quarta-feira, 26 de setembro de 2007

RECADO DA MERCEDES

CONSUMO DE ÁGUA NAS MÁQUINAS DE LAVAR ROUPAS

O que me motivou a escrever o ‘recado’ desta quinzena foi a notícia de que uma famosa marca de máquinas de lavar roupas lançou um modelo no qual a água do último enxágue pode ser reaproveitada, utilizando-a posteriormente para fins como lavagem do carro, rega do jardim, etc... É uma atitude louvável e ambientalmente correta, porém há algumas considerações a fazer, especialmente observando o consumo de água dos modelos de máquina existentes.

Ao final de 2005 fui trocar minha velha máquina de lavar roupas, que já estava fazendo aniversário de mais ou menos 18 anos. Não que ela não estivesse mais dando conta do recado, coitada, mas porque iria doá-la para uma outra pessoa e me permiti o gostinho de comprar uma nova.

Foi aí que começou minha jornada de loja em loja lendo manuais de todas as marcas e modelos... eu estava acostumada com a minha velha máquina Enxuta de carregamento frontal (que saiu de linha, não fabricam mais) e que gastava pouquíssima água.

Fiquei perplexa em ver que mesmo o modelo mais econômico disponível no mercado gasta aproximadamente três vezes mais do que a minha fiel idosa... Minha máquina atual, pesquisada exaustivamente e sem as frescuras (frágeis) dos comandos digitais, gasta pouco mais de 100 litros de água em cada ciclo completo de lavagem. Ela também é de carregamento frontal, ou seja, com a tampa na frente da máquina em vez de estar em cima. Seu sistema de lavagem é por ‘tombamento’, ou seja, sem o uso das pás tradicionais. Diga-se de passagem que o sistema de tombamento lava tão bem quanto o de pás e estraga menos as roupas a médio e longo prazo, pela minha experiência.

Comparativamente, as máquinas de carregamento superior (tampa em cima e pás batedoras) ficaram numa faixa de consumo de água que chegava a absurdos 320 litros por ciclo de lavagem, o que equivale a uma caixa d’água residencial de pequeno porte. As mais modestas dessa categoria ficaram numa faixa superior aos 200 litros de água por ciclo de lavagem (dados confirmados posteriormente na Revista Pró-Teste). A capacidade em quilos de roupa é a mesma da minha máquina atual.

Portanto conclui-se que, mesmo com o reaproveitamento da água do último enxágue, ainda é mais econômico (em termos de consumo de água) comprar uma máquina de carregamento frontal ao invés das de carregamento superior.

Lembre-se sempre que a água é um recurso natural precioso e não podemos mais nos dar ao luxo de desperdiçá-la.

__________________________________________________________________________________ Mercedes Lorenzo

13 comentários:

Cristiane A. Fetter disse...

Sabe uma coisa engraçada, eu cresci vendo minha mãe reaproveitando a água das lavagens de roupa. E não era de máquina não, era de tanque mesmo.
Mais tarde quando meus pais compraram uma máquina continuaram a reaproveitar as águas. Como sempre tivemos caes em casa esta água era aproveitada para lavar o xixi que eles faziam no quintal.
Aqui onde moro nós usamos um desumidificador que é enorme e consegue acumular 5 litros de água e esta quantidade eu tiro todos os dias. Água pura e limpa que eu uso na máquina de lavar roupas.
Foi automático, quando eu ví o aparelho e a água que ele acumulava eu passei a utilizá-la.
O que quero dizer com esta história toda é que como eu aprendi desde pequena a reutilizar as coisas, vira rotina.
Outro exemplo, eu lavo meu carro com apenas um balde de água e olha que meu carro é grande.
E seu post é fantástico, pois nem todo mundo pensa nestes fatores antes de adquirir um produto como esse. Já que no Brasil é muitas vezes um sonho de consumo possuir uma máquina de lavar roupas.
Grande lembrança.
Abraços

Ana Cláudia Bessa disse...

