quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O fumo e a gravidez

Esta semana ví uma grávida fumando. Não vejo sempre, mas já vi algumas. Como não se pode, nem se deve dar lição de moral em ninguém, vão algumas das péssimas consequências de se fumar perto de crianças, seja no ventre ou fora dele. E porque uma grávida fuma? Eu penso que pelo mesmo motivo que todos os fumantes: ele faz um mal que a gente não vê.


"Fumar durante a gravidez traz sérios riscos. Abortos espontâneos, nascimentos prematuros, bebês de baixo peso, mortes fetais e de recém-nascidos, complicações com a placenta e episódios de hemorragia (sangramento) ocorrem mais freqüentemente quando a mulher grávida fuma. A gestante que fuma apresenta mais complicações durante o parto e têm o dobro de chances de ter um bebê de menor peso e menor comprimento, comparando-se com a grávida que não fuma.

Tais agravos são devidos, principalmente, aos efeitos do monóxido de carbono e da nicotina exercidos sobre o feto, após a absorção pelo organismo materno.Um único cigarro fumado por uma gestante é capaz de acelerar, em poucos minutos, os batimentos cardíacos do feto, devido ao efeito da nicotina sobre o seu aparelho cardiovascular. Assim, é fácil imaginar a extensão dos danos causados ao feto, com o uso regular de cigarros pela gestante.

Os riscos para a gravidez, o parto e a criança não decorrem somente do hábito de fumar da mãe. Quando a gestante é obrigada a viver em ambiente poluído pela fumaça do cigarro ela absorve as substâncias tóxicas da fumaça, que pelo sangue passa para o feto. Quando a mãe fuma durante a amamentação, a nicotina passa pelo leite e é absorvida pela criança.

Efeitos da Fumaça sobre a Saúde da Criança Se a mãe fuma depois que o bebê nasce, este sofre imediatamente os efeitos do cigarro. Durante o aleitamento, a criança recebe nicotina através do leite materno, havendo registro de intoxicações atribuíveis à nicotina (agitação, vômitos, diarréia e taquicardia) em filhos de mães fumantes de 20 ou mais cigarros por dia. Em recém-nascidos, filhos de mães fumantes de 40 a 60 cigarros por dia, observou-se acidentes mais graves como palidez, cianose, taquicardia e crises de parada respiratória, logo após a mamada. Estudos mostram que crianças com sete anos de idade, nascidas de mães que fumaram 10 ou mais cigarros por dia durante a gestação, apresentam atraso no aprendizado quando comparadas a outras crianças: observou-se atraso de três meses para a habilidade geral, de quatro meses para a leitura e cinco meses para a matemática.

Há também uma maior prevalência de problemas respiratórios (bronquite, pneumonia, bronquiolite) em crianças de zero a um ano de idade que vivem com fumantes, em relação àquelas cujos familiares não fumam. Observa-se que, quanto maior o número de fumantes no domicílio, maior o percentual de infecções respiratórias, chegando a 50% nas crianças que vivem com mais de dois fumantes em casa. É, portanto, fundamental que os adultos não fumem em locais onde haja crianças, para que não as transformem em fumantes passivos."


6 comentários:

Alexsandra Moreira disse...

Eu odeio cigarro e acho que é uma falta de amor com o filho fumar durante a gestação.

Ana Paula disse...

Eu tb sou suspeita p/ falar, pq O-D-E-I-O cigarro, fumaça de cigarro, guimba de cigarro no chão...

E acho absolutamente revoltante ver mulheres grávidas ou homens e mulheres com crianças pequenas, de colo, fumando...

Carla Beatriz disse...

Eu tb O-D-E-I-O cigarro e seus assemelhados.

Acho inadmissível uma gestante fumar. Lembro que eu tinha uma professora grávida que fumava e eu, com meus 11 anos, a questionar do porquê ela fumar e ela não gostar nem um pouco.

Cigarro? Bem longe de mim e de meus filhos!

Ana Cláudia Bessa disse...

Gente, eu abomino cigarro. Horror , mesmo.
Mas tem horas que não adianta discutir, falar, você só vai se estressar.
Eu acho que além de tudo que já foi falado aqui, uma grávida fumar é uma covardia porque o bebê não escolheu estar alí e nem ser contaminado pelo cigarro da mãe...

Quando decidimos ter filhos, sejam planejados ou não, somos responsáveis por aquela vida que não tem discernimento para fazer suas próprias escolhas.

E o adulto que se nega a assumir esta responsabilidade nem merece definição.

Ana Cláudia Bessa disse...

Não só a mãe, já que o fumo do pai, avô, tio, tia, avó ou o escambal..., é passivo e tão nocivo quanto!

ana b. disse...

eu tb ODEIO cigarro, mas acho q a questão é mais complexa...
fumar é um vício, entranhado no organismo da pessoa.
a nicotina atua nas células, e dependendo do grau do vício, eu realmente acredito q a pessoa não consiga deixar de fumar...
pra mim, uma pessoa q fuma e não consegue parar (mesmo por uma causa tão nobre qto gestar um filho) é uma pessoa DOENTE...
eu acho é triste q a gente viva numa sociedade que permite q as indústrias tabaqueiras lucrem milhões impondo um vício em pessoas desavisadas, q depois não conseguem se livrar do cigarro...
sim, pq é perversa toda a propaganda do cigarro feita até aqui... vamos precisar de uns bons anos pra conseguir se livrar dessa aura de q cigarro não faz tanto mal assim, de q cigarro é bacana, de q as indústrias não sabiam q viciava tanto, etc etc etc.