sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Imposto, Contribuição ou Enrolação?

Levei um susto ao assistir a Lúcia Hippolito no Programa do Jô falando sobre a criação da CPFM, de como os governos continuam insistindo nessa contribuição provisória, que já tem mais de 10 anos. Isto é provisório?

Esta jornalista que é um poço de conhecimento esclareceu que como é uma contribuição o Governo Federal não tem obrigação de repassar nenhum valor para os Estados e Municípios, agora se fosse chamado de imposto o repasse seria obrigatório.

Eu continuo tendo conta bancária no Brasil, então continuo sentindo no bolso esta cobrança, mas mesmo que não tivesse, continuo achando um absurdo.

Ou seja, além do povo continuar pagando mais um imposto, este dinheiro não é revertido para ele, sabe em que ele está sendo empregado (pelo menos sua maioria) hoje no governo Lula? Em pagamento de salário de funcionários.

Estes mesmos funcionários que provavelmente estarão embarcando em mais um trem da alegria que os politicos estão querendo aprovar.

Dane-se o povo que paga a contribuição.
Dane-se se existe a discussão sobre o futuro do INSS.
Dane-se se no futuro alguém vai ter que resolver o problema.

O que importa é que hoje se tira mais dinheiro de um povo que já trabalha muito e recebe pouco de volta.

Também não sei se esta contribuição tivesse outro nome seus valores seriam revertidos em prol da população, até porque pelo que me lembro ele foi criado para ajudar ao Ministério da Saúde. Ajudou?

Existe um site chamado
xô cpmf que explica super bem o que ela é e para que serve ou não serve.

O que eu ainda não encontrei foi a forma de explicar para um filho como isto funciona? Como explicar para ele, que no Brasil, a quantidade absurda de imposto que ele vai ter que pagar caso queira ter uma conta bancária, comprar uma bicicleta, um biscoito ou fazer um curso? Que as pessoas poderiam ter acesso a mais coisas, a viver melhor e não conseguem, se não tivessem que "contribuir" com tanto?

Alguém sabe?

__________________________________________________________________________________ Texto de Cristiane A. Fetter

Um comentário:

Ana Cláudia Bessa disse...

E o que eu acho uma tremenda cara de pau, é ainda ver o Guido Mantega, fazendo ameaças veladas, dizendo que se a CPMF for extinta, os investimentos irão diminuir e quiçá haverá aumento de impostos.
Cara de pau!

Minha sugestão ao Guido Mantega é que façam redução de salários de altos cargos e parlamentares. Que sejam descontados todos os dias que não vão ao trabalho, que haja redução de investimento nas verbas de gabinete, no auxílio terno, auxílio combustível, que cada parlamentar ou funcionário use seu próprio carro e que os carros oficiais seja reduzidos e usados exclusivamente em serviço.

Outra forma boa de reduzir gastos é acabar com as fraudes. Falta dinheiro porque é mal investido, mal controlado, super-faturado e desviado dos cofres públicos!

Se manca Guido!