sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

QUAL O DESMATAMENTO IDEAL PARA VOCÊ?

Escrevo hoje, 25/01, "sob efeito" da notícia publicada ontem, com estardalhaço, por todos os meios de comunicação: "Desmatamento na Amazônia é recorde em 2007".

É claro que causou impacto na opinião pública. As seçoes de cartas dos jornais refletiram isso. No entanto se a notícia fosse: "Desmatamento fica abaixo da média histórica", por exemplo, iríamos todos ficar felizes. O presidente, ufanista, certamente citaria isso nos próximos discursos. Aí está o problema. A gente "festeja" o desmatamento da Amazônia. Só depende da taxa!

É como se desmatando em taxas decrescentes estivéssemos preservando. Há um enorme cinismo e um enorme engôdo envolvendo tudo o que diz respeito à Amazônia. "Vende-se", por um lado, a idéia de que é um patrimônio da humanidade; pulmão do mundo: maior reserva da biosfera; etc etc Por tudo isso deve ser preservada; utilizada de forma sustentável etc etc Por outro, tolera-se (e incentiva-se) a expansão das fronteiras agrícolas e pecuárias em sua direção; o extrativismo predatório etc etc.Volta-e-meia, programas de governo surgem apresentando propostas mirabolantes (e, na prática, incontroláveis) de uso e ocupação. ,

Está em curso mais uma, no PAC.Por que incontroláveis? Porque os órgãos encarregados de controlar não o fazem. E por quê não o fazem? Por que não tem pessoal nem estrutura. E por que não tem? Por que os governos não querem que tenham! E as forças armadas? Há muito vem sendo sucateadas e afastadas das funções de controle de ocupação e uso desta enorme fatia do país. É impressionante como não se pode confiar em absolutamente nada que se diz sobre a Amazônia. Seja qual for a fonte. Cada uma distorce a verdade a fim de adequá-la aos seus interesses.

Conheci, ao longo de minha vida, militares e homens de ciência, verdadeiramente conhecedores da região e.. sem voz! Isso mesmo, eram homens angustiados por conhecerem uma realidade diferente daquela "oficial" e não terem a chance de poder dizer: "Gente, não é nada disso. Estão enganando vocês. A verdade é..."Enquanto isso, a cada ano come-se mais um pedacinho. É "pouca coisa" por vez. A unidade dessa "devoração" é o hectare, normalmente traduzida para o "populês" convertida em "campos de futebol"! Afinal, para que manter aquela mataria toda lá, inútil, hostil, perigosa, cheia de bichos horrorosos, doenças e sei lá mais que horrores, quando podemos usar aquela terra toda para plantar "commodities", criar gado, desenvolver, progredir!!!

Sabem de uma coisa? A Mata Atlântica a gente levou quase cinco séculos para praticamente perder. Com a Amazônia não aposto em sobrevida no século XXII!

__________________________________________________________________________________ Ivo Fontan

10 comentários:

Lola disse...

Olá,
Estava olhando o blog da Lívia Poulain e vi seu comentário, vim olhar seu blog e gostei muito das sua preocupação com o nosso futuro. Estou começando a lutar por isso também e conto com a sua ajuda,divulgando, dando idéias, ajudando de qualquer maneira,o que quero é que as pessoas acordem!
www.umaconscienciacoletiva.blogspot.com
Abraços!

Liz / Falando de tudo! disse...

O problema é que ninguém de fato tem consciencia do mal que estamos fazendo a nos mesmo ao premitirmos essa depredaçao a natureza!!
Tudo esta se deteriorando, e eu tenho a impressao que o mundo vai acabar exatamento por essas falta de humanismo com a natureza que tudo nos da...

Cristiane Fetter disse...

Oi Neula que bom que voce gostou, o Ivo escreveu um texto incrível.
Vaomos visitar sua casa sim
abraços

Lola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lola disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lola disse...

Olá, Cris,
O texto do Ivo é ótimo sim...
A respeito da dica que você deixou no "Consciência Coletiva" é ótima sim, porém, me preocupo com duas coisas aqui no Brasil: Casa sem muro? E os assaltos? Telhado de madeira? Um....E o desmatamento? Como disse, a dica é ótima, mas aqui, primeiro teríamos que trabalhar a "eduacação".
Obrigada por ajudar com a divulgação e continue dando dicas e idéias!
Beijos...
PS: Não consegui postar no seu blog!

Lola disse...

Ah! Esqueci de dizer que já estou divulgando o bog de vocês!!!
Beijos...

Ana Cláudia Bessa disse...

Ivo,

esse post me lembrou uma ocasião, numa reunião de resultados quando um funcionário mandou a pérola que a meta de 3% de acidentes de trabalho no ano seguinte. Aí, o dono da empresa mandou: a meta deveria ser 100%, ou alguém pretende estar entre os 3%? Qual o número ideal de acidentes de trabalho para você?

E é isso aí, tem coisas que os números simplesmente não definem de forma coerente. Redução de desmatamento não é algo que necessáriamente pode ser comemorado frente ao que pode ser feito.

Ana Cláudia Bessa disse...

Ah...gente...nosso amigo Ivo, acaba de se tornar vovô! E segundo ele, foi visitar o netinho na Bahia....por isso estará temporariamente ausente dos comentários.
Mas cá entre nós, na Bahia, no carnaval...sei não...rs...

Esse netinho já nasceu de abadá!
As músicas para dormir são nina-axé-music e o primeiro carrinho vai ser uma réplica de um trio elétrico!!

Parabéns, Ivo!!!
E badale com moderação!!! hehehe

Ivo Fontan disse...

Voltei!
Apesar da insinuação "venenosa" da Ana, de que eu "teria" usado o nascimento do meu neto para, na verdade, "cair na gandaia" no carnaval baiano, eu não fiz isso!
Nem poderia, pois, acreditem se quiserem, descobri o "túmulo do carnaval". Chama-se Itapetinga, e fica na Bahia!!!
Nunca havia estado, em toda minha vida, em algum lugar do Brasil que ignora por completo o carnaval. Encontrei tal lugar!
Meu neto é lindo! Sobretudo nas partes em que parece comigo!!!