sexta-feira, 21 de setembro de 2007

E os talentos brasileiros?

Na minha humilde opinião, cabe à nós educar nossos filhos e não à Xuxa ou ao Barney.

Não que meus filhos não vejam as gororobas americanas.

Eles vêem e adoram os Backyardigans e Lazytown, por ex..

Mas a impressão que me dá é que parecer ser politicamente correto não gostando daquilo que a maioria gosta, parece ser mais importante do que dar méritos justos e ensinar isso a nossos filhos. E classificar todo o trabalho de uma pessoa como lixo por coisas feitas há 20 anos atrás não me parece justo (volto a lembrar que não consumo seus produtos patenteados).

E dar preferência a programas americanos, ainda me parece mais incoerente, visto que a base é a mesma. Até porque a versão em português que ela faz é infinitamente melhor que aquelas dublagens musicais mal traduzidas do Barney cantando com aquela dicção horrorosa.

Outra coisa que é importante falar é que existem programas nacionais ótimos, como o Cocoricó e o Castelo Rá-tim-Bum (esse eu raramente consigo encontrar o horário que passa mas vi agora pesquisando o site :seg a sex às 19h - um horário ruim, eu acho).

Tem um grupo nacional chamado Palavra Cantada que é muito elogiado, mas eu tentei ir a um show deles e o preço era de 70 reais por cabeça, inclusive crianças...aqui em casa seria 280 reais.
A proposta pode ser boa, mas muito elitizada para meu bolso...
Ou eu é que estou errada?

E é por isso que a Xuxa faz tanto sucesso, é acessível. Eu queria que Palavra Cantada, Bia Bedram (que está fazendo um show no Rio e vamos tentar ir), Sítio do Picapau Amarelo (que estava dentro do programa diário da Xuxa e esse eu não gosto por causa dos desenhos violentos que acho cedo para que eles assistam...logo, não sei se a atual versão é boa como na minha época), Cocoricó e Castelo Rá-Tim-Bum estivessem mais acessíveis, sejam em preço, sejam nos canais que passam, sejam em DVD's. E infelizmente, nossa TV pública (TV Cultura) , não é uma BBC (Londres), logo os excelentes programas dela, não são tão assistidos quanto o Discovery Kids.
Porque será que esses talentos não têm o mesmo marketing?
Porque não passam nos canais pagos dedicados às crianças?
Porque ainda não criaram um canal nacional dedicado ao público infantil?

__________________________________________________________________________________ Texto de Ana Cláudia Bessa

6 comentários:

renata disse...

Oi Ana!
Esse é um tema difícil mas tãoimportante...
Penso que o ideal mesmo seria que as crianças não assistam nada de tv. Entre outras coisas porque (isso é tema deseu outro post de hoje) nos intervalos tem uma quantidade muito grande de propagandas e nossos pequenos já crescem consumistas. Sem contar que parece que, para bebês até 1, ano a tv prejudica o desenvolvimento - os olhos ficam parados diante da tv, o que faz com que se diminuam o numero de sinapses. Não sei a fonte dessa informação, mas posso tentar descobrir pra te passar.
Eu, infelizmente, não consigo evitar. Preciso do recurso da babá eletrônica, fazer o que? Mas, com tv e dvds controlo ao menos a qualidade do que minha filha assiste e a quantidade de tempo que ela fica exposta.
Quanto a Xuxa, eu nãogosto. Prefiro Barney, Backyardigans e Lazytown do que Xuxa. Sinceramente? Não tenho nada contra o passado da Xuxa e sei que o esquema de seu programa é bem parecido com o de outros enlatados americanos, mas ela representa pra mim umapessoa que não evoluiu, sei lá é uma coisa meio pessoal mesmo. Eu fui ni Carbnaval da Xuxa, vc acredita? Não cheguei a ser tãso fâ, mas tinha os dois primeiros discos - lembro direitinho de várias músicas... depois cresci, Xuxa foi algo mais do final da minha infância, e não aocmpanhei.O fato de não ter evoluído profissionalmente (pelo menos essa ´e minha impressão) faz com que nunca tenha mostrado a minha filha o programa dela.
Beijos

Carol disse...

