sexta-feira, 28 de março de 2008

Isso não cheira bem!

Vendo aqueles programas de vídeos engraçados, lembrei-me de um acontecimento ocorrido a uns 4 anos com meu pimpolho.

Meu menino tinha um sono bem regular para a idade dele, e para quem ainda mamava no peito. Perto da meia-noite ele mamava e só acordava entre as 6 ou 7 da manhã. Então nós tínhamos uma noite bem tranquila, já que o dia era sempre bem agitado.

Nós possuíamos uma babá eletrônica que também era uma câmera de vídeo com visão noturna, uma beleza! Uma tranquilidade, pois se durante a noite o rebento fizesse algum ruído era só dar uma olhadinha na tv, e a paz voltava.

Mas um dia (era um sábado) eu acordei por volta das 7 horas e não consegui ver meu filho pela câmera e ele estava fazendo bastante barulho. Levantei então preocupada e fui lá no quarto dele. Vamos dizer que eu não estava preparada para o que encontrei.

Cocô, por todos os lado e por onde você, caro leitor, não pode imaginar, inclusive na câmera que estava presa ao berço dele. Ele fez o número 2, conseguiu tirar a fralda e espalhou a mercadoria por todos os lugares. Acredito que ele tenha também sacudido a fralda dentro do berço. Nunca ví uma coisa se multiplicar tanto como isso.

Gritei pelo pai da criatura, para que viesse me ajudar, claro. Pelo que me lembro ele ficou chocado na entrada do quarto, até porque o cheiro, como vocês podem imaginar, era insuportável. Disse que não iria entrar no quarto, que ele poderia ajudar a limpar o menino.
Levei mais de 3 horas para conseguir limpar tudo, e depois ainda tive que dar banho no menino novamente. E não passei mal com isso.

O resumo desta história toda é a seguinte, quem ainda não tem filhos, explique direitinho para os respectivos maridos, que filho nao tem só lado bom. Tem que limpar, ficar acordado até tarde, levantar no meio da noite e trocar fralda sim, não que meu marido nao seja um pai atuante, mas depois deste "evento", ele me ajudou, mas só depois que eu ditasse as ordens, pois o estado de choque era muito grande.

Para os pais que estejam lendo este texto, não estou desmerecendo o trabalho de vocês, só salientando como nós mulheres somos mais fortes, e portanto, coloquei um vídeo aqui, que resume bem isso.
Enjoy.




__________________________________________________________________________________ Cristiane A. Fetter

14 comentários:

Silvia D. Schiros disse...

Hahaha! Cris, dei ótimas gargalhadas com o vídeo, tô chorando de rir!

Meu marido trocou fralda UMA vez (isso aí, tenho duas filhas e ele só trocou UMA vez, ou seja, nem chegou perto da outra pra trocar fralda). Era de cocô. Mas ele não tem ânsia, não. Só nojo.

Hoje em dia, ele até limpa o bumbum das meninas, mas só diante de muita insistência. Faz de tudo pra escapar da tarefa.

Cristiane Fetter disse...

Silvia isso é engraçado não é, meu marido troca fraldas e limpa bubuns sem problema, mas nesse dia acho que ele entrou em choque.
Agora, nós temos que colocar a mão na massa, se não fica sujo.
Que bom que você riu, é sempre bom.

Beijocas

Ana Cláudia Bessa disse...

Gente,
aqui em casa o maridão troca fralda e limpa tudo!
Reclama da sujeira, do trabalho, como nós também reclamamos... mas limpa NA BOA.
Dá banho, troca roupa(bem...não vamos falar das combinações...hehehe), dá comida, ajuda mesmo. De dia e acordado ajuda...hehe...
de noite, só em caso de catástrofe...ahahahaha...que graças a Deus, foram raras.

Claro que ele tem outos defeitos....rsrsrs...
mas eu não podia perder a chance de tirar uma onda com essa qualidade...

Moooorram de inveja!
;;;;0)))))))))))

Luma disse...

Os homens preferem enxergar o lado cute, cute das crianças. Mas eu entendo! Eu na minha inexperiência fui muito patife! Mas a pergunta é: E se a gente não faz?
Eu imagino o choque. Aconteceu comigo mas não era cocô, era giz de cera. As quatro paredes do quarto completamente rabiscadas. Ficou né? Super original!
Esse video é muito bom, pra desanuviar a tragédia inicial!
Bom fim de semana! Beijus

Cristiane Fetter disse...

Ana, é que ele nunca se viu em uma situação periclitante destas, risos, ele ficaria exatamente igual ao meu sem ação, chocado, atrapalhado.
E espero que nunca aconteça e nem se repita comigo, he he he.

Bj

Ana Cláudia Bessa disse...

Fala sério...você acha mesmo, que com dois, a gente nunca passou por isso? ahahahaha...
Sonho seu!
;0))))

Mas fazendo um outro comentário, acho que independente das nossas brincadeiras, os homens precisam e muito, ser mais companheiros das mães na rotina dos filhos. Ainda estão muito acomodados no conforto de que a mulher acaba sempre tomando a frente e fazendo o que precisa ser feito.

Silvia D. Schiros disse...

Bom, eu falei que o meu só trocou uma fralda, mas deixa eu me redimir aqui, porque ele é um cara que faz. ;-) Nunca tá parado, tá sempre trabalhando. Seja cuidando do jardim, seja pintando paredes, seja consertando coisas (mexe com tudo na casa, parte hidráulica, elétrica, monta e conserta computadores - e muito mais), ele não pára.

