quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Flagras

Falta Educação



Flagramos esta cena numa tarde de almoço de domingo na calçada de um restaurante.
Não bastasse estar parado na calçada, ainda parou rente ao orelhão!

Não sou certinha, não, gente.

Quando chegamos a vaga estava ali, mas nem cogitamos parar rente ao orelhão.
Pagamos 3 reais e paramos num estacionamento.
Dois carros colocaram depois que chegamos.

O primeiro, teve o cuidado de se guiar pelo cone e foi até a frente.
Calçada grande e dependendo do tamanho do carro, dava para colocar o carro, usar o orelhão e as pessoas passarem, sem problemas.

Mas o segundo carro, não quis nem saber.

As pessoas não tem educação e ainda são egoístas:
dane-se que quiser andar na calçada,
dane-se quem quiser (ou precisar) usar o orelhão!

O motorista precisa acordar, não é dono da rua, não.
Calçada é para pedestre.
E para quem acha sempre que mulher é mais certinha, a motorista era do sexo feminino...
Infelizmente.
__________________________________________________________________________________ Texto de Ana Cláudia Bessa

5 comentários:

Cláudia disse...

Isso aconteceu onde? No Rio?

Cristiane A. Fetter disse...

Você já viu aquelas cidades oulugares em que colocaram câmeras e os policiais ficam controlando as pessoas e se elas fazem algo errado imeidatamente são chamadas atenção na rua mesmo através de caixas de som? Acho que é na Inglaterra.
Já que campanha não adianta, sinalização não adianta, talvez o melhor é fazer pagar mico.
Eu posso falar isso de carteirinha, pois morei durante muito tempo na zona sul do Rio de Janeiro e lá ou você anda na rua ou piso no coco do cachorro. Claro que nem todo mundo que mora lá é assim.
Imagine alguém estacionando na calçada e derepente vem uma voz do além dizendo assim: Por favor senhor do automovel verde, tenha a gentileza de retirar seu carro da calçada pois é um local proíbido para estacionamento, além do que tem uma senhora querendo passar por este lugar.
Ah seria o máximo.

Silvia D. Schiros disse...

Ana, eu me aborrecia pra caramba com alguns pais que iam buscar as crianças na escola das meninas, no Rio...

Vários deles ocupavam vagas que dariam para dois, às vezes três carros. Eu reclamei muito com a escola, pedi uma campanha para educar a turma, falava em alto e bom tom na entrada que achava aquilo o cúmulo da falta de educação. Cheguei a pensar em fazer uns panfletos e distribuir, além de uns cartazes "engraçadinhos" para quem insistisse em ocupar mais de uma vaga...

Mas acabei mudando. Sinto falta da escola, maravilhosa do ponto de vista pedagógico, mas da falta de educação e respeito de alguns cariocas... Ah, disso não sinto falta, não!

Ana Cláudia Bessa disse...

Amigas,
isso aconteceu na Barra da Tijuca, no Rio.
Eu já vi matérias com esses auto-falantes que a Cris comentou. São realmente muito interessantes. Mas só vi em pegadinhas de TV, nunca oficialmente. Quem dera fosse implantado!
Já ia propor um para ficar nos acostamoentos ( ôh, meu amigo motorista do carro tal, acostamento é para alguém parar numa emergência, não é para furar o engarrafamento. Você acha que só você pensou nisso, que você é o sumo da inteligência???)
E como a Silvia, acho os cariocas extremamentes mal-educados, e no trânsito não é diferente. Mas sabe o que falta no Rio, punição.
Punição faz todo mundo ficar mais educadinho.
Em SP, não é perfeito, mas o buraco é mais embaixo...

Lylilyn@ disse...

Adoro visitar blogs, passei no teu e não posso deixar de dizer que vou voltar!
O meu blog é novinho, ainda não tem uma identidade...mas no minimo é curioso, se quiser me visitar, terei honra em receber você!
Liz