segunda-feira, 30 de junho de 2008

Não abra mão de seus valores pessoais

A mensagem do vídeo fala por si. Bom início de semana para todos.

5 comentários:

Tricia disse...

Claudinha, dá uma olhada nesse link..
http://luciana.misura.org/2008/06/23/para-onde-vao-todas-as-tvs/
bjs!

ana claudia bessa disse...

Oi, Trícia!
Já fui lá e comentei!
Adorei! Nem preciso dizer que me inspirou a falar sobre o assunto!
:0)))
Falando em blog, adoro o seu!
Um grande beijo!

Carla Beatriz disse...

Nossa, adorei o vídeo! Realmente inspirador, ainda mais nos dias de hoje, em que as pessoas parecem ter esquecido a ética e valores pessoais.

Um grande beijo

matteo irma disse...

oi Ana!
O que seria de nós se não respeitássemos nossos valores? Acho que seria um desrespeito, uma violência muito grande...
Agora acho engraçado a colocação valores pessoais x corporativos. Valores são pessoais, e como somos pessoas, os levamos conosco para nossa vida corporativa. Eu diria que os interesses ou a política corporativa é que podem entrar em confronto com nossos valores, e é aí que o bicho pega.
Esse mundo corporativo não é mole não, nem sei como aguentei tanto tempo, nem como, com meu perfil, consegui crescer dentro de uma corporação como a firma onde trabalhei. Acho que posso dizer que nunca abri mão dos meus valores, mas por outro lado penso que poderia ter mudado a forma de administrar algumas situações, e até ter aprendido a ser mais política, e talvez tivesse enfrentando menos problemas e críticas ainda sem ter que abrir mão dos meus valores. Mas não me arrependo de nada, foi um grande aprendizado. E serviu pra formar uma çonvicção: esse mundo corporatico não é pra mim!
beijo
Renata

Ana Cláudia Bessa disse...

Renata, eu trabalhei em algumas empresas e realmente são como ele fala no vídeo. Este ambiente também não é minha preferência e a frieza dos negócios me assusta, enquanto a outros, apaixona.

Já perdi uma oportunidade de trabalho porque não saí com o chefe; já fui preterida por ser mulher, embora preparada para o trabalho; já fui demitida uma vez por incompatibilidade pessoal com A chefe, como ele disse, porque não gostava de mim. Como eu também não gostava dela, foi um alívio.
E numa outra vez, pedi demisssão por não concordar com os métodos de um novo chefe, que apenas 5 meses depois de minha saída, já estava fora por desvio de dinheiro! Portanto, posso de dizer que, pela minha experiência pessoal, no meu balanço, prefiro me manter fiel aos meus princípios. Mesmo que eu morra de raiva na hora....