Por isso, tem certas coisas que eu nem cobro dele. :-) Faço com prazer (tá bom, de vez em quando eu reclamo, mas eu aceito as minhas tarefas como mais do que justas.) ;-)

Nossa, ainda bem que nunca aconteceu das meninas fazerem cocô e espalharem pelo quarto. (Minha mãe conta que eu fiz isso.) Talvez pelo fato delas terem dormido conosco nessa fase de fraldas. Com a criança ali do lado, não daria nem tempo de aprontarem tanto com o cocô. Dessa eu escapei.

Ana Cláudia Bessa disse...

hehehe...Silvia, eu não escapei! Olha, foram mais de um acidente com cada um porque eu sempre coloquei eles prá dormir na cama deles. Eles dormiram no quarto comigo até o segundo ou terceito mês, depois eu fui passando pro berço. Hoje, eles dormem na cama com a gente, mas só quando eles acordam no meio da noite e vem. Mas não é todo dia, mas quando eles vem, a gente deixa, não esquenta.

Inclusive, estou desfraldando o pequeno e ele arranca a fralda,. ainda não aprendeu a segurar o xixi. mas outro dia arracou a fralda com cocô, e quem nos avisou foi o irmão...rsrsrs. Moral da história: eu e Fabio filtro solar no lombo lavando o tapete da sala no sol...não sobrou m...sobre m.... ahahaha

Ah...o eu lembrei do seu maridão cuidando da grama...e catequizando os cachorros para não fazerem xixi. Aliás, quando eu fui aí com o maridão, avisei prá ele: se segura porque não pode fazer xixi na grama do LF! ahahahaha

Beijos!

Carla Beatriz disse...

Oi Cris,

Morri de rir com o texto, mas não consegui ver o vídeo (é bloqueado aqui no trabalho).
Nunca tive a experiência do "cocô por todo lado", mas já tive a experiência de "vômito por todo lado". Com um ano, meu filho pegou rotavírus e era vômito e diarréia o tempo todo. Ele acabou pegando o hábito de dormir na nossa cama, bem no meio entre eu e meu ex-marido. Uma noite, ele vomitou na cama, em mim, molhando os lencóis, meu traveseiro, pijama, etc. Lá foi o maridão levar a roupa de cama vomitada para o tanque e trocou os lençóis, enquanto eu ficava com meu filho no colo. Deitamos e tentamos dormir de novo quando ... nova golfada de vômito nos lençóis recém-trocados! Lá foi o ex tirar os lençóis vomitados e colocar nova roupa de cama. Desse dia eu não posso reclamar dele, que limpou tudo, reclamando, mas limpou. hehehe

Cristiane Fetter disse...

Oi Carla meu filho também contraiu este vírus maldito e desidratou em menos de 10 horas e só voltar a ter saliva depois de 24 horas de hidratação venosa e foram 3 dias de internação.
O maior problema foi eu ter contraítdo o maldito no 2 dia de internação.
Nesta época eu tinha empregada e enquanto eu estava em casa com ele eu e ela limpamos tudo (daí a contaminação), nessa hora o marido também foi 1 milhão por cento, não arredou o pé de junto da gente, maravilhoso.
Acho que quando é doença os "machos" passam por cima de qualquer coisa não é?
Beijocas

Carla Beatriz disse...

Cris,
Nem gosto de lembrar do episódio do Rotavírus! O Gabriel também ficou internado por 3 dias no hospital e ficou traumatizado com jaleco branco. Não podia ver ninguém de branco, que já abria o berreiro.
Graças a Deus, eu ainda o amamentava, pois o leite materno era a única coisa que ele tolerava. Ele não tomava nem água, não queria nem saber. O pediatra do hospital dizia: "Ainda bem que ele ainda mama no peito, isso salvou a vida dele".
Ele pegou o rotavírus uma semana depois do aniversário de um ano, contagiado pela madrinha dele, que havia tido há pouco tempo.
Como eu disse, no episódio dos vômitos eu não tenho o que reclamar do ex ... hehehe

Beijos

Carla Beatriz disse...

Ahahahahahahahahahaha!

Consegui ver o vídeo agora há pouco, aqui em casa. Morri de rir!!!

Ana Cláudia Bessa disse...

Gente, realmente esse rotavirus é uma loucura. Aqui, não passamos por ele. Lembro que na época do mais velho ainda não tinha vacina, mas a coisa piorou e no segundo, todo mundo tava vacinando. Eu falei prá médica que não vacinaria e ela respeitou mas me deu algumas recomendações, que segui á risca e deu tudo certo. Ainda mais que nenhum deles frequentava escola, era mais fácil prevenir.

Mas me lembrei de uma época que o mais velho desmamou e eu optei por dar leite de soja ao invés de leite de vaca porque ele tem histórico de intolerãncia a Lactose por parte da família paterna, sendo assim,quanto mais tempo demorar a introdução do leite de vaca, melhor.

Mas não é que depois de algum tempo o leite de soja começou a desarranjar o menino? E até descobrir o que era, foi muitos dias lavando o berço que acordava todo sujo, do cabelo ao pé porque ele simplesmente evacuava dormindo e não sentia nada...quando íamos olhar, estava numa situção que nem Deus ajudava, corria prá outra casa...hehehe

Geo disse...

Muito bom o vídeo. Sua história, melhor ainda.... Beijo.