quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Tinha tudo para ser uma infeliz

Oprah Winfrey é uma mulher muito conhecida e admirada. É apresentadora de televisão norte-americana, vencedora de múltiplos Prêmios Emmy pelo seu programa The Oprah Winfrey Show, o talk show com maior audiência da história da televisão norte-americana. Ela é o exemplo perfeito de mulher da nossa época, multi-funcional, sendo também uma influente crítica de livros, uma atriz indicada para um Óscar pelo filme A Cor Púrpura, e editora da revista The Oprah Magazine.

Mas Oprah Gail Winfrey tinha tudo para ser uma infeliz. A mãe, de 18 anos, engravidara casualmente e tão logo se recuperou do parto, a jovem abandonou a bebê na porta da casa do amante e sumiu. Aos 3 anos, precoce, recitava versinhos na igreja e aprendeu a ler sozinha (em alguns lugares informa que foi com a ajuda da avó). Mas apesar de esperta e comunicativa, foi rejeitada por ser obesa e ter uma inteligência acima da média.

Excluída, sem mãe nem pai e sem brinquedos nem amigos, ela tinha tudo para ser uma traumatizada. Mas buscou alento nos livros e nos estudos da Bíblia. Farta do jardim de infância, escreveu uma carta pedindo à professora para pular aquela etapa porque "não se sentia à vontade com as colegas da sua idade"."Sou o que sou porque me agarrei aos estudos", diz. a dama da TV muito conhecida e admirada, só usou os primeiros sapatos aos 6 anos e com apenas 9 anos, a estrela foi estuprada pelo primo, que passou a molestá-la a partir dali.

Aos 14 anos, grávida mas cheia de esperança, resolveu mudar o rumo de sua vida. Abraçou os estudos e ganhou uma bolsa num colégio particular frequentado por jovens brancos e ricos. Tornou-se popular pelas notas, a simpatia e a determinação. Nessa época, venceu um concurso cujo prêmio era visitar uma rádio local. Lá, os directores encantaram-se com a voz dela e abriram-lhe o caminho da fama.

De acordo com a revista Forbes, Oprah foi eleita por três anos seguidos a mulher negra mais rica do século XX e a negra mais filantrópica de todos os tempos. The Oprah Winfrey Show é o talk show com maior audiência da história da televisão norte-americana. Oprah ganha cerca de 50 milhões de dolares por mês e sua fortuna é estimada em mais de mais de US$2.5 bilhão .

______________________________________


Eu não sei se tudo isso aí é verdade. Recebi uma parte por e-mail, meu interesse foi despertado porque eu já falei dela algumas vezes aqui. Dei uma buscar em seu nome e tirando a Desciclopédia que disse que ela é filha de Taís Araujo com Lázaro Ramos (rs), não encontrei nada de comprometedor a seu respeito. Portanto, se uma parte disso tudo for verídica, ela já está de parabéns e serve como um grande exemplo para muitos. Sou fã dela desde que vi pela primeira vez, no filme A Cor Púrpura aos 17 anos de idade numa madrugada insone que se prolongou até o amanhecer já que o filme tem quase 3 horas de duração. Tomara que seja, porque seria muito bom ter uma pessoa tão rica que faça genuinamente o bem a outras pessoas.
Eu acredito que todos nós somos capazes de fazer qualquer coisa e conseguir qualquer coisa. Mas existem situações particularmente mais difíceis e realizações tão "megas" que chego a acreditar que determinados destinos são pré-determinados por alguma missão que vai além da nossa vã compreensão. Nestes casos, realizar depende de outros fatores além da força de vontade. Mas é sempre bom ver e ter exemplos de superação e de pessoas que conseguem tudo a partir de nada, ou quase nada.

________________________________________________________________________________ Ana Cláudia Bessa

4 comentários:

João Carlos disse...

Você também poderia comentar sobre o jogador de Futebol Americano Hines Ward, filho de uma Coreana com um soldado negro americano (que nada deu ao filho, a não ser o nome). A mãe dele emigrou para o USA e pegou três empregos de faxineira para sustentar o filho e dar-lhe educação.

Mas eu tenho um exemplo que eu conheci pessoalmente: o (atual) Capitão-de-Mar-e-Guerra Fuzileiro Naval Rubens de Carvalho Rodrigues, que nasceu em Cáceres, MT, dividiu sua infância entre o estudo em escola pública e o serviço de engraxate em Corumbá, MS. Veio a prestar o Serviço Militar na Marinha, continuou estudando e passou no Vestibular para a Escola Naval. Foi até o fim da carreira, proporcionando estudo para os irmãos e a melhoria que podia para seus pais (um peão pantaneiro e uma lavadeira).

Ele é o tipo de pessoa que nunca se jactou das origens humildes e nunca se envergonhou delas. Negro, pobre, poderia, naquela região de fronteira, ter-se tornado mais um criminoso, traficante ou contrabandista. Preferiu ser trabalhador e honesto. E triunfou! Não se tornou uma celebridade, mas era um daqueles oficiais que impunha respeito a seus pares e amor a seus subordinados. Um herói anônimo, mas, enquanto depender de mim, o nome dele será citado como o de uma pessoa "grande".

Sam disse...

Adoro a Oprah, posso me dizer fã e fiquei emocionada com o texto, verdade ou não, é verossímil e muitas crianças negras sofreram assim, mas poucas se tornaram pessoas tão melhores do que quem as criou.
:)

Renata disse...

Tb sou fâ. É dessas pessoas que nascem com uma estrela. Imagina, mulher, negra e pobre?
Preciso visitar os debates...estou em dívida, mas ando tão sem tempo ...e sem internet. Preciso vir aqui na minha mãe pra navegar...
beijo
Re

Ana Cláudia Bessa disse...

João, é uma pena que o mal contamine tão mais fácil as pessoas.
Mas ainda assim exemplos como o da Oprah e os que você citou, graças a Deus, existem.

Sam e Renata, ando com saudades de mais comentários de vocês... mas sei como é a vida...eu mesma tenho que me planejar para sentar e visitar os blogs que tanto gosto!