Não há como não falar da Cris, lavadora de carros! Realmente, Cris, vc é multi! rs

Quanto a minha Enxuta, a tive durante 15 anos ou mais. Estava funcionando perfeitamente e só teve uma manutenção durante esse tempo todo que eu mesma fiz que foi a troca da correia (eu sou meio metida a consertar coisas). Aí, para não ficar com duas máquinas, doei a mais antiga.
Uma pena porque ela lava tudo e muito bem. E Mercedes, acho que ela lava melhor que a outra. A lavagem por tombamento, eu sempre achei mais eficiente, até nos colarinhos que são difíceis. Pasmem, mas como eu tinha uma máquina mais nova e de maior capacidade, eu a usava para lavar tapetes de banheiro e cozinha, TÊNIS (é ótima desde que vc a encha com 3 ou 4 pares), caminha do cachorro e olha...eu sinto saudades dela! Os tapetes não ficam a mesma coisa lavados e torcidos na mão.

E realmente, ela gasta muito menos água. Só me desfiz dela porque realmente tive que escolher .

Mas na época que me desfiz dela, eu ainda não era nada consciente. Nem pensava em gasto dágua, consumo. E o mais interessante que achei no post da Mercedes foi ela nos atentar para o fato de que,A PARTIR DE AGORA, precisamos levar isto em consideração ao comprar uma máquina de lavar roupas: qual o seu consumo de água e energia?

E já estou aqui pensando em como podemos reaproveitar a água da lavagem de roupas. O meu grande, digamos, dilema é que preciso incluir novos conceitos aos poucos, senão, perturbo demais a minha ajudante e não vai sair nada direito. Não adianta querer mudar todos os hábitos num dia e como reciclar dá trabalho, precisamos de "muito hora nessa calma" ao exigir das outras pessoas o grau de consciência que temos.

Geo disse...

Quem tem espaço pode direcionar toda a água, com ou sem sabão, para um tanque auxiliar. Esse tanque pode ser utilizado para lavar chão ou dar descarga com a vantagem de economizar sabão também.

Uma outra grande economia é água de chuva. Já colhi água de chuva por um tempo e, ao menos aqui em Salvador, era suficiente para suprir as necessidades da casa. Tem que ter cuidado com o tratamento da água e também porque neste caso não está pagando a colega do esgoto gerado.

Ana Cláudia Bessa disse...

A coleta de água de chuve me gera essa preocupação: tem que tratar a água se for usar na casa toda pois o telhado pode estar com fezes de pássaros , por exemplo.

No caso de usar só para descarga, aí a gente tem que fazer alguma obra para redirecionar os encanamentos, né?

Quanto ao aproveitamento da água da máquina, acho que é preciso ainda levantar o volume da água de lavagem pois necessita colocar algo que seja proporcional, acredito que uma bombona ao lado da máquina pois balde transborda...

Silvia D. Schiros disse...

Mercedes, será que você tira uma dúvida que tem martelado a minha cabeça ultimamente?

Pra lavar louça, o que é mais eficiente? Na pia ou com uma lavadora de louças, com a capacidade cheia, é claro?

Cristiane A. Fetter disse...

Boa pergunta Silvia, também tenho esta dúvida.

Ana Cláudia Bessa disse...

Eu não tenho essa resposta. Usei máquina de lavar louças durante muitos anos e amoooo!
A minha velha Enxuta quebrou e resolvi aposentá-la. Só não comprei outra por causa do preço (a Enxuta não existe mais, infelizmente...) e agora porque fico na dúvida também quanto a questão ambiental.

O que posso dizer é que em termos de qualidade de lavagem e gasto de água, acredito ser melhor! Afinal, lava-se a louça a quente e imagino que se gaste menos água do que lavando na mão, posso até estar enganada, mas não acredito.

Agora o sabão da lava-louças e o líquido secante (que serve para não deixar as louças manchadas) , com certeza devem ser mais poluentes do que o detergente normal pois precisam ser mais fortes para tirar a sujeira sem o atrito mecânico, apenas com o atrito da água.

