quarta-feira, 3 de outubro de 2007

DE NOVO O EUCALIPTO - II

PORQUE O EUCALIPTO É TÃO IMPORTANTE PARA NOSSO MODO DE VIDA?

No meu post intitulado "Desertos Verdes", publicado há algum tempo, eu já abordava esta questão e citava a importância do FERRO e seus derivados (em especial o AÇO) e do PAPEL para os nossos padrões de vida. Não é concebível a vida, tal qual a conhecemos, sem a disponibilidade plena destes dois produtos. Para uma avaliação simplista, apenas olhe ao seu redor.

Acontece que estes dois produtos que fazem parte da base de nossa civilização dependem, para sua produção, de quantidades inimagináveis de CELULOSE (o PAPEL) e CARVÃO (o FERRO e o AÇO). Inimaginável não é força de expressão, é o termo que melhor define os volumes em que estes dois insumos precisam ser gerados para que tenhamos quase tudo o que faz parte da nossa vida.

Também já disse aqui que, se não fosse o eucalipto, nós já teríamos consumido TODA A MATA ATLÂNTICA restante, apenas para a produção destes dois produtos nos últimos cinquenta anos!
A CELULOSE, matéria prima dos papéis, provém da madeira. O CARVÃO, usado na redução do minério que se transforma em FERRO, e na transformação deste em AÇO, também (ou alternativamente, de jazidas fósseis - o CARVÃO MINERAL).

Para entender porque o carvão vegetal é o mais indicado vamos falar um pouquinho sobre GÁS CARBÔNICO?

Este gás (CO2) é o produto final da queima de toda matéria orgânica ( o carvão incluído). Faz parte da composição de nossa atmosfera em uma determinada proporção. Assim como a água, o CO2 faz parte de um CICLO: Ao mesmo tempo em que é produto da queima (isso inclui a respiração dos animais) ele é também matéria prima dos tecidos vegetais. Através do processo conhecido como FOTOSSÍNTESE, o CO2 atmosférico se transforma em novas cadeias carbônicas que vão constituir as células vegetais.

Simplificando: A madeira queimada produz CO2 que vai novamente, pela fotossíntese, produzir nova madeira!

Perfeito! Mas este ciclo é desequilibrado quando você queima o carvão mineral! Por que? Porque este carvão já estava "fora do ciclo" há milhões de anos. Queimando-o você está adicionando uma quantidade extra de CO2 no ar!

Bem, já dá para a gente começar a "simpatizar" com o eucalipto, não é? Mas será que...

-PODERÍAMOS FAZER SEM ELE TUDO O QUE FAZEMOS COM ELE?

Poderíamos, usando outras espécies arbóreas para produzir celulose e também carvão (além, é claro, do carvão mineral). Que outras espécies? As nativas, simplesmente extraídas das florestas? Nativas "cultivadas" para esta finalidade? Dois problemas: Se cultivássemos espécies nativas para extração de madeira também estaríamos "plantando desertos verdes", ou seja, monoculturas, não é? Ah, dirão, mas é melhor monoculturas de espécies nativas do que "alienígenas"!

Acontece que NENHUMA espécie nativa possui as características do eucalipto. Nenhuma delas está disponível para ser utilizada com apenas seis ou sete anos de plantio, com o rendimento comercial apresentado pelo eucalipto!

Portanto, à pergunta deixada no post anterior:
-NÃO TEMOS ESPÉCIES NATIVAS CAPAZES DE SUBSTITUÍ-LO?
A resposta é NÃO!

No próximo post:
-OS MITOS: EUCALIPTO SECA E EMPOBRECE O SOLO?________________________________________________________________________________________________ Texto de Ivo Fontan

5 comentários:

Mercedes disse...

Ivo,
esses posts estão uma aula... quando você terminar (não sei quantos serão), vou te pedir licença pra levar pro Folha Verde...rsrs
Mas até lá, vou lendo e aprendendo.
Abraço

Anônimo disse...

Amei este blog!posso colocá-lo nos meus favoritos?
Visite meu blog ficarei muito feliz.
http://meucantin5.blogspot.com/
Beijoca
Nilda.

Cristiane A. Fetter disse...

Só assim para entender mesmo. Sou completamente ignorante nesta área.
Muito bom esse tema Ivo.
Estou ansiosa pelo próximo da sequencia.
Abraços

Ivo Fontan disse...

Mercedes
A série é de 4 (quatro) postagens.
Use-os à vontade, mas não esqueça de mencionar que extraí a maior parte das informações de um trabalho do Prof Roberto Ferreira de Novais, Da Universidade Federal de Viçosa.
Nilda
Sei que falo por todos do blog quando digo que é um prazer tê-lo na sua lista de favoritos.
Cristiane
A idéia é essa mesmo, a gente aprender cada vez mais uns com os outros. Esclarecer, desmistificar, informar, para sabermos fazer as "coisas certas".
Obrigado a todas.

Ana Cláudia Bessa disse...

Nem vou falar nada...vou ficar quietinha aprendendo...
Parabéns, Ivo.
Excelente!