sexta-feira, 25 de maio de 2007

O VALOR DO ELOGIO - PARTE 2

Posso concluir que a maioria dos médicos brasileiros, ou pelo menos muitos que conhecemos, MERECEM e DEVEM receber elogios. Aqueles profissionais que estão sempre buscando mais informação, mais conhecimento para tratar melhor seus pacientes, aqueles que buscam criar uma ponte entre o que o paciente sente fisicamente e o que ele sente na alma, aqueles que trazem um pouco de tranqüilidade a quem o procura, aqueles que tentam diminuir as dores que estas pessoas carregam.

====Às vezes somente um pouco de “boa” conversa já elimina 50% dos problemas de quem o visita, este profissional entende que tudo está interligado. Ele também entende que retornará para casa mais tranqüilo, com mais energia para dedicar a família ou a ele mesmo e muito mais disposição para reiniciar tudo no dia seguinte. Acompanho bem de perto a carreira da minha dentista e sei o quanto é difícil tratar das dores, medos, incompreensões e cobranças de seus pacientes. Vejo seu esforço em compreender e também ser compreendida, em melhorar e crescer dentro de sua área.

====Percebo o valor do Elogio em meu filho. Quando ele faz uma coisa que sabe que está certa, ele aguarda a minha aprovação, ou seja, o meu elogio pela execução correta de alguma atividade ou simplesmente por ter feito algo “engraçadinho”. Eu sei que isto vai ajudar muito em seu futuro fazendo com que ele diferencie o que é bom e o que não é. Vai reforçar sua auto-estima em tentar realizar tarefas e claro executá-las bem, mas estas são pequenas divagações de uma mãe exilada nos Estados Unidos.

====Vamos olhar em volta e investir no bem estar de quem nos rodeia. Vamos usar do mesmo sistema que utilizamos com as plantas, um pouquinho de água, um pouquinho de adubo, um solzinho, tira do vento, poda um pouquinho, e na primavera ela virá trazer a alegria de muitas flores. O Brasil como todos sabem é um campo difícil de ser plantado, é muito pedregoso e tem pouca irrigação, por isto quando uma planta resolve crescer neste solo merece ser bem tratada e ser muito elogiada.

====É importante quebrarmos algumas barreiras que existem dentro de nós. Às vezes com a vida atribulada que levamos não conseguimos encontrar espaço para avaliar o que acontece ao nosso redor e abrir nossa mente para entender que da mesma forma que gostamos de ser reconhecidos pelos outros o inverso também acontece. Vamos jogar a vergonha ou até mesmo o orgulho para lado e elogiar aqueles que fazem parte de nossas vidas. O carteiro, o cada da feira, aquele caixa do banco, o atendente do telemarketing, nosso animal de estimação, o encanador, pais, cônjuges, filhos, agregados entre outros.Ou como dizia José Datrino – GENTILEZA GERA GENTILEZA – mais conhecido como Profeta Gentileza (http://www.riocomgentileza.com.br/).

====Vamos reconhecer o valor do elogio e investir nesse pequeno gesto que tão bem fará ao nosso hoje e principalmente ao nosso futuro.



Segundo a wikipedia: Elogio é o enaltecimento de uma qualidade ou virtude de algo ou de alguém. Deriva de duas palavras da língua grega: ευ – que significa ‘bom” ou “bem” – e λογος – que significa palavra, fase, fala, etc. Um elogio serve também como uma ferramenta educacional utilizada para motivar outras pessoas, aumentando sua auto-estima ou corrigindo um defeito.


Texto de Cristiane A. Fetter

10 comentários:

Cyça disse...

Sabe, eu tenho mania de bom dia, boa tarde, boa noite, obrigada, por favor. E eu tenho ensinado isso pro meu filhote. Não interessa q ele acabou de fazer dois anos. Ele já diz "Não, mamãe, bidadu", "Xaúde!", "Dexupa, mamãe, bêxo, upaaaaaaa!".

Isso é reconfortante, é ver q o exemplo tá certo, q o espelho é bom. Pq eu não ensinei ele a dizer exatamente essas coisas, mas ele fala por observação.

