui ao banco com minha irmã pagar o IPVA do carro e como o valor era alto demais, tivemos que esperar a autorização do gerente... Depois de quase uma hora esperando resovemos subir e falar diretamente com ele ou ela. Para vocês verem como funcionam as coisas, bastava ela abrir o pedido e clicar em uma tecla apenas. Minha irmã foi até uma gerente e recebeu a resposta que deveria esperar no caixa (ela nem perguntou o nome ou olhou na tela), eu fui até outra gerente, esta me recebeu muito bem , apenas pediu um minuto, estava fazendo outro atendimento. Ao terminar, perguntou o nome da minha irmã, liberou e pronto. Agradecemos muito e finalizamos a transação. Moral da história: Tudo depende da boa vontade do funcionário e se ele é um bom funcionário ou apenas um bosta!
Beijo.

Paola Oliveira disse...

Acho que isso acontece, Ana, porque nem todo cliente é honesto e muitos se aproveitam mesmo!

Geo disse...

Uma vez comprei um tênis na Bical. O tênis entrou uma água que não saía. Mandei um email e fui prontamente atendida. Eles pediram que eu mandasse, em sedex a cobrar, o tênis para avaliar o problema e me mandaram de volta outro tênis igual e mais um de brinde (outro modelo). Achei muito legal a atitude e considero a Bical uma empresa séria.
Já a Nestlé, uma vez eu reclamei do achocolatado de caixinha que, mesmo na validade estava deteriorado. Eles mandaram outra caixinha por correio e disseram que era assim mesmo, deve ter sido no transporte. A Nestlé não é uma empresa séria, logo desisti dos produtos perecíveis dela.