Ana, vi seu post no LV e resolvi vir aqui dar uma "espiada"! Minha baby ainda é mto pequena ( 6 meses ), por isso ainda não encaro esses problemas. Mas é um fato que preocupa sim...não quero que minha filha cresça vendo " xuxa", a maioria dos desenhos de hoje também não tem nada a acrescentar...
Acredito que enquanto puder ter esse controle irei fazer uma " seleção" de certa forma de programas e desenhos para minha pequerrucha.
Sinto que na minha época os desenhos, programas infantis, etc tinham muito mais a acrescentar do que o que vemos hoje por ai.
Um bj e bem vinda ao LV,
Carol

Ana Cláudia Bessa disse...

Oi, Renata!
Você tocou numa questão muito importante!
Essa questão da Tv, do olhar fixo, das sinapses, eu já tinha ouvido falar. Mais um motivo para evitarmos os excessos.
Contudo, acho errado a gente proibir terminantemente a TV. Temos que ter critérios e limites.
Afinal TV, computador, e outras tecnologias fazem parte da nossa vida.
No quesito Xuxa, é aquilo que falei, para mim ela é só mais uma neste universo. Igual...sem tirar nem por. Acho que ela evoluiu sim. Afinal, seu trabalho XSPB é completamente diferente do que era antigamente e o divisor de água dela foi a própria filha, tenho certeza. Claro que ela não é exemplo prá mim de nada, nem de mãe e a idolatria em torno dela não é legal. Mas cabe à nós ensinar essas diferenças a nossos filhos. Não espero nada dela além de entretenimento esporádico, exatamente como dos outros programas de TV para as crianças.
E controlo o tempo que eles ficam na frente da TV...
Geralmente um parte da manhã, que passa os desenhos que eles gostam... e de tarde geralmente nada. Levo os dois para brincar no jardim, ou dormem, ou saio com eles. Dou outras opções.
E agora vamos colocar a boca no mundo para tentar acabar com os comerciais para crianças, a começar com a veiculação de bebidas alcóolicas, que devem acabar como foi com os cigarros, né?

Ana Cláudia Bessa disse...

Oi, Carol!!!
que bom te ver por aqui!!!
Obrigada!

Acho que você está coberta de razão! Eu também não quero que meus meninos cresçam vendo Xuxa.
Tanto quanto não quero que cresçam vendo Barney...rs...
(Já deu prá ver que eu não gosto dele, né? rs)
Mas eles assistem esporadicamente e matam sua curiosidade. E como consequencia, desperta menor interesse...
nenhum excesso de nada e restrição, de fato, só tenho a desenhos violentos e programas com conteúdos que embora façam parte da vida, ainda imagino ser cedo para eles terem acesso.
Mas pretendo ser uma mãe que fica entre a limitadora e a permissiva.
Acho que muito de uma coisa ou de outra muito ruim, né?
Sabe o que eu gosto muito que eles vejam e eu adoro assistir também?
filmes infantis!
Amamos Sherek!
Beijos!

Ivo Fontan disse...

Meus filhos (hoje com 27, 25 e 24 anos) assistiam Xuxa na infância (assim como Mara Maravilha e o que mais havia de programas infantis na época). Hoje são dois homens e uma mulher maravilhosos e de excelente formação e caráter.
Acontece que a TV era apenas "um detalhe" na infância deles. Nunca deixamos de dar atenção, passear, viajar, acampar etc etc etc.
A Xuxa ( e a Mara e etc ) os DIVERTIU. Quem os EDUCOU fomos NÓS!

Ana Cláudia Bessa disse...

Ivo, vc falou tudo. Eu sou da geração da Gretchen e me acabei de dançar rebolando o pirpiri, conga, conga, conga...
Isso foi só um detalhe que não influenciou em nada a minha vida adulta...
Acho muito interessante falar da Xuxa porque existe uma coisa de politicamente correta em não gostar dela.
Claro que há excessões.
Mas deparei com 99% de pessoas que criticavam e que sequer tinham assistido o Xuxa só para baixinhos.
E eu não consigo compreender a fundamentação, ou a falta de, para esse "fenômeno".
E as música são tão bonitinhas...rs...tanto quanto as dos desenhos americanos que tanto fazem sucesso entre as mesmas mães.
E fala sério...mesmo as músicas da época dos seus filhos também são legais: que não cantou ilariê, doce mel e tantas outras.
Mas é isso, talvez eu não tenha problemas com ela porque não espero que ela eduque as crianças e não me preocupo com isso. Claro que essas outras mães também não esperam mas talvez sintam receio da influência que ela terá sobre seus filhos. Eu tenho certeza que que se bem educados, nenhuma.