Essa espera pela aprovação é linda e é lindo tb, qdo eu pergunto se o q ele fez está certo, já parte dele mesmo o "dexupa, mamãe", depois do "não, não". Pq ele mesmo já tá começando a notar o q é certo, o q é errado, e q a gente assume o q faz.

Ah, é pretensão minha falar isso td de uma criança de 2 anos? É não. Ninguém entende, pq ninguém faz o q eu faço, todo mundo acha q ele é muuuuuuito pequeno.

Mas aqui eu sei q entendem sim. Foi neste terreno q abdiquei de vez da Ignorância... :D

Fugi muito do tema?

Beijos!

Cristiane A. Fetter disse...

O Cyça, fugiu não. Eu acho que o que você faz é elogiar os bons exemplos que seu filho está vendo em você e os elogios que você em retribuição. O desafio para mim é a gente (mães) se policiar para que estas criaturinhas consigam enxergar a diferença. Mas pelo visto nós estamos conseguindo, não sem dificuldades, mas estamos no caminho certo. Beijos

Ivo Fontan disse...

Fui profissional de vendas um bom período da minha vida. Nessa época aprendi várias coisas sobre relações humanas. Muitas delas eu deletei porque não passam de "técnicas de vendas" babacas, que consideram o possível comprador um perfeito idiota.
Algumas coisas, no entanto, eu guardei e uso na minha vida até hoje. Uma delas é o seguinte: A palavra mais linda que pode existir para qualquer pessoa é o SEU PRÓPRIO NOME.
Conversar com as pessoas chamando-as pelo nome é um tremendo sinal de respeito e consideração e, não raro, opera verdadeiros milagres.
Faça isso com a balconista da loja, com o carteiro e o lixeiro que atendem à sua rua, com a recepcionista do consultório...
Você vai ver como funciona!

Ana Cláudia Bessa disse...

ih...conheço alguém que mora na minha casa que é da mesma escola.
Tem até uma história engraçada de um vigia de um hipermercado em SP.
Todas as vezes que a gente passava na guarita o Fabio cumprimentava:
Bom dia, "Seu" Minervino!
Ele não fazia nada, além de entregar e recolher os comprovantes de estacionamento, mas abria um sorriso tão largo pro Fabio, que acho que ele ganhava o dia!

Ana Cláudia Bessa disse...

ih...conheço alguém que mora na minha casa que é da mesma escola.
Tem até uma história engraçada de um vigia de um hipermercado em SP.
Todas as vezes que a gente passava na guarita o Fabio cumprimentava:
Bom dia, "Seu" Minervino!
Ele não fazia nada, além de entregar e recolher os comprovantes de estacionamento, mas abria um sorriso tão largo pro Fabio, que acho que ele ganhava o dia!

Ana Cláudia Bessa disse...

Cyça,

eu fico muito orgulhosa de nos considerar pessoas diferenciadas. Afinal a maioria, infelizmente, não se preocupa com conceitos básicos como ética e respeito.
Aqui em casa, a gente agradece o tempo todo, pede por favor, desculpas.

E o elogio vem na hora que faz a coisa certa. Com certeza, se sentem incentivados!

O Giullio fala certinho: DesculpE, mamãe!
Uma graça.
Pede por favor.
E o Lucca, adora ficar dando as coisas pra gente para ouvir a gente falar "obrigado!!".
E ele nem fez 1 ano e meio ainda!

Claro que não são crianças perfeitas, não é isso que quero dizer.
Mas a gente tenta ao máximo que sejam cada dia melhores dentro de seus próprios limites.

Bjs!

Anônimo disse...

Eu sou totalmente descrente da classe médica.

Lailla disse...

Ah...eu não sou não.
Toda profissão tem o joio e o trigo.
Adorei o texto da Cristiane e imagino o quanto não deve ser difícil para ela passar por essas coisas.
Meus médicos são como ela citou.

Cristiane A. Fetter disse...

Obrigada Laila, é bom ver que apesar de todos os pesares as pessoas estão conseguindo reconhecer o trabalho dos profissionais brasileiros. Esta visão humanista da relação médico paciente é hoje o que eu mais procuro por aqui. Abraços

search engine marketinghvcwge disse...

telemarketing services The Most Powerful way to get traffic On The Web!

Lead generation is crucial for business.