terça-feira, 9 de outubro de 2007

DE NOVO O EUCALIPTO - IV (Final)

- EUCALIPTO É MONOCULTURA. ISSO NÃO É DANOSO?

O plantio de eucalipto é tão monocultura quanto o de SOJA, MILHO, CAFÉ...

A diferença é que para cada ciclo (plantio-colheita) do eucalipto têm-se, pelo menos, sete ciclos das monoculturas convencionais, isto significa mais exposição ao sol, menos umidade, mais danos à microbiota, mais desgaste para o solo, mais compactação (pela entrada frequente de maquinario pesado - colheitadeiras etc).

Todos estes fatores, que no caso do eucalipto somente ocorrem a cada sete anos, são altamente danosos a solos já intemperizados e desgastados pelo uso.

- PLANTAR EUCALIPTOS SERVE AOS INTERESSES DE GRANDES EMPRESAS. COMO FICAM OS AGRICULTORES FAMILIARES?

Mais um mito derrubado. Considerando a importância de produtos como madeira e carvão para a vida rural (coisa pouco compreendida pelo homem da cidade), o professor Roberto Novais estima que pequenas "florestas" de eucalipto mantidas por agricultores familiares, em áreas imprestáveis para uso convencional (erodidas, desertificadas) não só ajudam na recuperação como propiciam ótima fonte de renda e de obtenção de materiais extremamente úteis a uma propriedade rural, com consequências positivas no problema grave do êxodo rural.

Aqui eu acrescento um dado altamente importante e REAL. Os pequenos produtores rurais utilizam e continuarão a utilizar MADEIRA e CARVÃO no seu dia-a-dia. Como já foi dito, estes materiais tem uma importância na vida rural muito pouco avaliada pelo homem da cidade. Portanto, na ausência de eucaliptos, onde irão se suprir? Na vegetação nativa, claro!

Existem ainda as cada vez mais estudadas e desenvolvidas possibilidades de "consórcio", onde se integram plantações de eucalipto com culturas de ciclo curto, como arroz, soja, milho, braquiária (pasto) e muitas outras.

Finalmente, reitero o que já disse em postagens anteriores: florestas de eucaliptos não são "estéreis" como muitos pensam. Já está comprovado que diversas espécies da fauna nativa habitam ou se utilizam destas "florestas", como pássaros, répteis, insetos e mamíferos, inclusive de grande porte, como antas, felídeos e roedores. Emas também tem sido encontradas com frequência aninhando em silviculturas.

Sei que estas informações não irão encerrar a polêmica e nem operar milagres de mudanças de opinião naqueles que consideram o eucalipto uma praga. Mas espero, sinceramente, que ao menos sirvam de incentivo para que procurem por mais informações a fim de formarem uma idéia melhor embasada sobre este tão importante assunto.

Agradeço ao Engenheiro Florestal IVAN DA COSTA ILHÉU FONTAN (meu filho), que me enviou o trabalho que serviu de base a esta série de postagens.

O trabalho do professor Roberto Ferreira de Novais foi publicado na edição 82 do "JORNAL SIF" (Sociedade de Investigações Florestais) da Universidade de Viçosa.
www.sif.org.br - jornalsif@ufv.br

__________________________________________________________________________________ Texto de Ivo Fontan

4 comentários:

Cristiane A. Fetter disse...

Estas informações deveriam ser levadas ao grande público. Acredito até que sejam apresentadas na tv mas em horários que a maioria dos brasileiros não estão disponíveis.
É muito bom que temas assim venham à baila, pois nos incentiva a buscar mais dados.
E além do mais saber que temos pesquisadores fantásticos por esse Brasil aforam, como o caso do Prof. Roberto Novais.
Muito boa a série Ivo.
Abraços

Osc@r Luiz disse...

Senhora Pisciana (Cristiane),

Foi um prazer recebê-la no meu blog.
A princípio, eu vim aqui apenas agradecer a visita e a gentileza do comentário.
Mas ao entrar, me deparei com um blog recheado de assuntos do maior interesse, particularmente do MEU interesse.
Você aborda campanhas de utilidade pública de profundo cunho social; temas ligados à sustentabilidade ambiental, e sou biólogo; e temas ligados à criação de filhos e eu sou pai de primeira viagem de uma figurinha masculina de 3 para 4 anos.
Por esses motivos, entre outros, vou linkar o "Futuro do Presente" aos meus dois blogs, levara para eles (obviamente com os devisos créditos), alguns de seus instrutivos posts.
E claro, voltar aqui sempre que o tempo me permitir.
Mais uma vez muito obrigado.
Seja sempre bem vinda, assim como suas colaboradoras e amigos, aos meus modestos blogs.
Abraços,

Oscar.

Ivo Fontan disse...

Cristiane
Felizmente a internet foi criada. Apesar dos inúmeros maníacos, tarados e imbecis que utilizam esta mídia fantástica para os fins mais escusos imagináveis, a internet nos permite acesso e circulação das informações independentemente dos meios convencionais de comunicação.
Infelizmente, ainda, a penetração (e, consequentemente, a influência na "formação de opiniões") destes outros meios ainda é muito maior do que a da internet (além disso aqueles tais maníacos etc, que eu citei, tiram um pouco da credibilidade do meio).
Para o "pessoal da imprensa", de um modo geral, informações como essas que abordo na série, não são "notícia", por isso não têm espaço.
Já se algum maluco aparecer por aí dizendo que eucalipto provoca câncer, isso é notícia! vai para as manchetes. O desmentido, quando chegar, vai para uma notinha na página vinte!
Por isso VIVA a internet! Viva os blogs!
A gente tem uma missão e uma responsabilidade que nem mesmo nós ainda avaliamos muito bem!
Valeu Oscar. Estamos na mesma luta!

Ana Cláudia Bessa disse...

Realmente, Ivo, depois de tantas informa�es fica mais f�cil podermos pesquisar e formar uma opini�o mais sustentada a respeito do eucalipto.
Fant�stico o trabalho do Prof. Roberto Novais!