terça-feira, 4 de dezembro de 2007

O que eu posso fazer?

Muita gente fala mal dos Estados Unidos, acha que é o Império do Mal. Não posso brigar com estas pessoas, pois elas tem o direito de pensar assim, mas tomara que estejam embasadas em experiência e/ou informações.

Eu vivo aqui a quase 2 anos e posso dizer o que vejo e vivo. Mas por que será que todo mundo quer vir para cá tentar a América?

Porque aqui o brasileiro aprende a viver em um lugar ordenado e onde as leis funcionam muito bem, ele aprende o que é cidadania. Seus filhos tem direito a educação, alimento, lazer, segurança em uma escala muito maior que no Brasil.

É fácil? Não. Nem todos os brasileiros que vem para cá tem a sorte que eu tive. Fomos transferidos pela empresa de meu marido, ou seja temos retaguarda.
Os outros vem de forma ilegal "ralar" para fazer a vida.

Não gostam do frio, não gostam da lingua, a cultura é muito diferente (o americano é mais direto ao falar), mas este é um país que tem um caldeirão de raças impressionante.
Ah...mas vira e mexe aí tem um maluco que entra em um colégio e mata uns 30, ou então vem outro e joga um boeing em um prédio famoso, alguns vão dizer.
Claro que nenhum lugar do mundo é perfeito.

Mas aqui os brasileiros (e as vezes pessoas que só viveram lá mas tem outra nacionalidade) percebem que a estrutura está bem fundamentada e funcionando redondinho, tanto que quando conseguem chegar a um patamar financeiro confortável começam a sentir necessidade de fazer algo por aqueles que ficaram no Brasil.

Como? De tantas formas, que eu só vou falar algumas.
-Arrecadam roupas, sapatos e brinquedos e os enviam para orfanatos;
-Arrecadam alimentos, é isto mesmo, mandam comida daqui para as entidades que necessitam no Brasil;
-Enviam dinheiro para que parentes possam encaminhar para essas entidades;
-Ou mais, constroem eles mesmos instituições que acolhem crianças ou idosos necessitados. Olha que incrível, além de trabalhar muito para sí ou para família, conseguem mais tempo para fazer mais dinheiro e com isto poder oferecer um pouco do que eles tem aqui. Louvável!;
-Também são voluntários em várias instituições aqui;
-E quem tem mais tempo cria Ongs. Mas o mais importante é perceber que se pode fazer algo.
Trabalha-se muito, nada é de graça. Ganhamos em dólar e pagamos em dólar aqui.
Mas aprendemos o que é ter acesso e direitos e queremos compartilhar com quem não os tem no Brasil.

Este tipo de trabalho não é divulgado, aliás nem se quer isso, mas existe aqui um programa feito pela globo internacional chamado Planeta Brasil, ele é direcionado aos imigrantes brasileiros, e através dele conseguimos saber o que está acontecendo com outros brasileiros e como podemos nos engajar tanto nas festas (diversão) quanto nas formas de ajuda, além de saber outras coisas que roam na vida do imigrante.

Não estou querendo dizer com isso que no Brasil não existam pessoas assim, é claro que estão lá e trabalhando duro. O que quero dizer é que além de todas as dificuldades que se encontra para a adaptação em outro país, estas pessoas ainda conseguem ajudar seu próprio povo.

Isto é um bem que eles estão deixando para seus filhos.
Esta é uma forma de ver e viver uma vida cheia de desafios e de consciência que a gente sempre pode fazer algo por alguém. Aprendem que podem levar isso para sua terra natal.
Aprendem que esta é uma forma de melhorar o futuro. Como dizia a minha mãe: Faça o bem, sem olhar a quem!

Ah! que orgulho ser Brasileira!


__________________________________________________________________________________ Cristiane A. Fetter

4 comentários:

Adriana disse...

Olá, Cristiane!

Acabei de conhecer o blog e adorei! Parabéns! Certamente voltarei mais vezes, os temas são muito bem escolhidos, impossível ver todo o conteúdo agora! Os links disponibilizados também são muito bons, já vi que vou aprender muita coisa por aqui...

Bjos e fica na paz!

Adriana

Cristiane A. Fetter disse...

Oi Adriana, que bom que você gostou do blog.
Trabalhamos para que todos se sintam em casa.
Volte sempre.
Abraços

Ana Cláudia Bessa disse...

Cris, eu sou pouco orgulhosa de ser brasielira.
gosto do meu país, amo minha cidade, mas o povo, esse que dá orgulho, é bem restrito.
E a maioria nem tem educação básica para saber ser brasileiro.
Difícil colocar aculpa em gente que não tem estudo, não tem comida, trabalho e saúde.
E é assim que nosso govero quer manter essa maioria.

Andei pensando...a gente tinha que parar de doar as coisas e tapar buracos. A sociedade precisava se organizar para construir escolas sem a tutela do governo.

O resto viria, seria questão de tempo.

Jennifer disse...

Adriana, adorei o conteúdo deste post! Me ajudou a fazer um texto que ficou muito interessante. Certamente virei mais vezes aqui no blog :D

Beijos, Jennifer.