terça-feira, 29 de julho de 2008

A falta de tempo para o que realmente importa...


Uma grande e querida amiga que fiz neste mundo blogosférico, de repente, sumiu.
Eu senti sua falta inúmeras vezes mas a falta de tempo, os compromissos inadiáveis, a rotina do dia-a-dia me impediram de procurá-la e dizer isso a ela. Ou de simplesmente perguntar: está tudo bem?

Como todos nós acabamos fazendo, eu presumi que seu “sumiço” se dava ao mesmo fator que me fazia não tê-la procurado: “falta de tempo”. Pois eu estava redondamente enganada e esta amiga estava passando por uma situação muito difícil com um de seus filhos.

Não vou expor aqui o que aconteceu , principalmente porque a bravura e a coragem dessa criança, não merece, de longe que fiquemos revivendo o que passou. E também a força e a união dessa família merece que pensemos neles como os vencedores que são. O pior, graças à Deus, já passou.

Então, Sam, mesmo ainda surpresa com tudo o que aconteceu, fico feliz de saber as notícias de que tudo está caminhando bem. Que seu menino corajoso se recupera bem humorado ao lado de uma família companheira e unida e que dá a ele, comprovadamente, a base que ele necessita para superar as dificuldades da vida.

Fiquei muito triste comigo mesma por não ter ouvido meu coração as muitas vezes que senti sua ausência. Mas a distância me impede de poder lhe dar um abraço apertado e dizer que a gente deixa que coisas menos importantes nos façam negligenciar os amigos, os próximos, os vizinhos, os nossos familiares. E no final, nada disso que tanto nos ocupa, será o que levaremos.
O que levaremos serão os abraços, os sorrisos, as lágrimas compartilhadas.
Aprendi um lição que espero levar comigo para o resto da vida. Não vai ser fácil, mas é preciso tentar.

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

4 comentários:

Carol disse...

Poxa,que triste.Espero de coração que tudo dê certo com o filho da Sam e que as coisas ruins que aconteceram sejam amenizadas no coração dele por meio do amor da família(pelo que você disse,parece ser muito unida).

Como você disse,às vezes algo acontece e percebemos que deveríamos ter feito algo.E agora você sabe que deve seguir seus instintos e não deixar mais que a falta de tempo lhe afaste de quem é especial para você.

Felicidade para todos vocês!

Cleite Fontenele disse...

Ana,
Uma vez escrevi no TO DOIDA sobre isso. A falta de tempo, a correria e as cobranças do dia a dia muitas vezes no impede de dar valor ao que realmente importa. É uma pena. Naquele dia que eu escrevi tinha acabado de aprender uma lição na escola da minha filha: Não esqueça de dizer "eu te amo", não deixe o dia a dia te sugar a ponto de não enxergar o que realmente tem valor. A vida muitas vezes nos cega, mas nunca é tarde para enxergar, não é? Fico feliz que quando você soube a familia tinha se recuperado. A união faz a força, minha avó já dizia, e é a mais pura verdade. Beijo,

Cristiane Fetter disse...

Pois é Ana, as vezes precisamos ouvir mais o nosso coração.
Deu vontade de ligar, liga.
Deu vontade de dizer eu te amo, diz.
Tenho certeza que a Sam sabe do seu carinho.
Beijocas

Ana Cláudia Bessa disse...

Vivendo e aprendendo, né, gente?