quinta-feira, 31 de maio de 2007

Metas do Dia da Terra: antes tarde do que nunca


Há tempos estou “devendo” para o blog a definição das minhas metas para ajudar a melhorar um pouco a situação caótica em que está esse nosso pedacinho do universo... A Ana e a Eva não só já publicaram as metas delas: elas já fizeram um post com o acompanhamento proposto. Palmas pra elas, né, gente?

Quando a idéia foi proposta pela turma do Faça a sua parte, do qual sou colaboradora, já comecei a pensar no assunto, e tive dificuldades para definir uma ou duas metas atingíveis e mensuráveis. Então comecei a xeretar os posts sobre atitudes eco-conscientes e, depois de lançada a idéia das metas a serem cumpridas ao longo do ano, também comecei a buscar inspiração nas idéias alheias (vocês podem encontrar os links para os artigos sobre atitudes eco-conscientes e metas para o Dia da Terra na coluna direita do Faça a sua parte). Muitas coisas eu já faço, então não fazia sentido eu “roubar” e definir como meta alguma coisa que já estava implantada. Outras eu até gostaria de tentar, mas não tinha certeza de que conseguiria cumpri-las (mas podem servir de inspiração e ficar na fila de metas futuras).

Depois de pensar um bocado, consegui definir duas metas, e, confesso, fiquei bem contente com elas.

1) Reduzir o consumo de água, desligando a água do chuveiro enquanto me ensabôo. Na minha adolescência, gastei muita água, pois tomava loooooooooooongos banhos de chuveiro. Ah, se eu tivesse, naquela época, a consciência de hoje. Como não posso consertar os erros passados, então tento compensar no presente. Até que a coisa não é tão difícil assim. Com a chegada do inverno (que, no Rio, não é tão rigoroso assim - mas eu vou mudar para o interior de SP, e aí o bicho vai pegar), fica um pouco mais difícil. Tem dias em que desligo o chuveiro tranqüilamente. Nos dias em que não consigo, deixo beeeeeeeeem pouquinha água ligada, e vou me ensaboando e enxagüando ao mesmo tempo. E sempre que desligo a água enquanto me ensabôo penso que desperdicei muita água sem motivo nessa vida. Ai, ai.

2) Reduzir o consumo de carne, substituindo, inicialmente, esses produtos, na hora do jantar, três vezes por semana. Quem quiser, pode sugerir receitinhas vegetarianas gostosas, rápidas e fáceis de preparar para me inspirar. Porque eu não sou muito criativa na cozinha (essa área definitivamente não é o meu forte), e essa meta é um tiquinho mais difícil para mim. Outro dia, fiz hamburguer de soja pela primeira vez, e até que achei bem gostoso! Só não prometo que vá me converter 100% ao vegetarianismo, porque a comida da casa depende um pouco do que os outros gostam de comer também. E a turma aqui adora um churrasquinho.

Ah, e estou cada vez mais “radical” (uau!) no mandamento “não levarás sacolas de plástico para casa desnecessariamente”. A galera do mercadinho e da padaria aqui perto de casa já nem estranha mais: eles nem pegam sacola para pôr as minhas compras. O pessoal do supermercado ainda acha estranho, mas eu sempre aviso logo que não vou precisar das “benditas” sacolinhas. Estou bem habituada a levar as minhas próprias sacolas para as compras, e de vez em quando levo até quando vou comprar outras coisas, como roupas e livros. Ainda não vi ninguém ser inspirado pela minha atitude, mas um dia ainda vou ter essa felicidade, eu sei!
_____________________________________________________
Texto de Silvia D. Schiros

11 comentários:

Cristiane A. Fetter disse...

As suas metas são bem realísticas e super fáceis de serem adotadas, aqui em casa só não dá para trocar a carne, pois meu marido é gaúcho e para ele seria até ofensa trocar carne, por outra coisa. Mas como você pediu segue a receitinha vegetariana. Ingredientes: beringela ou abobrinha cortada em rodelas ou do seu jeito, rodelas de cebola, tomate e pimentão, salsa picada, aceitonas, sal e azeite extra virgem. Em um refratário coloque em camadas todos os ingredientes e o azeite, por fim polvilhe parmesão (se quiser). Cubra o refratário com papel alumínio e coloque no forno médio para alto por mais ou menos 40 minutos ou até que os legumes fiquem cozidos. Dica 1: depois de colocar a camada de beringela polvilhe sal, 2- algumas pessoas gostam de intercalar com molho de tomate daqueles prontos. Sirva com arroz. Bom apetite

Paula disse...

clap-clap-clap. Tô te aplaudindo aqui em casa (baixinho que o Leo tá dormindo, rsrsrs)
Graças a vc me toquei que sem querer eu me coloquei 1 meta: diminiuir o consumo de energia elétrica na minha casa.
Parabéns Silvia pelo seu texto, por suas metas e por sua disposição e fazer sua parte!!!
Preciso comprar uma sacola de feira daquelas bem tradicionais para ir ao supermercado :-) Assim sigo seu exemplo ;-)
às vezes faço compra num atacado que tem aqui (pode falar nomes??) e eles não tem sacolas, nem nada... no máximo deixam disponíveis as caixas de papelão que retiraram os produtos para quem quiser usar.
Bjoks
Paula

Silvia D. Schiros disse...

