segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Bocodóbra - parte 1

Contando mais das minhas aventuras como consumidora, vou contar para vocês a mágica de ser mal-atendido.

Eu comprei um berço numa conhecida loja de móveis infantis aqui do Rio. Contudo, depois de alguns meses, uma parte da sustentação da grade, quebrou. Tentei durante meses que a assistência fosse até minha casa avaliar o problema e consertar visto que depois de algum tempo eu até evitei deixar o bebê no berço com receio de que ele se apoiasse na grade e a mesma cedesse.

Marcavam e não apareciam, desmarcavam, remarcavam e vinham em horário diferente do combinado (e não me encontravam em casa) e ainda arrumaram todo tipo de desculpa para colocar a culpa em mim.

Cansada deste desgaste, grávida, com uma criança de 1 ano em casa, tendo mil coisas para resolver e um barrigão enorme para carregar (delícia!) dei um prazo de 15 dias para eles consertarem ou trocarem o berço, caso contrário, entraria no PROCON.

A Bocobóbra nem respondeu, me ignorou completamente.

Contudo, graças à Deus, grávida tem prioridade no atendimento e não pensei duas vezes. Procurei o Procon mais perto da minha casa e entrei com a queixa solicitando a devolução do dinheiro.

No dia da audiência, claro, eles vieram com a ladainha que não precisava de nada disso, que eles nunca se negaram a consertar (eu era louca...) e que eles consertariam o mesmo na data e hora que eu determinasse.

Mas vem cá? Depois de tudo isso, depois de me ignorarem, era isso?


continua
__________________________________________________________________________________
Ana Cláudia Bessa
Leia mais:

9 comentários:

matteo irma disse...

É bom saber quais são as empresas que respeitam o consumidor e as que não respeitam. Será que o PROCON divulga os nomes das empresas contra as quais mais aparecem reclamações?
Bjs

Ana Cláudia Bessa disse...

Renata,

eu não sei se o Procon tem esse tipo de informação.
Apesar de achar o Procon uma excelente ferramenta, acho que ele ainda tem que melhorar muito.

Por exemplo: no jornal de sa´bado, se não me engano, tinha uma matéria falando das diferenças de preço entre o que marca na gôndola e o que aparece no caixa.

Ele fala que pouca gente denuncia ao Procon, mas não diz o caminho.
quem já foi ao procon sabe a lenha e a fila qué é.
É preciso um canal mais ágil do que ter que ir pessoalmente e perder meio-dia ou até um dia de trabalho.

A burocracia ainda impede que exerçamos plenamente tudo o que o Procon pode oferecer.

E as empresas se valem disso.

matteo irma disse...

As empresas se valem disso e muito mais, incluindo aí nossa cultura de não reclamar nossos direitos.
Fiz um post sobre isso na semana passada, estava um pouco "revoltada" com as coisas que andam acontecendo. Citei inclusive essa história do brinquedo chinês..mais um...
Nós aqui em casa somos muito atentos a essa questão do preço na gôndola x preço no caixa. Não dá pra ter na cabeça os preços de tudo que colocamos no carrinho, mas se prestarmos atenção perceberemos que esse problema é mais comum do que se pode imaginar. Meu marido vive pegando essas diferenças...curiosamente é sempre pra mais. E o mercado tem obrigação de vender pelo preço da gôndola, ainda que seja esse o errado. Já aconteceu consosco várias vezes...
Bjs

alvaro disse...

Meninas, fiquei curioso para saber como vai terminar essa história.

Anônimo disse...

Saiu dia 11/11 no O Globo:

ARMÁRIO COM VÁRIOS DEFEITOS

Compramos um armário na Abracadabra em 24 de julho. Depois de muita demora, foi entregue, sem que estivesse conforme o projeto. Mesmo tendo aceito essa discrepância, continuamos sem usufruir do armário, pois não foram entregues os puxadores, além de haver um cabide defeituoso. Há um mês estamos tentando resolver o assunto por telefone, sem que um responsável se digne a entrar em contato conosco informando uma prazo para solução definitiva. (Paulo roberto VC Pereira - Rio)
Resposta: a Abracadabra Móveis informa que o serviço foi dado como concluído em 3 de novembro.
_______________
É parece que essa empresa é de fato descompromissada com a satisfação do cliente e pior, sem nenhuma garantia de qualidade.

Samantha Shiraishi disse...

Ana
citei vocês hoje no meu comentário ao post O que eu ensino ao meu filho? http://www.nossavia.com.br/mundo/o-que-eu-ensino-para-o-meu-filho no Nossa Via (http://www.nossavia.com.br), onde eu escrevo.
Aliás, espero sua visita lá para me contar o que tem na sua bolsa de mulher.
http://www.nossavia.com.br/comportamento/bolsa-de-mulher
Abraços
Sam

Samantha Shiraishi disse...

Passa no meu blog porque deixei um meme para você.

Ana Cláudia Bessa disse...

Essa notíca do armário não me surpreende, sei bem como essa empresa é... Vejam que o atendimento só aconteceu pela pressão da carta ao jornal.
Carta no jornal ajuda muito gente!
Carta neles!

Ana Cláudia Bessa disse...

Sam,

obrigada pela força, adorei o nossa via, quando puder nos fale mais dele, coo surgiu a idéia, o que uniu este grupo, muito bacana mesmo!
Parabéns!

E o seu meme será devidamente respondido, preciso de um tempinho...rs...
Aliás, a gente anda antenada uma na outra. Visitei seu blog e babei nos vídeos da música Minha Alma.
Não comentei por falta de tempo, mas o farei! Vou colocar um dia aqui no blog a inspiração que vc me deu!
Muito bacana mesmo!!!!!!
Um grande beijo!