terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Recado da Mercedes

ESPÍRITO DE NATAL

Há muito tempo a comemoração tradicional do Natal já perdeu o último resquício de autenticidade em nosso mundo contemporâneo. Dizem até que já nasceu assim, visto que a data era mesmo dedicada ao deus pagão Mitra, e foi incorporada pela igreja católica por questões que não entrarão no mérito deste humilde e despretensioso texto...

Enfim, já que as tradições estão assim maleáveis... e pelo que ouço e leio, o verdadeiro espírito de Natal anda deixando muito a desejar para todos nós - resolvi fazer eu mesma um novo espírito de Natal... resolvi fazer aqui um ensaio de como pode ser um espírito-aquariano de Natal, na minha visão particular é claro.
Vou enumerar algumas coisas que podiam ser, digamos, adaptadas... e quem sabe tornarem-se ao menos mais divertidas ou genuínas?

Por exemplo: árvore de Natal... em vez de cortar pinheiros, podíamos iniciar a "tradição" do "plantio da árvore do Natal"... todos os anos, na véspera, iríamos com a família a algum parque ou no nosso jardim mesmo, e plantaríamos a árvore de Natal de 2007 (por exemplo). As árvores mais antigas nos lembrariam a infância de nossos filhos, ou a nossa adolescência... Isso já faria parte das comemorações, visto que todos teriam de ajudar. Também o cuidar da árvore perpetuaria o clima do Natal pelo ano afora...

A ceia é outro item onde podíamos inventar inúmeras novas tradições... cada uma das pessoas podia fazer um prato, mesmo que simples, nada de banquete... todos participariam, até as crianças. Ah, e uma das pessoas seria sorteada, porque seu prato seria levado até o local mais próximo onde houvesse pessoas necessitadas de alimento. Certamente daríamos boas risadas com alguns pratos, mas todo mundo ia sentir que participou de algum modo. A bagunça familiar na cozinha também faz parte das comemorações... afinal o Natal começa na véspera!

E se também instituíssemos que os presentes não poderiam ser comprados? Valem coisas inventadas, materiais e imateriais... vale cantar uma música ou fazer uma poesia, vale fazer um artesanato, vale trazer flores (roubadas do jardim, não compradas!). Vale fazer sachês, vale uma performance, uma piada... vale um abraço apertado; um beijo de tirar o fôlego também vale!

Por fim, podíamos nos sentar à ceia, comer e contar causos, e também conversar sobre o que cada um pensa do aniversariante... como cada um O conheceu, como é nossa amizade com Ele...

Você já pensou como seria um Natal assim?

Há espaço para a criatividade e para as relações?

Abra espaço neste Natal... especialmente limpando a área que anda entupida de ansiedade consumista, de dívidas financeiras, de angústia em parecer feliz.
Um lindo e generoso Natal a todos!
__________________________________________________________________________________
Mercedes Lorenzo

8 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Mercedes, texto maravilhoso, mas limpar as dívidas, isso tá difícil, risos.
Beijocas

Aline Silva Dexheimer disse...

Nada como a simplicidade para trazer mais felicidade.
Muitos beijos e Feliz Natal,
Aline

Silvia D. Schiros disse...

Adorei, Mercedes, eu também odeio o frenesi do Natal, esse desespero louco de comprar, comprar, comprar. Da minha parte, só as crianças ganham presentes, pois elas ainda acreditam em Papai Noel.

De resto, acho que vale a confraternização. E pronto.

Aproveitando, já que estou para viajar e ficar fora do ar, desejo aos amigos do Futuro do Presente um ótimo Natal e um 2008 sustentável. :-)

Passem lá no Faça a sua parte para ver a mensagem que deixei.

Anônimo disse...

Cristiane, Aline e Silvia:

Obrigada queridas, desejo a vocês um Natal maravilhoso, cheio de amor e bênçãos.

Beijos a todas

Mercedes

Ana Cláudia Bessa disse...

Gente...eu amo decoração de natal, luzes, cores, beleza. Mas hoje me preocupo com a energia que isso gasta...rs...
E ando tão ocupada que nem montei ainda minha arvore (sem neve...rs).
Eu também abomino essa coisa comercial do Natal e dou poucos presentes e em geral, de pouco valor. Gosto da confraternização, da reunião em volta da comida. A comida une.E adorei a idéia da Mercedes.
Mas como é difícil fazer um natal diferente quando temos pessoas além da família conosco ou quando vamos para casa de outras pessoas. Como propor que esqueçamos o papai noel. Eu nunca tirei foto das crianças com o Papai Noel(e quando estou no shopping só encontrei papai noel sem verginha...rs), não vou a shoppings por causa disso.
Acho que ao invés de presentes, vou propor meu marido que demos uma cartinha a cada pessoa da nossa família com nossos sentimento por eles, o que vocês acham? uma carta curta, maior que um cartão, num papel bonito explicando porque abrimos mãos de presentes de loja neste ano...
e aí, será que vale?
não liguem pros erros, estou acabada, nem vou conferir...rs...
bjs!

Sonhos de Crochê disse...

Amo Natal e mais um bocado de datas comemorativas. Gosto de comemorar. Sei que o consumismo está roubando o espírito natalino. Então, vou te dizer algo bem particular. Acredito que nós humanos, seres imperfeitos precisamos de dats comemorativas e de mais uma série de lembretes, porque se não fosse assim não nos lembraríamos nunca. Por exemplo: Dia das Mães, data comercial, dia das mães é todo dia. Mas chega um tempo que nós nos afastamos de nossos pais (bem devagar que nem percebemos) vamos dando rumo a nossas vidas. É necessário "esse" dia para que nos lembremos da Mãe (Não que seja somente assim) Mas você há de concordar pelo menos nesse dia uma monte de filho visita as mães. Acho o Natal assim também. Eu gosto de minha família toda jantando, rindo, presenteando ... Neste dia ninguém arruma uma desculpa para não ir ao jantar porque é Natal.
Tô dando meu exemplo, mas vejo isso num montão de gente. Necessitamos desse climão de Natal pra perceber que não estamos nem somos sozinhos. Se temos amigos e parentes vamos presentear, vamos abraçar, beijar, rir... E é importante tembém porque nesse climão também lembramos daquelas pessoas que são sozinhas, ou que não têem o que comer, ou comemorar... É aí que entra o presente do aniversariante: JESUS!
Natal é dar. E pode ser somente atenção, ouvir um pouquinho, dar aquele abraço, um sorriso... enfim AMO NATAL E ACHO ISSO TUDO MUITO NECESSÁRIO.
Beijos Mercedes
e FELÍZ NATAL!

Ivo Fontan disse...

Lindo texto, Mercedes.
Achei muito legais as suas iniciativas.
Mas achei também muito lúcidas as palavras de "sonhos de crochê".
Não dou importância demasiada a "datas" (nem o meu próprio aniversário), mas reconheço que elas são importantes como REFERÊNCIAS. E a gente precisa de referências e símbolos.
E aproveitando o ensejo, um FELIZ NATAL para todos vocês, seja qual for a forma escolhida para festejá-lo (ou não). Que esta data seja uma referência para a gente dizer um para o outro o quanto nos gostamos e o quanto somos importantes uns para os outros. Vocês são importantes para mim!

Ana Cláudia Bessa disse...

Tem esse lado também e eu também gosto dessa confraternização. O que eu acho é que a gente precisa dar uma freada no consumismo.