Cristiane, a receita de berinjela é boa, eu costumava fazer, com freqüência, uma que era assim: uma camada de batatas (pode ser comum, doce, mandioquinha ou inhame também), uma de berinjelas (e pode ser abobrinha também, como você sugeriu), tomate, cebola, mussarela, tudo em rodelas, polvilhando com queijo ralado. Nham-nham. Mas as meninas não gostam... :-( Esqueci de mencionar que tem que ser coisas que as crianças aceitem bem. Ah, eu comentei isso: eu também não tenho a meta de cortar a carne, meu marido não é gaúcho, mas faz churrasco melhor do que gaúcho (risos) - não fala isso pros gaúchos, não!

Paula, tenho certeza de que você tem outras metas não descobertas por aí, por isso é bom a gente trocar idéias e ver que não é tão difícil quanto parece mudar pequenos hábitos! Se passar por aqui de novo, deixa o endereço do teu blog, porque não deu acesso para eu poder retribuir a visita e a força. :-)

Alessandro Martins disse...

Oi, Ana!

Só uma dica... se você quiser que o seu número de leitores por email dê um salto, eu recomendo que coloque o campo para inscrição mais acima. Vai ver a diferença...

Beijos do Ale.

Ana Cláudia Bessa disse...

Alessandro, valeu a dica, já a incorporamos no blog!

Amigos, tenho procurado como doida uma sacola daquela antigas para levar para o mercado e nada...Onde moro não tem muitas lojas populares, aliás, mais residencial que comercial, tudo longe. O comércio decente mais próximo fica a 5 graaandes quateirões ...
Alguém sabe onde posso encontrar?

Ivo Fontan disse...

Silvia
Não sei se você mora em casa ou apartamento, mas se morar em casa, pense em fazer um sistema de captação de água de chuva e pré-aquecimento com placas solares. Co isso você vai poder ficar hoooooras no banho, sem culpas!

Ivo Fontan disse...

Silvia
Não sei se você e sua família gostam de quibe.
Se gostam, experimente (se ainda não conhece), fazer quibe com PROTEÍNA TEXTURIZADA DE SOJA (da escura).
è só substituir a carne moída pela proteína. O resto é igualzinho ao quibe normal.
Eu, que sou carnívoro radical, adoro. E se você servir sem avisar que não é carne, ninguém percebe.
Tem também o hamburguer, feito do mesmo produto, ou o estrogonofe, também com proteína só que em pedaços maiores.
Enfim, para quem "sofre" com a ausência de carne nas refeições, estas receitas com proteína de soja são a melhor coisa que já inventaram, Eu mesmo, uma vez ou outra, como num restaurante vegetariano que serve essas coisas e fico "numa boa".
Se não souber fazer eu tepasso a receita.
Ah, tem também FEIJOADA, onde as carnes são substituídas por proteína de soja e tofu. Muito bom!

denise disse...

Muito bom, antes tarde do que nunca!
Eu também criei uma página lá no blog, exclusivamente para ir postando meus progressos (0u retrocessos)
http://drang.wordpress.com/minha-parte/
Tenho produzido muito lixo plástico e embalagens, e preciso diminuir isso. Devagar, eu chego lá...
beijo, menina

Ana Cláudia Bessa disse...

Amigos,

Eu tenho o maior preconceito com soja. Como, se não tiver opção. Não gosto muito. Talvez seja porque a receita não era boa. Vou experimentar eu mesma fazer, como o Ivo falou.

Meu lixo também me assusta, Denise. Gostei muito do seu blog e até pensei em criarmos aqui um marcador para receitas deste tipo. Fiz uma vez doce em copota com casca de maracujá! Ficou lindo e delicioso! Casca de banana, dá um doce igualzinho ao de banana! Também já fiz e se você não contar, ninguém percebe. Se contar, se prepare para as caras...rs....(casca de banana gera uma certo preconceito). E já vi doce com casca de laranja, tão bonito quanto o de maracujá. Nunca comi, mas deve ser bom também.

Quanto à sacola Cris, eu estou a 70 km do centro...rs...uma hora de viagem, combustível, emissão de CO...rs...
Vou ver se encomendo com alguém que ande pelo centro da cidade. Lá com certeza tem, só preciso é de contatos imediatos. De diamante paraguaio a tachinha...rs

E o aproveitamento da água da chuva é uma das minhas metas para serem estabelicidas para 2008. Vi um projeto de uma casa muito legal numa revista (não fumo, não bebo, mas compro revista de decoração e arquitetura e coleciono canecas...rs). Jà consegui reduzir o consumo trocando descargas por caixas acopladas nos vasos sanitários. E ainda não tomo banho como a Silvia, confesso que no MEU condomínio, sem hidrômetros individuais e a falta de consciência dos vozinhos, não dá gosto se sacrificar neste aspecto. cuido dos exageros. Não detono, mas tomo meu banho normal.

denise disse...

É bom sim, eu já fiz o doce com casca de banana. Ficou uma delícia. Ainda não fiz com casca de laranja, mas já estou juntando as cascas pra fazer geléia. Como criar um marcador pra receitas, me explique melhor.
Sobre as sacolas, fiz umpost hoje sobre sacolas recicladas, feitas de plastico, com crochê, uma graça!
beijo, menina<

Denise BC disse...

Olá, Ana
Suas duas metas aqui apresentadas são primordiais, também faço a minha parte e tento conscientizar os que estão a minha volta, não é fácil ver essas ações serem implementadas, mas desistir jamais.
Bjs,
Denise BC