Mercedes disse...

Olá pessoal,
desculpem a demora a vir responder seus comentários... estava envolvida com o aniversário da filhota esta semana!

Silvia: respondendo à tua pergunta, eu não fiz as contas ainda do consumo de água, mas fui dar uma pesquisada na net... há um site que assegura ser mais econômico o uso da máquina (http://casa.hsw.uol.com.br/lava-louca1.htm), mas eu pessoalmente acredito que lavando manualmente com a torneira fechada enquanto ensaboa, o gasto deve se equiparar a determinados modelos de máquina. Temos que levar em conta também o gasto de energia com a água quente na máquina; e como disse a Ana Claudia, também a questão do líquido secante ser poluente.

Sobre a coleta de água da chuva, é um recurso sensacional que devia ser adotado e difundido em todos os locais. Mas sempre com o cuidado de tratar essa água dependendo do uso que ela terá. Gastar água potável e tratada para lavar o carro, a calçada, a garagem, dar descarga no vaso sanitário, regar jardim, dar banho em animais, etc... é insensato. Tudo isso já poderia estar sendo feito com água coletada da chuva. Há hoje em dia empresas que têm equipamentos prontos para essa finalidade, que vêm com filtros apropriados para cada tipo de uso. Uma pesquisa rápida na internet traz vários sites.

E agora comentando sobre o aproveitamento da água da máquina de lavar roupas feito no tanque da área de serviço: é uma boa opção quando dá para ser feito, porque nem sempre dá... eu já morei em apartamentos cuja área de serviço tinha o dreno embutido na parede de tal forma que não havia espaço para puxar uma mangueira até o tanque. E a solução do balde realmente não dá, não cabe tudo.

Agradeço a todos a participação aqui no post, porque é trocando essas informações e dicas que a gente vai aprendendo juntos :-))

Beijos a todos

Ivo Fontan disse...

Acredito que tenho algumas respostas para a questão da máquina de lavar louças.
A Ana Claudia apontou o primeiro problema: Na máquina a limpeza é feita sem atrito mecânico. Isso significa que o volume de água usado TEM QUE SER, necessariamente, MAIOR.
Já a Mercedes acertou no alvo quando disse que o mais econômico é "fechar a torneira enquanto ensaboa". E também abordou acertadamente a questão da energia para o aquecimento da água.
Quanto aos produtos utilizados, não somente o secante é um tremendo poluente quanto o próprio sabão, que é extremamente alcalino (para suprir a ausência de atrito).
Eu não tenho nenhuma dúvida de que a atitude mais correta é lavar na pia, mantendo a torneira fechada para ensaboar e, preferencialmente usando o mínimo possível de detergente (melhor ainda é sabão de coco).
Quando necessário uma águinha quente para ajudar a desengordurar (nem queiram comparar o consumo de energia - gás -para aquecer uma chaleira no fogão com a energia elétrica para aquecer a água da máquina!)

Mercedes disse...

Mandou bem Ivo!

Ana Cláudia Bessa disse...

plac!plac! plac!
(aplausos!!!)_

Beatriz Ohse disse...

Eu tambem acho um absurdo a quantidade de agua consumida pelas maquinas de lavar, mas eu reaproveito ao maximo está agua, a com sabao vai pra lavar a calçada, a dos primeiros enxagues pra limpar o resto da casa e a do ultimo enxague pra regar as plantas.

Silvia D. Schiros disse...

Beatriz, como você faz esse aproveitamento?

Quanto à pergunta sobre o uso da lava-louças, valeu. Eu já ando tentando gastar menos água ainda do que gasto para lavar a louça. Em tempo: eu fecho a torneira quando ensabôo, sempre fechei. Agora tenho usado uma bacia ou fechado o ralo da pia para enxagüar mais coisas com a mesma água. Quando começa a ficar turva, eu troco. Tenho certeza de que gasto menos assim, mesmo com a troca.