segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Fumantes e Não-Fumantes

Quando a lei anti-fumo começou a ser cumprida aqui no Rio de Janeiro, os shoppings foram os primeiros a aderir e, claro, que eu adorei a notícia. Embora a lei seja de 1996, ela somente começou a ser cumprida em meados de 2005, se não me engano. Ou seja, no estado do Rio não se pode fumar em lugares fechados.

Aí, me lembrei de uma história num shopping da zona norte do Rio. Tinha um monte de avisos do tipo “Aqui não se fuma” e todos os cinzeiros vazios, sem areia. Contudo, insistentemente, um fumante nos “perseguia” pelos corredores com seu cigarro aceso.
Num determinado ponto, comecei a procurar um segurança e nada...
Isso já é ruim...ainda mais com um fumante na minha cola...rs...

Mas o tragicômico foi que ao encontrar um vigilante, ele informou que ele conhecia a lei mas que ali no shopping a lei não valia. Ou seja, por causa de um mero fumante, eu teria que chamar a polícia para fazer a lei ser cumprida.

Claro que eu não cheguei a este termo, porque nem sempre estou afim de ir ás vias de fato. Tudo bem, merece: o fumante merece, o shopping merece, o vigia merece.
Mas já apararam para pensar no surrealismo da situação?
Eu chamando a polícia para uma pessoa apagar um cigarro porque o shopping escolheu não seguir a lei...

Fiz o seguinte: mandei um e-mail para o shopping e relatei o ocorrido.
Só faltou uma coisa: o nome do vigia. Porque nessa hora a gente tem que ter essa “sacação”: pegar o nome da pessoa que está nos atendendo. O Shopping negou a orientação e nas vezes que eu voltei lá, não vi mais ninguém fumando.

E isso me lembrou que certa vez, eu , meu irmão e o maridão estávamos num restaurante em Ouro Preto. Lamentavelmente, tinha uma pessoa fumando, empestiando todo o salão e a gente não podia falar nada porque ele estava na área de fumantes (uma das coisas mais imbecis que existe...afinal, como mostrar o caminho certo para a fumaça? Ventilando? Não resolve, pode crer...só se for um vendaval...).

Aí, entrou um grupo de turistas americanos e depois de 10 minutos, um dos turistas começou a reclamar (em inglês) da fumaça. Como o garçon disse que não poderia fazer nada, o americano levantou-se e falou que iria embora. O garçon ainda tentou argumentar falando que falaria com o cliente. Mas o americano rebateu:

Vocês não permitem que fumem? Então, eu não sou obrigada a comer sentindo este cheiro horroroso. Com quantos clientes fumantes que entrem o senhor pretende falar? Espera que eu reclame a cada cigarro acendido?

E foi embora.
Palmas pra ele!

__________________________________________________________________________________
Ana Cláudia Bessa

10 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Infelizmente ainda acontecem e irao continuar acontecendo enquanto medidas realmente eficazes nao forem tomadas.
É uma pena, mas vamos ter que continuar comendo as coisas com sabor de cigarro.

Antônia disse...

As vezes realmente é necessário ter "saco" para brigar pelas coisas... é o cúmulo quando se trata dos nossos direitos.

Bjs,

Silvia D. Schiros disse...

Ana, lá no blog da Ana Basaglia (http://alambisgoia.blogspot.com/) tem um post sobre uma amiga dela que parou de fumar. Clica no link e dá uma olhada no blog da outra Ana (é xará de vocês), a quantidade de produtos químicos existentes num cigarro é uma coisa de louco, essa outra Ana participou de umas palestras para ajudar os fumantes a pararem de fumar e descobriu umas coisas bem absurdas sobre cigarros.

E eles ainda são vendidos em qualquer esquina, como se fossem algo seguro.

Isso é um crime.

Ana Lúcia Keunecke disse...

OI Ana Cláudia (xará tb). Eu sou a Ana Lúcia que a Ana basaglia (vixi, quantas anas, rs...) postou que parou de fumar e que a Silvia comentou. É muito triste ser dependente química da nicotina. É muito triste que o mundo não acorde para o quão forte é essa droga para ser vendida assim, em qualquer lugar. E vc tm razão, não se pode fumar em shopping e nem se poderia em qualquer lugar. Afinal, vc já viu alguém cheirar cocaína assim em plena luz do dia no shopping??? Não! Pois é, eu acho que devia ser assim para o cigarro, mas...
Enquanto isso, temos uma comunidade no Orkut com mais de 4.500 pessoas que se chama "Quero Parar de fumar". É um grupo de apoio mesmo. Se vc souber de alguém que quer parar, pede para procurar o grupo, tá?
Beijos pra vc
O seu blog é muito legal

CV disse...

Hoje saiu no jornal que o governo está com projeto prevendo a proibição do fumo em locais fechados e também em locais abertos de muita circulação de gente como os terminais rodoviários, por exemplo.
Achei sensacional que o governo tenha essa consciência, afinal eles tratam o fumo como algo prejudicial a quem não fuma, FINALMENTE!

Ana Cláudia Bessa disse...

Oi, Ana!!!!

você acha que tem muita Ana no mundo? risos....
É um nome tão raro...hehehe
e grande e difícil de escrever, né?
Eu sempre tenho que soletrar: A-N-A...
ahahahahahaha

Que bacana o seu depoimento. Se puder, nos mande o endereço da comunidade do Orkut que divulgamos aqui! Aliás, sua mensagem me alertou para uma falha dos meus posts a respeito: não colocar links para entidades e comunidades que ajudam a enfrentar o vício.

Obrigada por sua enorme contribuição!

Beijos!

Ana Cláudia Bessa disse...

Silvia,
eu já tinha lido o blog da Ana, só não tinha tido tempo de comentar, mas já fiz isso!

Vamos falar mais desse assunto por aqui e vou pedir para incluir os dados da Ana B. aqui no nosso blog.

bjs!

Ana Cláudia Bessa disse...

Cris e Antônia,

eu tenho muita esperança pois acho que já estamos em franco progresso no que se refere ao fumo.

Como disse o amigo ou amiga CV, os jornais já noticiaram (eu também vi) mais um passo à frente.

Aliás, um grande avanço!
bjs!

ana b. disse...

o pior é essa informação:

"O relatório também revela que os governos arrecadam 500 vezes mais dinheiro em taxas relacionadas ao tabaco do que gastam com medidas antifumo" (http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u370422.shtml)

só mm a pressão pública pra se começar a mudar alguma coisa...

bjs corridos...
ana b.

Ana Cláudia Bessa disse...

Pois é Xará!!!

Esse motivo me faz pensar que realmente estamos dando grandes passos. Passos, aliás, impensáveis, se analisarmos os interesses financeiros envolvidos!

A notícia é preocupante mas ao mesmo tempo devemos comerar pois estamos progredindo apesar dela!

Beijos!!!!!!!!!!!!!!