quarta-feira, 3 de setembro de 2008

4 anos é muito tempo!

Mês passado eu escrevi sobre meu desânimo político nestas eleições. Esqueci de comentar que há muito tempo eu venho querendo escreve sobre o excelente nível das propagandas feitas pela Justiça Eleitoral para incentivar e despertar o voto consciente.

E aí, meus amigos, como é importante reconhecermos que temos coisas boas em nosso país, afinal, não fosse a liberdade de expressão, que governo corrupto (como o nosso) permitiria propagandas tão importantes que visam melhorar a qualidade do voto do povo!

Pois bem...como eu sempre falo por aqui, uma coisa puxa outra e acabei recebendo da Samantha Shiraishi dois links: um de seu próprio blog onde ela elogia as propagandas atuais cujo tema é "4 anos é muita tempo principalmente quando as coisas não vão bem". E realmente são excelentes porque fazem um paralelo bem fácil de compreender sobre o quanto incomodaria se ficássemos com uma abelha dentro do ouvido por quatro anos! E sapateando quando ficamos nervosos? E chorando ao ouvir o celular tocar? E sensacionalmente, como é terrível passar quatro anos andando em círculos.

Aí.....ela me manda outro link: do blog Ca'bianca idealizando uma campanha para que comecemos a falar , "sem fugir do conceito da campanha, criar ou contar coisas que fazemos há #quatroanos que nos colocam nas mesmas condições do cara que sapateia sempre que está nervoso, ou na mesma condição dos cidadãos que descobrem (isso quando lembramos) que o político que votaram é na verdade um verdadeiro bandido e um engôdo?"

E eu fiquei quebrando minha cabeça pensando no que poderíamos fazer de forma a efetivamente mudarmos os rumos de nossos votos. E revendo as propagandas abaixo e me inspirndo numa delas, estimulada pelos posts da Sam e do Cabianca, gostaria de sugerir um exercício eleitoral:

Você se lembra em quem você votou há quatro anos atrás?

Sabe o que ele seus candidados (se eleitos) fizeram durante seu mandato?

Ficou satisfeito?

Você acha certo um candidato a prefeito, por exemplo, ser deputado eleito e largar seu mandato para se candidatar a outro cargo eletivo sem ter cumprido o tempo de um mandanto que ainda vigora, mesmo sendo permitido por lei?


Eu não acho. E um dos critérios que usarei para escolher meu voto será esse: ele não pode estar ocupando nenhum cargo político atualmente.

Então, vamos tentar listar nossos candidatos eleitos e fazer uma avaliação da nossa qualidade eleitoral. O nosso espaço de comentários está aberto para sua lista e novas idéias de ação que nos façam criar uma mobilização em prol do voto consciente em 2008. Vamos mudar os candidatos que não deram certo. Vamos usar essa ferramenta sensacional que é a internet para pesquisar a vida política e a plataforma de nossos candidatos.

Assim como todos, precisei de um tempo para lembrar em quem votei... logo colocarei nos comentários. 4 anos é muita coisa mesmo!

Vejam as propagandas que mais gosto:




________________________________________________________________________________

Ana Cláudia Bessa

6 comentários:

João Carlos disse...

Sim, Ana Cláudia... Eu me lembro bem em quem votei há quatro anos. Aliás, eu sempre voto nos "azarões do páreo"... De modo que sua segunda e terceira perguntas ficam sem resposta.

A quarta pergunta é mais complicada... Eu sou favorável ao voto na legenda. De modo que não importa o indivíduo que ocupa o cargo legislativo, mas sim o seu partido. Aí, não haveria problema algum em um legislador se candidatar a um cargo no executivo.

(Você sempre pode me retrucar que nossos partidos são "sacos de gatos" sem qualquer compromisso com verdadeiros programas políticos, mas, aí, a discussão vira "chopp com batainhas"... não tem hora para terminar... :) )

Ana disse...

Ana Claudia,

As propagandas são muito criativas mesmo... gosto daquela do rapaz esperando o trem passar...

Eu me lembro em quem votei nas eleições passadas, mas infelizmente todos me decepcionaram... Ainda não escolhi meus candidatos, e confesso que não está fácil... As propostas são vagas e fantasiosas, não sinto confiança em nenhum deles...

Mas é um absurdo candidatos com ficha sujo concorrerem a cargos públicos!

Alexandre disse...

Eu lembro em quem votei há 4 anos...
Ah não, eu ñ votei nas últimas eleições municipais...rsrs, tava fora da minha cidade. Mas lembro bem em quem votei nas últimas pra deputado e senador.
As propagandas são bem interessantes, e tentam abrir o olho de pessoas como a da cidade onde eu moro, ue dão a liderança pra um candidato que tem mais de 20 processos em cima dele... e acredite, ele vai ganhar fácil
Lamentável

Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

Ana disse...

Inspirada pelo post, ontem resolvi ouvir no rádio, na hora do almoço, a propaganda eleitoral gratuita dos candidatos a prefeito da minha cidade....

Que decepção...

Não vou nem entrar no mérito das propostas - ou melhor, da falta delas. O que mais me chocou foi a linguagem dos candidatos - "né?", "tá?", gírias, uma linguagem totalmente imprópria para uma propaganda dessa importância...

Fiquei muito decepcionada!

Ana Cláudia Bessa disse...

Em 2004, eu votei em Jorge Bittar para prefeito. Não foi eleito e hoje é deputado federal eleito em 2006.

Para vereador, votei em Edson Santos do PT , eleito. Porém, largou seu mandato para concorrer a deputado federal em 2006 e venceu.

Esse perdeu meu voto já na eleição de 2006.

Cristiane A. Fetter disse...

A maioria dos brasileiros não sabe, mas quando você sai do país (que é o meu caso), a OBRIGATORIEDADE de votar continua.
Pela lei você deve transferir seu título de eleitor para ao consulado brasileiro mais próximo da sua residência e no dia da votação ir lá cumprir com a sua OBRIGAÇÃO.
Muitos não fazem isso porque estão em situação ilegal e tem medo de que a imigração os pegue e os deportem, o que não acontece porque os países respeitam este momento e não atuam nesta hora.
Outros não o fazem porque não tem contato com a política brasileira, nem acesso a informações, já que vivem em outro país.
Outros (aqueles que tem sua situação legal principalmente), preferem justificar o voto quando visitam o Brasil.
Eu particulamente e há muitos anos anulo meu voto. Como eu destaquei lá em cima acho que a obrigação, e na palavra já diz tudo, é terrível.
Eu tenho acesso a notícias do Brasil e só vejo as coisas ruins que os políticos fazem. Estive durante 4 meses no Brasil e só vi besteira.
Acredito que se o voto não fosse obrigatório aqueles que iriam se candidatar ao cargo político iriam pensar duas vezes antes de fazer uma besteira, já que na próxima eleição sua candidatura estaria em risco, o povo estaria mais atento e quem vota, iria realmente ter o poder de escolha.
O engraçado e que penso assim desde os meus 16 anos, e olhe que isso só aumentou quando fui CONVOCADA a trabalhar como mesária em eleições. Ví o depotismo dos políticos que por alí passavam, ví o aliciamento dos presidentes da mesa pelos cabos eleitorais, tsc, tsc.
É uma pena.