terça-feira, 23 de setembro de 2008

A dor e a delícia de se morar em uma CASA.

23 de Setembro, estamos começando a Primavera, e eu não podia falar de outro assunto que não fosse plantas, flores, espaço, jardim, horta...
Ano passado nos mudamos de cidade e de um apartamento para uma casa. Claaaaro que essa mudança toda foi motivada pelas crianças... E não nos arrependemos. Mas que casa dá muuuuuuito mais trabalho do que apartamento, dá. (ôxe.....)
Na minha infância morei em casa até os 12 anos e desde então, até o ano passado, em apartamento. Ou seja, a maior parte da minha vida adulta. Como eu era criança quando morei em casa, não sabia o trabalho que dava porque eram meus pais que cuidavam. Talvez, inconscientemente, eu tenha desejado propiciar isso às crianças porque eu passei a infância com essa liberdade que só morar em casa nos dá. Meu marido idem, porque morou em casa até seus 25 anos de idade (e na mesma casa). Acho que nunca morei mais de 5 anos no mesmo lugar em toda a minha vida...rs...

O fato é que estou adorando. A gente não fica preso em janelas e paredes, a gente pode ter um quintal por menor que ele seja, pode ter horta por menor que ela seja, pode ter liberdade por menor que seja e não precisa se incomodar com vizinhos mal-educados que moram na parede colada ao seu apartamento. As crianças podem gritar e brincar até meia-noite sem incomodar ninguém. E seu vizinho pode furar parede 10 horas da noite e você nem toma conhecimento.
Contudo, a gente gasta mais tempo e mais água cuidado da casa. A gente gasta mais dinheiro com manutenção, a gente tem mais área para varrer, tem a calçada para cuidar e se você escolher gramar seu quintal, prepare-se: grama dá muito trabalho! Em compensação...ver seu filho correndo e se jogando na grama fofa, não tem preço!

Num parquinho perto de casa, um outro pai de criança contava que está fazendo o caminho inverso: mudando de casa para um apartamento. Ele tem uma filha pequena mas mora em casa há 10 anos e não agüenta mais, inclusive já cimentou todo o gramado. Olha que pena! Pena pelo gramado e pela filha que vai morar em apartamento.

Outra questão é a segurança: estávamos tão estressados de maus condôminos que optamos por uma casa de rua. Conclusão: fomos assaltados 20 dias depois da mudança. Ladrões de galinha como se diz, mas levaram tudo que puderam carregar, não sobrou nem shampoo. Aí tivemos que gastar com alarme (pois já temos um cachorro e optamos por não colocar outro neste momento. Nosso poodle está com 11 anos e tudo que ele não merece é uma concorrência nesta idade de sua vida...rs). Não houve violência e foi apenas aquela velha história de que"a oportunidade faz o ladrão". Mas é horrível chegar em casa e se deparar com suas coisas todas reviradas, mexidas e dar conta de que coisas de grande valor sentimental foram perdidas para sempre. Mas a vida segue...

A casa que nós moramos não tem zilhões de quartos, nem 5 banheiros, nem um jardim enorme mas é o nosso palácio e todos estamos adorando viver esta experiência. Aqui aparece miquinho, borboleta, passarinho, sapo...aparecem também, lesmas , lagartas, aranhas e um monte de bichos estranhos que ninguém sabe o que é. A luta com formigueiros é constante porque elas machucam mesmo a gente.

Mas vale muito à pena! Inclusive, olha que coisa legal: vocês já tinham visto uma muda de coqueiro? Nós, não! E ele já está devidamente plantado, com a ajuda das crianças e já mostra 4 lindas folhas se abrindo.
Outro dia fiquei toda contente com um casulo de lagarta, ela comeu duas plantas inteiras e eu ali companhando o casulo crescer sem a menor pinta de que ia virar borboleta... Até que minha mãe, que morou na roça na infância, falou: não vai virar borboleta não, isso tá parecendo reprodução, vai sair um monte de lagartinhas...
E eu lamentando tudo o que pude, pedi pro marido tirar o casulo e jogar num terreno do outro lado da rua, porque não daria para enfrentar uma infestação de lagartas. O terreno em frente é vazio e não tivemos coragem de matar...foi a solução que encontramos.

Fora isso, moro perto e longe de tudo ao mesmo tempo. Ganhamos muito em qualidade de vida. Tem coisas ruins, tem...mas as coisas boas compensam muito mais! O brilho nos olhos deles compensa tudo.


Olha algumas fotos: do coqueiro que já foi plantado, da horta que já sofreu vários upgrades...rs e da Primavera que está chegando! E só não tem mais foto de passarinho porque eles fogem antes de dar tempo de tirar as fotos. Ah...e todas as fotos são daqui de casa, inclusive aquela flor liiiinda lá de cima!




________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa


,

13 comentários:

Ana disse...

Ana,

Que invejaaaaaaaaaaa!!!

Sua casa é linda, as fotos são lindas, as flores são lindas...


Eu atualmente moro em apartamento, com meus pais, mas estamos loucos p/ ir p/ uma casa... Já tentei fazer uma pequena horta, em vasos mesmo, mas não dá certo, não tem sol na hora certa, no lugar certo, as plantinhas não vão p/ frente... Só a samambaia "centenária" da minha mãe sobreviveu...

Já morei em casa, e estava planejando uma horta e um mini jardim, quando tive que mudar às pressas (coisas da separação...)

