terça-feira, 16 de setembro de 2008

"meus pais trabalham e tiveram que bancar tudo"

02/09/2008 - 18h12
Cielo desabafa e pede para não associar ouro olímpico à CBDA
Fernanda Brambilla-Em São Paulo

O nadador campeão olímpico Cesar Cielo compareceu nesta terça-feira ao Corinthians para prestigiar os colegas que disputam o Troféu Jose Finkel de natação. O atual recordista olímpico dos 50 m fez um desabafo à imprensa e disse que não quer associar a sua conquista em Pequim à CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).Cielo criticou a postura dos dirigentes e reclamou de promessas não cumpridas.

Campeão olímpico dos 50 m livre pediu que medalha não seja associada à CBDA:
"Não estou associando a minha conquista à CBDA, porque a Confederação pouco teve a ver com ela", disparou o nadador. "As pessoas vêem a festa depois da medalha na TV, mas a realidade é outra e é brutal", disse Cielo. "Eles vão ter que me agüentar. Vou ser campeão olímpico pelos próximos quatro anos. Pensando bem, ainda bem que veio essa medalha, viu?

" A rusga de Cielo com a CBDA teve seu ápice neste ano, quando alguns atletas foram se encontrar com o presidente Lula em evento promocional antes dos Jogos Olímpicos, na mesma época da renovação do patrocínio da Confederação com os Correios.

Cielo não compareceu porque estava treinando em Auburn (Estados Unidos), atitude bastante criticada pela cúpula da CBDA. "Na época o Coaracy [Nunes, presidente da CBDA] ficou ligando para os meus pais e queria que eu largasse tudo para ir ao evento", reclamou o nadador, que manteve a decisão de não ir.

O conflito entre as duas partes teve início em 2006, quando Cielo decidiu deixar o Clube Pinheiros para treinar em Auburn, cidadezinha do Alabama (EUA). À época, a CBDA cortou o patrocínio em represália à atitude do atleta. "Eles ficaram loucos quando eu decidi ir treinar fora. E quando eu não vim para o Troféu Maria Lenk antes do Pan, foi outra chuva de reclamação. E olha que eu nem tinha mais patrocínio. Mas tive que escutar...", lembra Cielo. "A Confederação é assim. Quando está descontente, liga para os meus pais cobrando, liga pra mim. Eu nunca vi dirigente ligar para atleta para reclamar. Até meu técnico (Brett Hawke) comentou que era uma atitude estranha."No ano seguinte, o patrocínio voltou à época dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. "Ah, eles foram obrigados a voltar a me patrocinar, né?", afirmou o nadador. O nadador conta que dependeu do pai para bancar sua preparação olímpica. "É difícil falar assim porque meus pais trabalham e tiveram que bancar tudo. Nem os ingressos que prometeram aos meus pais foram dados. Minha mãe perdeu a final dos 100 m livre.

"O único dirigente que escapou das críticas de Cielo foi o coordenador técnico Ricardo de Moura, que ajudou o nadador a levar seu técnico, o australiano Brett Hawke, junto à delegação da natação brasileira, o que gerou críticas da cúpula da CBDA, que não achava justo ter um técnico não brasileiro na equipe. César Cielo disse que voltará aos treinos nesta segunda-feira no Pinheiros, onde deve ficar até o fim do ano.

3 comentários:

João Carlos disse...

Porque você acha que nenhum dos jogadores de basquete que jogam na NBA quiseram participar da seleção?...

Ana disse...

Que vergonha!

Lamentável...

Ana Cláudia Bessa disse...

Tá certo ele que meteu a boca no trobone!

E a gente ainda tem que ficar ouvindo falarem mal dos atletas que se naturalizaram para representar outros países...
Quem se mantem numa empresa nacional que não dá estrutura para você trabalhar tendo oportunidade melhor numa empresa estrangeira?

Quem?????