Agora o máximo que consegui é plantar uma mini-mudinha de trevo de quatro folhas, num vasinho pequenininho, que o baby está cuidando...

Taís Vinha disse...

Eu também sou fã de morar em casa! Casa é tuuudo de bom. Boa sorte e curta muito a sua. E feliz entrada de primavera!

Suzana Elvas disse...

Oi, Ana;

Eu moro em casa e confesso que, se puder, nunca mais moro em apartamento. Só pelo prazer e orgulho que me dá quando a professora pede que as crianças levem folhas e, no meio das samambaias, minhas filhas aparecem com folha de bananeira, pé de maracujá, goiabeira, cacaueiro...

Uma coisa me chamou a atenção no seu post: por que você não comprou um cachorro? Só porque seu poodle está velhinho? Pois saiba que uma das grandes alegrias de um animal idoso é um filhote. Passei por essa experiência vezes sem conta e te digo: deixando bem claro ao filhote que o rei da matilha é o cão mais velho, você vai ver como seu amiguinho vai renascer, querer virar filhote de novo. É uma das coisas mais legais que você pode fazer pelo seu bicho - mas isso só vale se ele não está cego ou inválido.

Bjs

Sandra Goraieb disse...

Eu tenho muita sorte, moro num sítio. Coisa de ter horta, pomarzinho, estes luxos que a vida concede para quem abre mão da urbanidade a todo custo. Sou caipira e adoro!

Cristiane A. Fetter disse...

Ana Cláudia, lembra quando eu dizia que ODIAVA apartamentos?
Que sempre havia morado em casa e que morar em um prédio era o que pior tinha acontecido para minha liberdade interna.
Pois é, este sentimento é impressionante.
Hoje estamos procurando outra casa para morar e aqui temos algumas opções de morar em um condomínio de CASAS geminadas.
Até comentamos sobre estas possibilidade, mas depois de provar da liberdade americana de morar uma casa, meu marido que sempre AMOU viver em apartamentos, não aceita mais morar neles.
Vitória.
E viva a liberdade.
E viva a nossa casa.
Beijocas

Ana Cláudia Bessa disse...

Ana, eu tive que sair do grande centro paa morar em casa. Temos um lado meio roça...rs...
Tome coragem e vai que vale à pena!

Ana Cláudia Bessa disse...

Obrigada ,Taís!!!

Precisa ver como é impressionante a mudança das plantas...foi só a prima vera chegar...rs...

E as flores começaram a abrir...
As que estava feias, ficaram lindas...coisa de louco...

Ana Cláudia Bessa disse...

Suzana,
eu já tive outro cachorro junto com ele e não deu certo, mesmo ele mandando...e mandava mesmo...rs...
o pequeno é que nem eu...
Aliás, uma vez deu uma mordida no focinho de uma pitbull (da Silvia, nossa amiga aqui do blog...rs..)

Digamos que ele não lida bem com divisão de seu território...

Além do mais, já que é prá arrebentar...rs...eu quero um dogue e prá ter um dogue, vou precisar de um caseiro...rs...
Senão meu marido me larga...

Ana Cláudia Bessa disse...

Ai, Sandra...porque a gente sempre quer mais? risos...
Meu sonho é ter um pequeno sítio, com muitas árvores frutíferas...espaço à vontade...uma mega horta...
ainda chego lá!

:0)))

Ana Cláudia Bessa disse...

Cris, eu lembro sim e que bom que agora o Bob (o construtor...rs) compartilha da sua opinião...
Aliás, nem é difícil com essas casas americanas maravilhosas...
As fotos que você me mostrou são de babar... fora essa característica das casas não terem muros na frente e ser aquele gramadão direto na rua...

ai...ai....

Mi disse...

Ana,

sempre morei em apartamento, mas há um ano e cinco meses, me mudei de cidade e para uma casa... Estou adorando!!! Mas quando fiz um ano de casamento (em abril deste ano) recebi um presente ingrato: minha casa tb foi assaltada! Exatamente do mesmo jeito que a sua: sem alarme, sem um cão valente... Era uma casa fácil! Foi tão triste que pensamos até em sair de lá... Mas, apesar da distancia do trabalho (moro há quase 60km do trabalho, incluindo a travesseia da Ponte Rio-Nikit) estamos tão apaixonados pelo nosso cantinho que a má impressão do assalto passou.
Instalamos alarmes e estamos pensando nas cercas... Um cão valente agora não... Como você, eu gostaria que meu(s) herdeiro(s,a,as) vivam a infância num quintalzinho de grama fofa!!!

Beijão!!!

Mi disse...

Corrigindo a última frase antes do beijo: "(...) gostaria que (...) vivesse(m) a infância(...)"

Ana Cláudia Bessa disse...

Mi, é um banho de água fria, não? Imagine que eu não tinha nem um mês de mudança... Não pensei em mudar mas fiquei durante um bom tempo meio paranóica. Até que os alarmes fossem instalados, não deixamos a casa vazia, nem um momento (como se eles fossem voltar tão rápido...). Fiquei muito triste pois tivemos que levantar um muro, fechar totalmente o portão que era vazado e colocar este monte de sensores. Dá uma sensação de prisão...não gostei. Hoje já me acostumei mas é sempre frustrante. Cerca elétrica eu tenho horror, me sentiria em alcatraz...rs...